Relacionamento entre solteiros na Igreja

“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: não tenho neles prazer”. Ec 12:1

Este é um assunto de inteira responsabilidade na vida da igreja. Muitos jovens, por falta de uma orientação adequada, têm ultrapassado os limites de um bom relacionamento cristão. Oramos a Deus para que Ele nos conduza a fazer a sua vontade.

Antes de qualquer outro tipo de relacionamento, devemos saber que somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros (Romanos 12:5). Assim como um membro coopera com outro, devemos cooperar com os irmãos (Efésios 4:16).

A base bíblica para este ensino é tudo que conhecemos sobre santidade e pureza.

“A Vontade de Deus é que vocês sejam santificados: se abstenham da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o próprio corpo de maneira santa e honrosa, não como a paixão de desejo desenfreado como os pagãos que descobrem a Deus. Neste assunto, ninguém prejudique a seu irmão nem dele se aproveite”. 1 Tessalonicenses 4:3-6

I. Faremos um contraste entre a visão do mundo e a visão das escrituras:

1. A visão do mundo

O sexo fora do casamento é normal;
Crescemos aprendendo isso: através de filmes, novelas, nas escolas, propagandas;

Motivações que conduzem a esse relacionamento:
Beleza, dinheiro, bens…;

O que o outro pode oferecer…
satisfação dos desejos: carinho (carícias), afirmação e sensualidade.

Aqui é a alma quem dá as ordens. As motivações não poderiam ser mais egoístas.

2. A visão das Escrituras

· O “namoro” é algo criado pelo diabo e muito aceito pelo homem, pois lhe dá direitos que só teria quando casado. Olha só o que o dicionário diz sobre namorar:
·
Ø Namorar = desejar muito; apaixonar; seduzir; olhar com insistência e cobiça;
Então, como as Escrituras se referem ao namoro praticado hoje? Impureza, fornicação, sexualidade, imoralidade… (Gálatas. 5:19).

Portanto, a motivação que deve estar no coração do rapaz e da moça é o casamento, não há outra direção.

Três tipos de amor (basicamente):

ÁGAPE – amor sacrificial (Jesus pela Igreja)
FILEO – amor de amizade (relacionamento de amigos)
EROS – amor sexual (homem e mulher)

Fora do casamento não há lugar para o amor “Eros”, a isso a Escritura chama de pecado. É importante enxergarmos que para Deus existem dois tipos de pessoas: as solteiras ou viúvas e as casadas.

Assim, podemos entender que entre os solteiros pode haver três tipos de dimensões de relacionamento, os quais os conduzirão ao casamento:

Amizade, Conhecimento e Compromisso.

II. Como deve ser o relacionamento entre os jovens solteiros da igreja.

AMIZADE

Não podemos esquecer que agora é o tempo para a qualificação, não para o casamento, mas como discípulo do Senhor Jesus. Se você quer encontrar alguém maduro para ter como marido, esposa, seja maduro para ser encontrado por alguém.

Deve haver um ambiente rico de amizade entre os rapazes e as moças.

  • Comunhão, relacionamento, sorvetes, oração, evangelismo, bater nas casas…;
  • Os rapazes devem aprender a ser cavalheiros, gentis, cordiais, educados;
  • Levar as irmãs em casa, abrir a porta do carro…,
  • As irmãs devem aprender a receber esse tratamento sem pensar bobagens

É verdade que a coisa anda tão escassa que quando aparece tem mais é que ficar de antena ligada…;

Os rapazes e moças solteiros devem aprender a desenvolver amizade; um sorvete, um sanduba… evitem ficar sozinhos, andem em bando.

  • Um relacionamento assim vai produzir edificação e maturidade.
  • Podem orar, edificar, profetizar, consolar;
  • Rapazes e moças precisam se conhecer para saberem como pensam, como reagem, como são diferentes, como elas são frágeis e fortes ao mesmo tempo;
  • Rapazes, vocês ainda não são cabeça…;

As “torcidas organizadas” são coisas do mundo

  • Até quando vamos continuar com isso;
  • Torcidas, armações, comentários; empurrões irresponsáveis;
  • Precisamos dar um basta nisso;
  • Muitos casados são verdadeiros criadores de problemas nesta área;
  • Devemos estimular os relacionamentos, mas nunca as paqueras. É nesse ambiente que poderá surgir algum interesse;
  • a amizade é fundamental no transcorrer da vida de casados;
  • é aqui em meio a tantas amizades que surgirá a sua escolhida ou escolhido.

AMIZADE COM OBSERVAÇÃO

A. O que muda no relacionamento?

  • Nada. Devo apenas observar; o tratamento não muda nem com ela(e) nem com os outros(as);
  • Vou desenvolver uma amizade que já existe;

B. Quais as características da observação?

  • Observa-se com os olhos e não com as mãos;
  • É discreta, invisível (é agente secreto e não paquera secreto);
  • Não devo dar dicas para quem estou observando (e muito menos se não estou observando);
  • Somente o discipulador (a) e o companheiro (a) sabem. Você não deve dar um jeitinho para que outros fiquem sabendo e formem a torcida;
  • Não deixa marcas, não há envolvimento emocional;
  • Deve ser racional;

Obs.: Os discipuladores devem acompanhar tudo, não como cupidos, mas como parte normal no processo de formação da vida do discípulo, orando, investigando, e ajudando a discernir a vontade do Senhor.

C. O que devo fazer?

Orar

  • Buscar conselho, saber o que o discipulador, companheiro, pai e mãe pensam;
  • Se ela(e) é bonitinha(o) ou não isso eu já sei, agora tenho que conhecê-la(o)
  • Seus hábitos e organizações;
  • Seus alvos, idéias, ideais e objetivos;
  • Seu temperamento: agitado, manso, calmo, impaciente, grosso, iracundo, etc.;
  • Suas peculiaridades: se é cheiroso (sem chegar perto), se ronca, se fala dormindo, se tem mau hálito, chulé…;
  • Seu relacionamento com os irmãos, discipuladores e líderes;
  • Se é trabalhador ou é preguiçoso;
  • Sua área profissional;
  • Quando tiver uma definição será pelo pacote completo.

D. Precisa de convicção

  • Não se trata de uma paixão passageira…
  • Não se trata de uma necessidade afetiva…
  • Lembre-se: “Gostar é condição necessária, mas não é suficiente para casar-se”.
  • E. O perigo da precipitação
  • Fora com as torcidas e empurrões;
  • Atos irresponsáveis podem conduzir as pessoas a desastres muitas vezes irreversíveis;
  • Você está definindo um relacionamento para o resto de sua vida, não pode haver pressa;
  • Vá devagar!!!
  • E se outro me atravessar? ALELUIA!!! Deus é soberano.

O QUE DEVO OBSERVAR? ( Sugestões )

MOÇAS RAPAZES

Ama ao Senhor Ama ao Senhor
Ajudadora e companheira Amoroso
Mansa e submissa Não é egoísta
Bom relacionamento com os pais Não é iracundo
Alegre e grata a Deus Corajoso – enfrenta provação
Não agitadora Decidido, com iniciativa
Trabalhadora e responsável Fiel e cumpridor
Ordeira e higiênica Tem as prioridades em ordem
Discreta e feminina Trabalhador e responsável

CONHECIMENTO

1. O que fazer quando surgir um interesse de conhecer alguém para assumir um compromisso futuro?

  • rapaz ou a moça, deve procurar o seu discipulador e comunicar para ele o que está se passando, falar qual a sua motivação e deixar que o discipulador procure a discipuladora da moça para saber se é correspondido.
  • Caso a moça já esteja interessada por outro irmão, o discipulador deve comunicar para o discípulo para que ele não se envolva mais e se machuque.
  • Caso haja interesse de se conhecerem, que não seja por pena (remorso, inquietação de consciência) nem por nenhum outro interesse que não seja correspondido.
  • Agora você pode deixar de ser agente secreto e pode começar a sinalizar. Nunca sem perder a cobertura. Posso cortejar. Posso, por exemplo, mandar um cartão dizendo “admiro muito suas qualidades…” e, como no “gancho”, esperar a reação. Se nada acontecer, posso mandar outro cartão: “continuo admirando muito suas qualidades”.

A. Como deve ser este relacionamento?
Rapaz deve se sentir seguro na presença da moça e vice versa. Devem gostar de estar juntos e conversar. Devem conhecer seus pais, saber como é o seu comportamento em casa, como tratam os irmãos, se são obedientes a Deus, aos pais e aos discipuladores.

B. Qual a motivação que um casal deve ter para assumir um compromisso de casamento?
Muitos querem se casar para se satisfazerem sexualmente, ou para ter filhos, ou para ter um lar. Outros até, para satisfazerem o desejo dos pais, mas todas estas motivações estão erradas e nenhuma delas satisfaz o casamento.

O verdadeiro propósito do casamento é colaborar com o eterno propósito de Deus. “Ter uma família, de muitos filhos, todos iguais a jesus”. Gênesis 1:26–28 / Romanos 8:28–29

CHEGOU A HORA DA DECISÃO

  • Você precisa responder três perguntas?
  • Você já a(o) conhece o suficiente para assumir um compromisso?
  • Você tem segurança no que sente por ela(e)?
  • Você sabe qual a direção de Deus?

Deve decidir: Esta é a pessoa com quem quero me casar?

SIM ou NÃO

Se “Não”: Devo “afastar-me” sem deixar marcas, feridas ou problemas;
Se “Sim”: Devo assumir um compromisso diante da igreja, de seus pais e contar com a oração dos irmãos.

Quando os dois assumirem um compromisso, deve ser para casamento e não para ver se realmente gostam um do outro. Pois isso, é muito perigoso e muitos irmãos pecaram em impureza, quando começaram um relacionamento neste nível, e perderam a santidade de um bom relacionamento.

As sugestões marcadas na fase de amizade com observação devem ser aprofundadas ainda nesta fase.

COMPROMISSO

O compromisso para casamento vai surgir num ambiente de muita amizade que foi gerado entre o rapaz e a moça. O caminho até aqui não foi emocional, conduzido pela “paixão de desejo desenfreado como os pagãos que desconhecem a Deus”. 1 Tessalonicenses 4:3,6

Quando o rapaz (ou moça) se compromete pressupomos que tenha sido encontrado nele(a) a maturidade suficiente para casar-se:

  • Maturidade espiritual
  • Maturidade emocional
  • Maturidade física
  • Condições financeiras (não se aplica às meninas)

A. Compromisso – Como deve ser?

Esta é uma nova dimensão da amizade, e não de direitos. Agora podem se conhecer ainda mais. Já começam a ter coisas em comum. Deve haver forte amizade, carinho e serviço. Serão mais uma junta e ligamento.

O que deve acontecer?

– Oração;
– Edificação;
– Conhecerem-se ainda mais profundamente;
– Colocar alvos juntos;
– Não devem se isolar, mas continuar andando em grupos;
– Tratarem diversos aspectos do caráter no relacionamento. É a hora de tratar problemas que se evitam no futuro – “não deixe para amanhã o que se pode tratar hoje”; Preparem-se para o casamento. Procure crescer no entendimento do seu papel como homem, como mulher na família.

B. Que tipo de contato físico deve haver neste relacionamento?

Nenhum contato físico, além do que já se tinha antes. Só houve um reconhecimento de ambas as partes e estão declarando, isto aos irmãos, e contando com a oração da Igreja, sendo assim, apenas expressões de carinho e afeto. Não é necessário que haja mais até casar. Mais do que isto seria impureza.

Neste relacionamento de compromisso deve haver um cuidado redobrado com a área de contato físico. Os contatos devem ser demonstrações de carinho.

Não devem se esquecer que ainda são só irmãos.

Qual o limite que podemos estabelecer? Não podemos estabelecer regras contra a sensualidade. Não é o caminho.

“Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não tem valor algum para refrear os impulsos do corpo”. (Colossenses 2:23)

  1. Então, o que fazer, liberamos tudo se não podemos estabelecer regras? Não.
  2. Quero ser santo como Jesus;
  3. Não quero ofender a santidade de Deus;
  4. Não quero levar meu irmão ou irmã, a pecar;
  5. Não entrarei num caminho que me conduza à sensualidade;
  6. Conhecer o limite para ficar longe dele. Não permita surgir um clima de sensualidade, lembre-se de José do Egito.

Deve haver honestidade e sensibilidade de coração. Os dois podem e devem ajudar um ao outro a fim de manterem um relacionamento santo e puro diante do Senhor.

C. Alguns Conselhos :

  • Ninguém se julgue forte;
  • Nunca confie em você;
  • Nunca fique sozinho;
  • Não permitir o mínimo deslize;
  • Caso um queira avançar o outro deve retê-lo;
  • Deve haver temor;
  • Sempre andar na luz.

D. Quais as conseqüências que trazem um relacionamento com contatos físicos precipitados?

  1. Entristece o Espírito Santo, Efésios 4:30, fazendo-o se calar dentro de nós, e perdemos a sua direção.
  2. Produz sentimento de culpa, Apocalipse 12:10. Ex. casais desconfiados. Precisamos entender que a principal arma do inimigo é a acusação. O sentimento de culpa destrói uma pessoa, impedindo-a de buscar a Deus e de conviver com a igreja.
  3. Quebra os princípios de santidade. 1 Tessalonicenses 4:3,8 – masturbação / fornicação (contato físico antes do casamento)
  4. Produz desconfiança mútua. Abrirá brechas para uma desconfiança. Todo relacionamento que tiver um contato físico intenso, antes da hora apropriada, produzirá desconfiança. Quando a fidelidade é questionada, torna-se um problema para o casal, trazendo brigas, perda de ministério, etc.
  5. Produz feridas nas emoções: Como conselheiros, estamos sempre ouvindo queixas cheias de amarguras, de jovens, principalmente moças, que se envolveram em contatos físicos. Impulso sexual em si não é pecado, o problema é o que fazer com esse impulso.

E. O que fazer se houver contato físico?

Colocar na luz, procurar o discipulador e confessar, receber dele uma orientação para não haver reincidências. (Tiago 5:16; 1 João 3:9)

F. Quais as conseqüências que terá diante da igreja?

No caso de reincidência: disciplina e entristecimento do corpo (a Igreja).

G. Algumas dicas para os jovens obterem vitória com seus impulsos sexuais:

  • Buscar a Deus em primeiro lugar Mateus 6:33; Filipenses 4:8
  • Não procurar ficar em locais isolados com a pessoa que está se relacionando. Tiago 4:7; 1 Coríntios 6:18,20; Mateus 26:41; 1 Coríntios 10:13
  • Procurar praticar algum esporte, liberando energia e tornando-se mais calmo sexualmente.

H. Como deve proceder o casal compromissado na compra de objetos para o lar?

Caso o rapaz tenha uma boa renda mensal, é responsabilidade dele toda compra de objetos pesados para casa. Ex.: geladeira, fogão, etc.

Mas, se o rapaz não tiver uma boa renda mensal e a moça também trabalhar, não há problema nenhum em dividir as despesas, comprando juntos.

I. Quando é que o casal pode começar a comprar estes objetos?

Quando já estiverem assumindo esse compromisso diante da igreja. Podem também receber orientação dos seus discipuladores na compra de objetos e organização do lar, para se evitar quaisquer transtornos de desperdícios.
Esse é um passo que só os casais compromissados devem tomar, aqueles que estão em fase de conhecimento, devem esperar o tempo certo para isto acontecer. A não ser que já tenham uma vida independente financeira e moram sozinhos.

J. Algumas mentiras do diabo:

– O rapaz em alguns casos, pode se achar com tendências homossexuais, por isso tenta mostrar o contrário, testando a sua masculinidade e com isto peca e perde a santidade (motivação errada).
– Adquirir experiência para satisfazer a moça no casamento.
– A moça se sente carente e com isto se entrega facilmente a qualquer um que lhe faça galanteios. Isto é um problema muito sério, pode trazer conseqüências desastrosas.

K. Por que o casal deve se casar?

Porque juntos poderão ser mais úteis no Propósito Eterno de Deus. Eclesiástes 4:9; 9:7,10.

Alguns textos para memorizar:

– O que Deus quer que lembremos todos os dias? Eclesiástes 12:1
“Lembra-te do teu criador nos dias da tua mocidade antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás, não tenho neles prazer”.

– O que somos antes de qualquer relacionamento na igreja? Romanos 12:5
“Assim também, nós conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros.”

– Qual a vontade de Deus para este relacionamento? 1 Tessalonicenses 4:3, 6
“Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo, em santificação e honra, não com desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus, e esta matéria ninguém ofenda nem defraude a seu irmão”.

– Como devo andar, para obter esta vitória? Gálatas 5:16
“Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne”.

“O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda do nosso Senhor Jesus Cristo”. 1 Tessalonicenses 5:23 (Versão Rervista e Atualizada)

“O Deus da paz vos conceda santidade perfeita; e que o vosso ser inteiro, o espírito, a alma e o corpo sejam guardados de modo irrepreensível para o dia da Vinda do nosso Senhor Jesus Cristo”. 1 Tessalonicenses 5:23 (Bíblia de Jerusalém).

por Igreja em Salvador

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.