Um convite para conhecer ao Senhor

Neste início de ano (2012), tenho sentido um clamor em meu coração. Creio que é, mais uma vez, o nosso Pai incansável de amor a convidar-me a conhecê-lo melhor. Desde os meus 11 ou 12 anos que ouço a sua doce voz, e hoje, aos 39 anos completados recentemente, vejo que ainda não correspondi plenamente a este convite.

Neste início de ano (2012), tenho sentido um clamor em meu coração. Creio que é, mais uma vez, o nosso Pai incansável de amor a convidar-me a conhecê-lo melhor. Desde os meus 11 ou 12 anos que ouço a sua doce voz, e hoje, aos 39 anos completados recentemente, vejo que ainda não correspondi plenamente a este convite. Textos como Sl 27.8 ou 42.1, sempre me fizeram refletir muito. Há 20 anos, eu era um jovem sonhador. E com que eu sonhava? Sempre sonhei com Ele, sempre o desejei. Sonhava como estaria hoje, 20 anos depois. Com tristeza verifico ao me olhar no espelho, que não correspondi com as minhas próprias expectativas de 20 anos atrás. Hoje sinto o Senhor renovando em mim este chamado e gostaria de compartilhá-lo com você esta manhã. Mais uma vez eu o ouço dizendo: Rapaz, chegou a hora de parar de brincar de ser discípulo e levar isto realmente a sério.

Conheçamos e prossigamos em conhecê-lo, Os 6.3

Este é um convite a todos nós, e a falta deste conhecimento traz prejuízos seriíssimos em nossas vidas. Vejamos o que diz Os 4.6. Existem 03 dimensões possíveis para “povo de Deus”: a igreja, uma nação e o lar. Então a falta de conhecimento por parte do sacerdote pode levar a destruição da igreja, nação e até de um lar. Não fique desapercebido, querido: O nosso lar pode estar sendo destruído neste exato momento, e a culpa não é de Satanás, é minha, é sua! Não vai adiantar amarrar ou tentar expulsá-lo, o responsável por esta destruição sou eu, é você!

O texto de Os 4.6 fala dos sacerdotes, e é domínio público que todos nós individualmente somos sacerdotes do Senhor, 1Pe 2.9. Então não há desculpas.

Há duas características que desejo salientar neste processo de conhecer ao Senhor: O primeiro é que somos chamados para sermos amigos de Deus como, por exemplo, foi Abraão: Gen 18.17-21, Jo 15.15 e Amós 3.7.

Um discípulo de Cristo não é um simples seguidor dos seus mandamentos e leis. É um amigo dele. É uma grande honra: Somos chamados a um relacionamento pessoal com Cristo. Não podemos viver somente de conhecer os seus mandamentos. Estaríamos perdendo o melhor da vida cristã. Se alguém não se relaciona com Deus, mesmo que cumpra alguns de seus mandamentos, é um “religioso”. Alguém pode conhecer as palavras de Deus e não conhecer a Deus, Mt 2.1-6.

A segunda coisa é que também não podemos viver apenas da comunhão com os irmãos, embora isto seja algo muito importante. Necessitamos de um relacionamento pessoal e intenso com o Senhor.

Não podemos substituir o relacionamento com Deus por nada nesta vida. Nem pelo relacionamento com os irmãos. Jo 17.3.

O mais importante no presente e na vida futura é conhecer a Deus. Passaremos a eternidade nos relacionando com ele e conhecendo-o melhor. Nos céus, isto será tudo: relacionar-se com o Senhor, conhecê-lo e amá-lo cada vez mais. E, já nesta vida, não há nada melhor do que desenvolver este conhecimento. Que aventura tremenda e desejável: conhecer e relacionar-se com o amado e Todo-poderoso Deus do Universo. Nesta vida, nada se compara ao relacionamento com Deus.

À medida que desenvolvermos este relacionamento, os momentos com o Senhor se tornarão mais prazerosos, até que chegará um dia no qual não existirá outra coisa que desejaremos fazer mais do que desfrutar dessa comunhão.

Como podemos conhecer a Deus?

Na criação podemos conhecer a Deus parcialmente. Olhamos as estrelas, a natureza, os animais e tudo mais e podemos dizer que há um Deus. “Os céus manifestam a glória de Deus” (Sl 19.1), mas não o seu caráter, sua santidade, sua graça, sua vontade, etc. Portanto não podemos conhecer a Deus plenamente nela.

O caráter de Deus pode ser conhecido parcialmente por sua Palavra. Através das Escrituras discernimos seu caráter, poder, santidade, etc. Mas não podemos experimentar. Mas é no Filho que temos a revelação total e plena de Deus. Hb2:9, 2Co4:6, Hb1:3 e Cl1:15.

Só podemos conhecer plenamente a Deus, conhecendo plenamente o Filho de Deus. O Verbo eterno se tornou existente no tempo e espaço para que Deus se tornasse conhecido.

Como posso reconhecer a voz de Deus?
Creio que esta é uma pergunta que fazemos pelo ou menos uma vez nesta vida: Como posso reconhecer a voz de Deus? Orville Swindoll, que foi presbítero em Buenos Aires-ARG, testemunhou o seguinte:

“- Como posso reconhecer a voz de Deus? Uma senhora perguntou-me intrigada. Usando as palavras de Jesus, respondi:
– As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço e elas me seguem. Então ela continuou:
– Eu tenho um problema. De acordo com suas palavras, deve ser fácil de ouvir a voz do Senhor, mas francamente não é uma coisa muito comum na minha experiência. Fiz-lhe uma pergunta simples:
– A senhora conhece a voz do seu marido?
– Sim, respondeu ela.
– E se o seu marido estiver em um grupo de vinte pessoas, todas falando ao mesmo tempo, poderia distinguir a voz dele das outras vozes?
– Sim! Ela disse. Então eu perguntei:
– Como você consegue?! É simples, você está familiarizada com a voz de seu marido”.

Este é o segredo. Gastar tempo com Ele, nos familiarizarmos com a sua voz, nos relacionarmos com Ele.

Não podemos ter planos próprios, sonhos próprios – Is 55.7-9
Uma coisa que dificulta conhecer ao Senhor é ter planos próprios. É simples: Deus ao se revelar a nós, ele nos revelará também a sua vontade, Deus só vai revelar a sua vontade a quem tem interesse em realizá-la. Para que Deus vai se revelar a mim, se eu tenho outros planos para mim mesmo. Isto me lembra os versos de uma canção:

“Quanta coisa tenho feito para o meu próprio prazer / tenho andado a procura do meu próprio bem viver
enquanto existe tanta gente ansiosa por aí /não te conhecendo assim como eu conheço a ti
O chamado que um dia tu fizeste a mim / e ao qual sem hesitar eu disse sim
ressoou em meus ouvidos como da primeira vez /e a ti Jesus eu novamente digo sim
eis-me aqui eu livre estou ao teu dispor / para onde tu quiseres me enviar
me coloco submisso a ti senhor / para o teu querer em mim realizar”

Acerca de Jesus, ao vir ao mundo diz que veio só para fazer a vontade de Deus, Heb 10.5-7.

Jesus ao encarnar veio sem sonhos próprios, sem idéias, sem pensamentos, sem planos. Este princípio se manteve em vigor desde o início até o fim de sua vida, mesmo aos doze anos de idade, disse à sua mãe: Você não percebe que eu tenho que cuidar dos negócios de meu Pai. Lucas 2:46-49. Como se dissesse: Eu não estou aqui para desenvolver a minha vida da melhor forma que eu acho.

E como Ele foi enviado, nós também somos, Jo 17.18

Devemos aceitar este envio: sem sonhos próprios, sem idéias, sem pensamentos, sem planos. Na escola do Espírito, o que faz progresso mais rápidamente é aquele que se rende ao controle de Deus.

Conhecer é experimental
O que significa na bíblia a palavra conhecer? Nós vivemos no mundo ocidental, de cultura greco-romana, onde a palavra conhecer está ligada ao intelecto. Assim corremos o risco de querer conhecer a Deus intelectualmente, entender tudo sobre ele.

Mas a bíblia foi escrita no contexto da cultura hebraica. Jesus e os apóstolos eram judeus. Embora a língua usado no Novo Testamento seja o grego, o contexto é hebraico. E em hebraico, a palavra conhecer tem um significado diferente, muito mais amplo. Vejamos: Gn4:1, Mt1:24-25 e Lc 1.34.

Como não “conheço varão”? E seu pai, amigos, irmãos?

A palavra conhecer no contexto bíblico tem o sentido de experimentar. Conhecer a Deus é experimentá-lo. É ter um encontro com Ele, uma união total, profunda e íntima!

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32). Não é entender intelectualmente a verdade. É experimentar a verdade.

Chorem os ministros
Estes têm sido dias de reflexão para a minha vida. Não são tempos festivos, mas tempo de arrependimento, tempo de mudança de atitude interior, tempo para prantear e chorar diante dEle. Tempo para que de fato eu o busque em espírito e em verdade, e não apenas de lábios. Para que o meu amor por Ele não seja só de aparência, de fachada. Os 6.4; Jl 2.12-18 e Tg 4.1-10.

Conclusão
Nestes dias, tenho sido chamado pelo Senhor a estar com Ele. E se você, assim como eu, saiu do caminho e parou de se comunicar com o Senhor por ter desobedecido ao seu chamado, lembre-se este texto: Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça, 1 João 1:9. Por este caminho podemos voltar: “Senhor, eu pequei. Eu perdi o caminho. Mas vim a ti confessando o meu pecado”. E o Senhor nos perdoará. O Senhor é misericordioso, Os 6.1-2.

Fontes:

1. Apostila 4 – Comunhão com Deus – Salvador-BA
2. Conhecer a Deus – Jorge Himitian
3. ¿Cómo Conocer la Guía del Espíritu Santo?, por Orville Swindoll. Publicado originalmente na Revista “Encuentro en Cristo” Nº 16 (Setembro-Outubro 1988), com o título “¿Qué tiene que ver un automóvil con la voz de Dios?”.

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.