Se o Senhor não Guardar a Casa, em vão Vigia a Sentinela

Se o Senhor não Guardar a Casa, em vão Vigia a Sentinela

Há alguns anos atrás, no início de nosso casamento, minha esposa Rosana e eu fomos morar em um pequeno apartamento na periferia de Porto Alegre. O prédio ficava colado a uma favela chamada Divinéia, aonde havia um alto índice de criminalidade e até mesmo a policia tinha dificuldade de entrar.

Sempre fomos cautelosos com nossa entrada e saída de casa, assim como, com nosso carro, que dormia na rua em frente ao prédio, com sete chaves e correntes. Entretanto, os cinco anos que ali passamos foram na maior tranqüilidade. Até mesmo um fato inusitado lembro ter acontecido que ilustra o texto, tema desse artigo.

Fui acordado por alguém tocando a campainha às 02h da manhã, perguntando se o Opala amarelo era meu. Respondi que sim e ele disse: o Senhor pode descer aqui? Logo pensei que meu carrinho foi arrombado ou furtado. Quando porém cheguei ao portão, um senhor de aparência simples declarou: passei por de trás de seu carro e vi que a chave estava no porta malas e então toquei no seu vizinho. Ele foi quem me deu seu número do apartamento, concluiu. Agradeci e vi o homem ou anjo adentrar na ruela que levava à vila. Então disse comigo mesmo: “Se o senhor não guardar a casa, em vão vigia a sentinela” – Salmos 127: 1b.

Hoje, muito mais do que há 31 anos atrás, vivemos em uma sociedade perigosa. Os ladrões deixaram de ser apenas físicos mas se tornaram também virtuais. Os mais perigosos, contudo, continuam sendo os espirituais, que vem para roubar, matar e destruir, como foi declarado por Cristo em João 10:10.

Tenho tido o constante cuidado de vigiar minha casa, física e espiritual, assim como também a de meus filhos esposa e discípulos, para ver se há qualquer brecha por onde o inimigo possa adentrar. A palavra nos ensina em 1a Pedro 5:8, que o Diabo, nosso adversário anda ao derredor para nos devorar. É uma verdadeira guerra em que Deus nos ensina como lutar e vencer.

Primeiramente através de nossa presença. Estando junto, sempre perto de nossos queridos, em oração, conselho e vigilância, somos colaboradores com o Senhor para vigiar a casa. Em segundo lugar temos que ter luz, iluminar. Ladrões não gostam de luz. De acordo com um estudo, exposto no site Âmbito Jurídico, 80% cento dos crimes de homicídio e furto e roubo contra a patrimônio, ocorrem entre 18h e 03h da madrugada, enquanto existem noite e trevas. Por isso a luz de Cristo tem que ser constante e intensa em nossa vida, pois a única coisa que vence as trevas é esta luz. E por último, ausência e trevas, geram um terceiro inimigo: o silêncio. Não aquele fruto de quietude e paz, mas o que é resultado de omissão, medo, fuga que levam o indivíduo a esconder-se para não enfrentar perigos. O som e o barulho, principalmente quando fruto de louvor, adoração e proclamação, que geram em nós gritos de celebração e alegria afugentam roubadores, tanto físicos quanto espirituais. Quando sentimos algo furtivo ao redor de nossa casa sempre fazemos um barulhinho, que quer dizer para bichos e homens: tem gente e vida em casa.

Deus nos dá a proteção e disso não podemos duvidar, mas temos que estar atentos para que a parte que nos toca seja sempre bem feita, para que possamos então dizer: se o Senhor, guardar a casa, o trabalho do sentinela nunca é em vão.

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.