Textos de Provérbios para as Mulheres

Provérbios 11: 16 A mulher graciosa alcança honra, como os poderosos adquirem riqueza.

Provérbios 11:22 Como jóia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa que não tem discrição.

Provérbios 12:4 A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que procede vergonhosamente é como podridão nos seus ossos.

Provérbios 14:1 A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba.

Provérbios 18:22 O que acha uma esposa acha o bem e alcançou a benevolência do SENHOR.

Provérbios 19:13 O filho insensato é a desgraça do pai, e um gotejar contínuo, as contenções da esposa.

Provérbios 19:14 A casa e os bens vêm como herança dos pais; mas do SENHOR, a esposa prudente.

Provérbios 21:9 Melhor é morar no canto do eirado do que junto com a mulher rixosa na mesma casa.

Provérbios 21:19 Melhor é morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e iracunda.

Provérbios 25:24 Melhor é morar no canto do eirado do que junto com a mulher rixosa na mesma casa.

Provérbios 27.15-16 O gotejar contínuo no dia de grande chuva e a mulher rixosa são semelhantes; contê-la seria conter o vento, seria pegar o óleo na mão.

Provérbios 30.21-23 Sob três coisas estremece a terra, sim, sob quatro não pode subsistir: sob o servo quando se torna rei; sob o insensato quando anda farto de pão; sob a mulher desdenhada quando se casa; sob a serva quando se torna herdeira da sua senhora.

Provérbios 31.10-31 Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias. O coração do seu marido confia nela, e não haverá falta de ganho. Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida. Busca lã e linho e de bom grado trabalha com as mãos. É como o navio mercante: de longe traz o seu pão. É ainda noite, e já se levanta, e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas. Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com as rendas do seu trabalho. Cinge os lombos de força e fortalece os braços. Ela percebe que o seu ganho é bom; a sua lâmpada não se apaga de noite. Estende as mãos ao fuso, mãos que pegam na roca. Abre a mão ao aflito; e ainda a estende ao necessitado. No tocante à sua casa, não teme a neve, pois todos andam vestidos de lã escarlate. Faz para si cobertas, veste-se de linho fino e de púrpura. Seu marido é estimado entre os juízes, quando se assenta com os anciãos da terra. Ela faz roupas de linho fino, e vende-as, e dá cintas aos mercadores. A força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã, não tem preocupações. Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua. Atende ao bom andamento da sua casa e não come o pão da preguiça. Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa; seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas. Enganosa é a graça, e vã, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e de público a louvarão as suas obras.

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.