Testemunho de Almira Farias

Na faculdade, encontrei um grupo de cristãs e com elas li todo o evangelho de João. A Bíblia diz: conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Embora não tivesse ainda tido revelação de toda a verdade, passei a sentir a presença de Deus.

Testemunho de Almira Farias

Almira e Fábio Farias

Meu nome é Almira Magalhães de Vasconcelos Farias, casada com Fábio José de Farias e mãe de três filhos, Victor, Bianca e Caio. Sou a filha mais nova de uma família de sete filhos. Sou, pela Graça e Misericórdia do Senhor, filha de Deus.

Eu nasci e cresci num lar bastante complexo, com amor e princípios morais, porém também com muitas brigas e confusões. Um lar com pessoas muito tementes a Deus e religiosas, porém sem muita vida diária com Ele. Foi nesse contexto que o Senhor me buscou para conhecê-Lo mais de perto e para viver para Ele.

Ele me chamou quando era muito pequena, por volta dos 6 anos de idade, e fez isso abrindo a minha visão espiritual para que eu visse um anjo. Isso mesmo, um anjo, com asas e tudo. Havia uma irmã mais velha comigo no local e ela ainda se lembra da minha voz afirmando estar vendo um anjo e apontando para ele e ela nada conseguindo ver.  Essa visão, que muitas vezes me fez chorar emocionada, nunca saiu da minha mente, ainda me recordo dela com todos os detalhes.

Quase todos os domingos, íamos para a missa. Eu gostava muito, gostava também de cantar os louvores em casa e chorava assistindo aos filmes sobre a paixão de Cristo que passavam na TV. Fiz a primeira comunhão com muito temor a Deus e respeitava bastante os meus pais. As brigas e dificuldades na minha casa continuavam.  Ainda na infância fui atormentada por pesadelos, às vezes também sentia algo muito ruim dentro de casa e tinha medo. Hoje sei que era uma presença maligna.

Com 12 anos, tive paralisia facial, fiquei com o lado direito do meu rosto totalmente paralisado por quase um ano inteiro, o que fazia com que minha boca ficasse completamente torta quando eu falava ou simplesmente sorria. Que coisa difícil bem na pré-adolescência. Era caçoada na escola, tornei-me introspectiva e ainda mais estudiosa. Eu briguei com Deus diante do espelho. Chorando muito, questionei porque Ele tinha feito isso comigo, tirado de mim o direito de sorrir, e disse que não queria mais saber Dele. Como o Senhor é bom e misericordioso!  Ele não mandou um raio naquele momento para me consumir, pelo contrário, voltou os seus olhos para mim e fez essa experiência contribuir muito para que eu me tornasse uma pessoa diferente da multidão, mais cuidadosa com os sentimentos dos outros e que sabia que a felicidade estava nas pequenas coisas.

Continuava seguindo minha vida, participando com entusiasmo e emoção da crisma e outras atividades da igreja, porém os efeitos acabavam logo quando eu voltava para casa, pois de novo me envolvia nas brigas e fazia o que eu queria e não o que era certo diante de Deus. Foi quando tive dois sonhos com o final dos tempos e a volta de Jesus. Eu não lia as Escrituras, apenas as leituras feitas nas missas, então não sabia nada sobre esse assunto. Pelo contrário, a Bíblia aberta era um enfeite empoeirado na minha casa do qual eu tinha até medo de me aproximar. Mas, o Senhor me deu esses dois sonhos, um a continuação do outro. No último, creio que o Senhor me fez adormecer, pois era dia e eu nunca dormia durante o dia nessa época. No final desse último sonho, uma grande bola de fogo descia do céu e pregava no meu braço. Nela tinha escrito “Reino de Deus”.

Embora impactada, segui com minha vida sem grandes mudanças. Comecei a participar do movimento carismático da igreja católica. Entrei na universidade e lá fiz parte de um grupo de leitura da Bíblia semanal, juntamente com outras meninas. A maioria delas era evangélica, mas não discutíamos religião. Fizemos um estudo baseado no Evangelho de João. Foi uma benção na minha vida.  Comprei minha primeira Bíblia pessoal e pela primeira vez experimentei a verdadeira alegria, uma alegria celestial, indizível e cheia de glória. Como o céu estava lindo naquele dia em que eu voltava para casa no ônibus, abraçada com a Bíblia comprada.  Como me sentia atraída por Deus. A Palavra diz, conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Sozinha, lendo a Palavra, percebi que não era correto o culto a Maria e a santos, simplesmente porque Jesus não tinha falado nada sobre aquilo. Se fosse importante, Ele teria falado, pensei eu na época. Então nas missas, passei a apenas cantar uma parte das músicas e repetir apenas o que eu achava correto e só orava para Jesus. Como eram boas as nossas reuniões e vigílias de orações, quantos frutos maravilhosos daquele grupo de estudantes sedentas por Deus! Entendi o sacrifício de Jesus por mim e que Ele era o meu salvador, mas não sabia exatamente de que estava sendo salva. Achava-me uma boa pessoa, não tinha consciência da miséria da minha carne, nem sabia o que significa o senhorio de Jesus em nossas vidas.

A universidade acabou e o grupo aos poucos foi se desfazendo. Ainda tentávamos nos encontrar de vez em quando, mas a vida fez cada uma seguir o seu caminho distante da outra. E assim eu fui me distanciando também de Deus, tornando-me cada vez mais independente Dele.  Namoro, lazer, casamento, trabalho, filhos e eu cada vez mais cheia de opiniões próprias e cada vez mais contaminada pelo mundo, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos. Por fora, eu parecia e me sentia tão justa e correta, mas eu era como um sepulcro caiado, limpo e bonito por fora e cheia de podridão por dentro. Era escrava do pecado, estava no império das trevas e nem sabia disso. O casamento e a criação dos filhos era como achávamos melhor. Eu vivia ao sabor das minhas emoções, momentos de profunda tristeza e rompantes de alegria passageira. Um vazio que nada conseguia preencher, uma falta de sentido, de propósito para viver. Nem carreira profissional, nem dinheiro, nem filhos conseguiam preencher esse vazio ou ser esse propósito.  Eu tinha tudo isso, mas não tinha Jesus, não tinha nada.

Porém, no meio de tudo isso, eu tive mais uma experiência forte com o Senhor. Foi quando meu primeiro filho tinha apenas um ano e eu planejei engravidar e engravidei de fato do segundo filho. Mas, tive um aborto espontâneo e percebi que na verdade não tinha controle de nada apesar de estar querendo ser o deus da minha própria vida. Entre muitas lágrimas de dor na alma, fui ler a Bíblia, esquecida por tanto tempo, e o Senhor me deu o texto:

“Agora, pois, ouve, ó Jacó, servo meu, ó Israel, a quem escolhi.

Assim diz o SENHOR, que te criou, e te formou desde o ventre, e que te ajuda: Não temas, ó Jacó, servo meu, ó amado, a quem escolhi.

Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes;

e brotarão como a erva, como salgueiros junto às correntes das águas.

Um dirá: Eu sou do SENHOR; outro se chamará do nome de Jacó; o outro ainda escreverá na própria mão: Eu sou do SENHOR, e por sobrenome tomará o nome de Israel.” (Isaías 44.1-5)

Tal qual o Senhor disse, tal qual aconteceu. Ele me deu exatamente três filhos, os três hoje são cheios do Espírito Santo e pertencem a Ele. Com isso aconteceu? Após viver anos da forma que eu descrevi, independente de Deus e fazendo o que era mau perante seus olhos, finalmente me converti completamente, com todo entendimento, em 2005. O Senhor levantou um filho seu no meu local de trabalho que resplandeceu a luz de Jesus para mim. Ele realmente foi sal e luz na minha vida. Outro, também de lá, presenteou minha filha com o DVD de um desenho cristão que mexeu comigo e me fez enxergar o quanto eu tinha me afastado de Deus. Que saudade Dele! O seu amor nunca me deixou. Um amor perfeito que sempre esteve repousando em mim. Ele sempre cuidou de mim, protegeu-me e me guardou em todos os meus caminhos. Ele quem me deu tudo que eu tinha na vida, mesmo eu sendo tão ingrata. Ele continuou me amando e cuidando de mim todo aquele tempo em que virei as minhas costas para Ele. Ele me amou primeiro e me atraiu com seus laços de amor.

Em 2005, com 32 anos de idade, eu me arrependi dos meus pecados, fui batizada nas águas, entregando-me por inteira. Sem mais reservas, eu me rendi completamente ao Senhor Jesus e entreguei o governo da minha vida a Ele. Eu fui reconciliada com o Pai através de seu Filho Jesus e me tornei embaixadora do seu Reino em todo tempo e lugar. Eu nasci de novo. Recebi um novo coração, fui feita uma nova criatura. O Senhor me libertou. O pacto que eu tinha com o diabo, mesmo sem saber, foi quebrado. Eu sou do Senhor Jesus. Fui inserida no seu Corpo, na Igreja, bem vinculada, discipulada, não mais sem governo e sem direção. Comecei a me alimentar abundantemente da Palavra de Deus, a meditar sobre ela de dia e de noite e a adorar ao Senhor todos os dias. Minha mente começou a ser renovada.  Tornei-me submissa ao meu marido e passei a respeitá-lo como deveria. Passei a pedir perdão, independentemente das atitudes das outras pessoas, ou seja, seguindo a justiça de Deus e não mais a minha. Mudei completamente. Meu marido também se converteu dois anos depois e também foi batizado. Nosso casamento foi totalmente transformado, a forma que criávamos nossos filhos também. Eles também seguem o mesmo caminho que é Jesus, para o alvo que é Jesus. Agora tenho propósito na minha vida que é cooperar com o propósito eterno de Deus de ter uma grande família de muitos filhos semelhantes a seu Filho Jesus. Eu faço parte dessa família. Tenho muitos irmãos. Sou discípula de Jesus e faço discípulos para Jesus, tal qual Ele nos ordenou. Sou cuidada e cuido de vidas e tenho misericórdia pelos perdidos. Eles também precisam ser encontrados como um dia eu mesma fui. Continuo fraca, continuo falha, dependente da misericórdia de Deus e do seu perdão. Todos os dias, preciso ser resgatada de mim mesma por Jesus, mas Cristo em nós é a esperança da glória. Não tenho nada bom de mim mesma. E, quanto mais caminho no Senhor, mas conheço a podridão da minha carne. Mas, Ele é fiel para completar a boa obra que começou em nós. As lutas são muitas, o caminho é estreito, mas tudo nós podemos Naquele que nos fortalece.

Que os nossos olhos estejam em Jesus até que Ele volte para nos buscar e assim estejamos com Ele eternamente. Amém.

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.