Verdades bíblicas sobre o amor, o que Deus considera muito importante!

Não importa o quanto já lemos ou ouvimos sobre o amor, o verdadeiro teste para nós não é o quanto o conhecemos, mas sim a nossa prática. Jesus foi muito enfático, não nos deixou opção: seus discípulos têm a necessidade de serem reconhecidos pelo amor, João 13:34-35.

Se a questão do amor é tão importante ao ponto de ser um mandamento de Jesus, vale a pena examinarmos o quanto temos praticado este mandamento do Senhor.

É muito fácil se relacionar com as pessoas que tem os mesmos gostos que nós. Mas, se relacionar com pessoas muito diferentes de nós é prova de nossa maturidade.

Verdades bíblicas sobre o amor (o que Deus considera muito importante):

1. O amor não é um sentimento, Colossenses 3:13-14, Efésios 4:32. Muitas pessoas compreendem o amor como sendo um sentimento que se possui ou não. Um sentimento que surge independente de nossa vontade. Se o amor fosse um sentimento não poderia ser uma ordem de Jesus. O amor é obra, é atitude. Em Colossenses 3.14 a palavra nos diz “se revestir”, ou seja, o amor é como uma roupa que vestimos. No mundo não é fácil pensar em amar uma pessoa difícil, mas no reino não é assim.

2. O amor foi manifestado e derramado em nós, 1 João 3:18, 4.9-10 e Romanos 5:5. Todo nós que recebemos ao Senhor Jesus temos o amor, temos a fonte geradora do amor. Resta-nos manifestar este amor de forma prática. Deus é Deus dos impossíveis, ele pode fazer o amor fluir em nosso coração. Deus faz este amor fluir em nós mesmo quando alguém fala mal de nós. Então, amaremos não só aqueles que nos são simpáticos, Ele nos faz amar as pessoas difíceis, 1 Coríntios 1:18.

3. Jesus é amor. Jesus é o próprio Deus e Deus é amor, se Jesus vive através de nós, nós podemos amar a qualquer pessoa, inclusive aquela com a qual temos uma barreira. O amor que o mundo entende é amor dedicado aos simpáticos, mas o Senhor nos manda ir além do que o mundo acha. Nós temos uma dívida com qualquer pessoa que se aproximar de nós, e esta dívida é o amor, Romanos 13:18. O nosso grande desafio está em praticar o amor por aqueles que não nos inspiram o amor, até por pessoas que nos caluniam e perseguem. Há pessoas que, ao chegarem perto de nós, o nosso primeiro impulso é nos desviar delas. A bíblia não nos ordena conviver intimamente com qualquer pessoa, mas nos ordena que amemos sem distinção. Devemos demonstrar este amor nos nossos relacionamentos: na escola, no trabalho, em casa, e até com as pessoas mais difíceis.

– O ponto de partida para mudarmos nosso comportamento, o nosso amor pelas pessoas, é lembrarmos que cada pessoa é importante para Deus. Será que também não éramos tão complicados quando nos falaram de Jesus pela primeira vez?

O frentista do posto de gasolina é importante para Deus, a garçonete, meu vizinho “chato”, o motorista mal educado, o irmão murmurador, aquele que fala demais, o sisudo que não fala nada e o temperamental (aquele que tem um pavio curto). Deus ama a todos, inclusive a pessoa difícil de relacionar. Se ele é amado por Deus, ele se torna um alvo para ser amado por mim.

Os diversos tipos de amor e o amor-ágape.

Em português temos a palavra amor e ela significa vários sentimentos. No original bíblico (em grego), há quatro maneiras de descrever a palavra amor:

  • Eros (no sentido de união sexual);
  • Fileo (amizade);
  • Storge (amor entre os relacionamentos da família – entre pai e filho, tio e sobrinho, etc.);
  • Ágape (amor irrestrito).

Este amor-ágape não faz parte da reação natural do ser humano. Ele só e possível através da ação de Deus.

Através deste amor amamos não porque a pessoa seja digna, ou seja, simpática a nós. É um amor que ama “apesar de”:

• Apesar de no passado você ter falado mal dos cristãos, o Senhor te ama.

– O amor de mãe é o amor que mais se aproxima do amor-ágape. Muitas vezes negligenciamos a prática do amor, embora muitas vezes vivamos de maneira ética e moralmente aceitável, 1 Coríntios 13:1-13:

“1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. 4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; 10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. 11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.”

– Só podemos transmitir este amor-ágape se estivermos alicerçados em Jesus, Efésios 3:17-19.

Quando entendermos o amor de Jesus (este amor que O levou ao ponto de abrir mão de sua glória e sujeitar-se a ser não só igual a nós, mas também a ser humilhado e afrontado), entenderemos o que é o verdadeiro amor.

Duas atitudes.

Há duas atitudes práticas que nos ajudarão a expressar o amor-ágape

1. Mudar o foco do nosso pensamento.

No ser humano o primeiro pensamento é o natural, a primeira coisa dele é pensar em si mesmo. O pensamento de Jesus foi diferente – ele pensou nas pessoas. O critério de Jesus foi oposto, Filipenses 2:4-5. Quando decidimos amar com o amor-ágape, não olhamos para os outros de acordo com as suas necessidades: ora com aceitação, ora ignorando-os. Percebemos que aqueles que menos despertam em nós sentimentos amorosos são os que mais precisam do nosso amor. Já percebemos como Deus coloca pessoas difíceis em nossas vidas? Deus quer nos usar para se achegar a elas. Precisamos nos aproximar do outro não aceitando pensamentos de rejeição em nosso coração. Devemos receber as pessoas com disposição para ouvir, sem irritação.

2. Exercer o amor-ágape é também uma mudança de pensamento que leva a prática.

Se olho a pessoa de forma amável, fica mais fácil amá-la de forma prática. Isto ocorre quando mudamos o nosso pensamento e sentimento sobre alguém. Isto não acontece da noite para o dia, é necessário perseverar. Em algumas situações precisamos mudar nossas atitudes mesmo que não consigamos ter pensamentos ou sentimentos por aquela pessoa que nos fez algum mal. É isto hipocrisia? Não. Jesus nos manda amar mesmo que em nós ainda não haja mudança nos nossos sentimentos, Lucas 6:27-28. O Senhor quer então Ele nos faz mudar. Ex.: Maridos – se ficarmos esperando ter um sentimento amoroso por nossa esposa, para só então demonstrarmos uma atitude gentil e amável, vamos perder o nosso casamento! Esposa – ela diz: estou esperando um sentimento romântico, quando este sentimento chegar serei carinhosa com o meu marido. Não aceite isto. Pule esta barreira.

-Tenha uma atitude de amor, não espere o sentimento chegar. Faça a sua parte. Precisa haver uma atitude de amor e o Senhor vai gerar em nós isto em nós.

Amor: uma sensação melosa?

Jesus em nenhum momento nos fala que devemos esperar sentir uma sensação mais melosa. Ele nos fala que devemos por nossa própria vontade amar as pessoas. Devemos amar a todos que se aproximam de nós.
Um testemunho
Uma vez tive que disponibilizar um bem para uma pessoa que no passado me fez muito mal. No início foi difícil, mas o Espírito Santo começou a agir comigo, mudando a minha atitude para com aquela pessoa e pude dar o bem sem esperar nada em troca. Foi uma mudança de atitude.

Conclusão

Fernando¹ uma vez nos disse que “o crer da bíblia não é apenas acreditar, ele conduz a mudança no modo de viver. Não há fundamento bíblico em um crer que não produz uma nova vida”. Se estou aqui hoje, e não creio que a palavra pode surtir este efeito em mim (este amor-ágape em mim), o que é que estou fazendo? Devo ser praticante da palavra e não apenas ouvinte, Tiago 1:22. Tudo que foi dito aqui é Reino de Deus: é para ser praticado. Nossos lares devem transbordar neste amor de Deus. Existem pessoas que precisam deste amor que há em nosso coração. No trabalho, no lar, onde formos precisamos exalar este amor de Deus.

Precisamos agir com amor mesmo com aqueles que nos perseguem, 2 Coíntios 13:5.

Se estamos reprovados quanto ao amor, qual o caminho a tomar? O caminho do arrependimento.
______
1- Fernando Leão, um dos presbíteros em Recife-PE. Esta afirmação compõe a ministração do dia 25/02/2010 – A apostasia dos últimos dias.

Culto ministrado por Joel Jordão

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.