Vencendo a Natureza Pecaminosa

O SENHOR muitas vezes nos dá uma palavra e às vezes ficamos imaginando como começá-la. Hoje gostaria de falar com os novos convertidos. Não só com eles, mas principalmente com eles.

Percebo que há neles a idéia de que agora tudo ficou muito simples: o pecado agora acabou e tudo agora é fácil. Eles pensam assim porque antes andavam em trevas, só que ao passar do tempo vão perceber que a luta agora aumentou.

DUAS NATUREZAS

Nós precisamos entender que o homem sem Deus tem apenas uma só natureza. A sua natureza só tende ao pecado que cresce dentro dele influenciando-o só para pecar. Quando nos convertemos, recebemos uma nova natureza. Mas a natureza antiga permanece. De vez em quando ela nos leva a pecar, e por isto pedimos perdão.  Vemos que a natureza de Cristo cresce e se avoluma, tornando escrava a natureza da carne.

Romanos 6.6

Quando Cristo levou na cruz todos os nossos pecados, esta parte da antiga natureza está ferida. Mas ela continua lá. Aí instala-se o grande conflito que há em nós: Temos duas naturezas e elas brigam uma contra a outra. O inimigo fará de tudo para que a antiga natureza vença e nos conduza ao pecado. Precisamos estar atentos para que isto não ocorra. Existe um campo de batalha que é a nossa mente, o inimigo quer nos derrubar, mas com o auxilio da Palavra vamos permanecer firmes.

NÃO ESTAMOS SÓS

Nesta luta nós não estamos sós. Em Ef 6.10-11 há a orientação para vencer esta luta. Há um poder disponível para nós, conforme lemos no texto. O inimigo nunca nos poderá vencer sem que conte com a nossa colaboração. O diabo pode fazer o que quiser, até rodear a nossa vida, mas ele não pode nos obrigar a pecar. Ele não pode porque há em nós um poder sobrenatural que nos ajuda, e assim podemos vencer. Tentações sempre teremos. Mas ser tentado é diferente de pecar. Evidentemente se não estivermos colocando a armadura de Deus, estaremos frágeis e sujeitos a pecar.

A TENTAÇÃO É COMO O TELEFONE

Há uma ilustração de que a tentação é como um telefone que quando toca nós não deveríamos atender. É só uma tentação: atendê-lo ou não. Mas, se o atendermos, aí sim nós pecamos. Há os desobedientes que diante da tentação, o Senhor lhes dá vários textos e mesmo assim ele peca. Algo que nos ajudará é sair de perto do telefone. A palavra nos orienta a fugir da tentação.

SERÁ DEUS INJUSTO?

Algumas vezes pode surgir na nossa mente a idéia de que Deus é muito exigente e até mesmo injusto:

– Deus sabe que tenho uma natureza pecaminosa e que me leva a errar, por que Deus tem uma natureza tão exigente assim?

Mas, querido diante disto (nossa natureza pecaminosa) Deus espera que sejamos tão perfeitos assim? Sim, ele espera.

PERFEITO AOS OLHOS DE DEUS

2 Timóteo 3.16-17 e Colossenses 1.28

Mas o nosso Deus não é injusto. Ele é a própria justiça. O conceito que Deus tem de perfeição é possível em Cristo. Com Abraão Deus falou assim, Gênesis 13.17b: ‘”Anda na minha presença e seja perfeito”. Ou seja: Viva comigo e assim você será perfeito. Já Enoque, Gn 5.24, Deus o tomou. Por que? Porque ele andou com Deus. E Davi? Era um homem conforme o coração de Deus. Ou seja, do jeito que o coração de Deus quer. Davi nos reponde nos Salmos 116.8-9. Ele também andou com Deus. Noé foi um homem íntegro e justo na face da terra. Já pensou Deus lhe falar que seu marido é um homem íntegro? Por que será que Noé foi considerado isto? Vejamos Gênesis 6.9: “Ele era um homem… andava com Deus”. Ele andou com Deus.

 

É interessante notar que todos estes homens, com exceção de Enoque, tiveram pontos de extrema fraqueza. Noé ficou bêbado e nu. Abraão mentiu para não perder a sua esposa pois estava com medo de morrer. Davi adulterou, matou e chegou ao fundo do poço. Mas podemos perceber que mesmo assim estes homens agradaram ao coração de Deus. Há uma coisa comum entre estes homens: eles andaram com Deus. Eles foram perfeitos porque andaram com Deus. Havia algo de gostoso entre eles e Deus. Nós estamos assim: Andando com Deus?

 O conceito de Deus é diferente dos nossos. Para o mundo uma pessoa é justa, santa e perfeita quando não comete nenhum erro. Para Deus esta pessoa é assim quando ela decide primeiro andar com Ele. Segundo quando decide fazer da pessoa de Jesus a coisa mais importante da sua vida. Terceiro quando compreende tudo o que Jesus fez por ela na cruz. Quarto quando sente dor por todo o sofrimento que o seu pecado causou a Jesus.

ANDANDO COM DEUS

Há um ditado popular que diz o seguinte: “Diz-me com quem andas e te direis quem és”. Eu digo:

– Anda com Deus e te direi quem és!

Perfeito para Deus á alguém que diz:

– Eu te amo Senhor, sem ti minha vida não tem sentido. Ajuda-me a andar contigo.

Quando em nosso coração isto acontece, Deus segura a nossa mão fraca. Não com outra mão fraca e sim com sua mão poderosa. A partir daí o Pai já não olha para as nossas fraquezas. Ele vê Jesus em nós, e vai tirando nossas fraquezas. Ele começa a enxergar algo sendo transformado em nós. E o que é que está fazendo efeito? A vida de Cristo em nós.

Deus vai avaliar nossa perfeição de acordo com o tipo de relacionamento que temos com Jesus. Qual tem sido o nosso tipo de relacionamento com Jesus?

Vamos perceber que há coisas que gostamos e que Ele não gosta, coisas que Ele gosta e de que não gostamos. O que devo fazer é: Devo fazer o que Ele gosta e deixar de lado aquilo que Ele não gosta. Não deixar de lado por dor ou obrigação, mas com gratidão. Nossa presença aqui hoje é motivo de uma gratidão extraordinária. Devemos declarar nossa gratidão para alegrá-lo, para trazer satisfação a Ele.

Deus é tão maravilhoso, mas o maior beneficiado sou eu. Ele quer o melhor para mim, pois sua vontade é boa, perfeita e agradável. Podemos ficar distantes deste Jesus?

CONCLUSÃO

Já erramos muitas vezes em nossas vidas. Mas não devemos andar com a culpa no coração. Quando decidimos entregar toda a nossa vida ao Senhor, Ele nos perdoa todos os nossos pecados. Quantos de nós já não pecamos hoje? O Senhor nos olha através de Cristo e nos diz: “Já está perdoado”. É como uma criança que pega na mão de seu pai. Um dos meus filhos levou uma bolada, certa vez, quando andávamos na rua e ele segurava na minha mão. Muitas vezes pensamos que não vamos conseguir, mas o Pai nos pega pelas mãos. Convoco-te a ter o Senhor sempre contigo, ter a Palavra que é instrução contigo. Segurar nos braços do Pai. Este é o segredo. O segredo de Davi, Abraão, Noé: Segurar no braço do Pai.

Nossa vida com Jesus é algo de nos levantar e dizer: Glorificado é o Senhor Jesus!

Judas 24, 25

Nossas indicações de livros pra 2022

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.