Um Filho Favorito que se Torna um Escravo

Um Filho Favorito que se Torna um Escravo

PDF | 0 downloads | 326,7 KB

Um Filho Favorito que se Torna um Escravo

Um Filho Favorito que se Torna um Escravo

Escrito por: Edward Hughes
Ilustrado por: Byron Unger; Lazarus
Adaptado por: M. Kerr; Sarah S.; Alastair P.
Traduzido por: Judith Menga
Produzido por: Bible for Children
www.M1914.org
©2020 Bible for Children, Inc.
Autorização: Você tem o diretio de copiar ou imprimir esta história, desde que não seja comercializado.


Isaque estava muito feliz. Seu filho Jacó voltara para casa. Até mesmo Esaú reconciliou-se  com Jacó, o irmão que uma vez ele prometera matar. Mas os filhos de Jacó não eram felizes porque José, seu irmão mais novo, era o favorito do pai.

Os irmãos de José o odiaram mais ainda quando souberam o que ele havia sonhado.  Sonhei que estávamos no campo, e o meu feixe de grãos se levantou, e os seus feixes se curvaram em honra diante dele”, contou-lhes José. Este sonho significava que José seria mais importante do que seus irmãos.

No segundo sonho de José, o sol, a lua e as estrelas se inclinavam para ele. Até mesmo seu pai Jacó ficou zangado com ele por se colocar acima de seus pais e irmãos. Um dia, Jacó enviou José para o campo onde seus irmãos cuidavam de seus rebanhos. Seus irmãos o viram chegando. “Vamos matar o  sonhador”, murmuraram. José não sabia o perigo que estava correndo.

Ruben, o irmão mais velho discordou. “Nós não devemos derramar sangue”, disse ele. “Veja, aqui está um poço. Deixem-no ali para morrer!” Ruben planejava voltar à noite para libertar José. Quando José chegou, seus irmãos o agarraram e lhe tiraram a capa colorida que Jacó tinha feito especialmente para seu filho favorito. Em seguida, eles o jogaram no poço horrível.

Enquanto Ruben estava ausente, uma caravana de camelos se aproximava em seu caminho para o distante Egito. “Vamos vender José”, exclamou Judá, seu irmão. O acordo foi feito. Eles venderam José por vinte moedas de prata. Triste e amedrontado, José sofreu, sem poder fazer nada,  marrado a um camelo foi levado para longe de sua família e da sua pátria.

“Esta é a capa de José? Está cheia de sangue. Nós a encontramos no deserto.“ Os irmãos cruéis permitiram que Jacó acreditasse que um animal selvagem havia matado seu filho favorito. Jacó rasgou as suas vestes e lamentou. Ninguém poderia consolá-lo. No Egito,José sentiu medo e solidão.  Talvez ele desejasse muito ir para sua casa. Mas ele não poderia escapar. Era um escravo na casa de Potifar, um egípcio importante. Potifar viu que  José sempre trabalhava duro e era digno de confiança.

“Tudo que você faz dá certo”, disse Potifar a José, certo dia. “Deus está com você. Eu quero que você seja o mordomo da minha casa, encarregado de todos os meus negócios e mestre de todos os meus outros servos.” Deus deu a Potifar boas colheitas e muitas riquezas por causa de José. Agora José era um homem importante, e ainda confiava e servia a Deus fielmente. Mas José tinha um problema.

A mulher de Potifar era uma mulher má. Ela pediu a José para tomar o lugar de seu marido. José recusou. Ele não iria pecar contra Deus traindo a confiança de Potifar. Quando a mulher tentou forçá-lo, ele correu. Mas ela segurou a capa de José. “O seu escravo me atacou”, reclamou a mulher de
Potifar. “Veja, aqui está a capa dele!” Potifar ficou furioso. Talvez ele soubesse que sua esposa estava mentindo. Mas ele tinha que fazer alguma coisa. O que ele poderia fazer?

Potifar colocou José na prisão. Embora ele fosse inocente, José não ficou amargurado ou zangado. Talvez ele estivesse aprendendo com seus sofrimentos que não importa o lugar onde ele estava, se honrasse a Deus, Deus iria honrá-lo – mesmo na prisão.

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.