Organizando as finanças Parte 2

Meu Deus do Céu! Quanto motivo de gastar! E quando a gente ganha o 13º, puxa vida! O mundo inteiro tá de olho! Todo mundo quer presente: o jardineiro, o carteiro, o lixeiro, os amigos secretos… Não é assim na casa de vocês? Todo mundo quer “dinheirinho”!

É um estresse o Natal! O 13º vem e vai junto com o do ano seguinte! Não é assim? Cuidado! Para! Para! Cuidado! Não cai nessas armadilhas! Não cai! Não precisa ter vergonha de dizer “Olha, amigo, pelo teu serviço tu já tem o teu salário! Não posso dar o meu agora de presente de Natal pra ti!”. Certo ou errado?

Queridos, é demais! Amigo secreto? No trabalho, na Igreja, em casa, na vizinhança, etc. Ai fica aquele negócio: “Que que eu vou dar pro meu amigo secreto?”. E TEM QUE DAR PRESENTE PRO AMIGO SECRETO! TEM QUE DAR! TEM QUE DAR! Então começam aquelas coisas: não sei o que dar, então dou um boné! E o cara nem usa boné! Uma vez eu ganhei uma xícara de amigo secreto! Como torço pro Internacional (RS), meu amigo secreto me deu uma xícara do Inter. Eu já tenho xícara em casa! Pra que eu vou querer uma xícara do Inter pra tomar café? Ele pensou que estava me agradando me dando uma xícara do Inter! Ele gastou dinheiro, coitadinho, seu 13º diminuiu. Não entro mais em amigos secretos! Todo mundo me critica! Eu tenho três filhos, meu cunhado três filhos, e o outro dois. Então são sete sobrinhos. Sempre passamos o Natal juntos! Na mesma casa! Aí, cada família dava sete presentes! Eu falei: “Para! Para! Que escravidão isso!”, que gastança desnecessária! Reuni meus cunhados e disse: “ A partir desse ano ninguém dá presente pra ninguém!”.

Ufa! Irmão, te liberta disto! Isso o sistema capitalista inventou! POR QUE TEM QUE DAR PRESENTE DE NATAL? POR QUÊ? Por quê? Por que pra todo mundo? (a ideia do Papai Noel) Lá se foi o 13º! Parem com isso! Parem de dar presente de Natal!

Na Páscoa TEM QUE DAR ovo! Inventaram um coelho que bota ovo! Ovo pra todo mundo! Coelhinho da Páscoa que bota ovo! A gente critica mas vai lá e compra! QUE RIDÍCULO! ABSURDO! RIDÍCULO! Coelho que bota ovo! Mas a gente compra ovo! Pode comprar chocolate, tudo bem, nada contra, não tem problema, mas não precisa sair por aí dando ovo pra todo mundo!

Notaram? Tudo é motivo pra gastar: dia das mães, dia dos pais, dia das avós, dia das crianças. Parem de dar presente nessas datas! Isso é tudo mentira! Sabem quem inventou isso? Sabem quem inventou essas datas? O CDL(Clube dos Diretores Lojistas) norte americano! Pra criar motivos de consumo. E a gente cai! No laço! Não há salário que dê! Teu salário fica pouco por causa de tanta BESTEIRA, tanta ASNEIRA, em que a gente cai.

Faz uma viagenzinha, volta cheio de lembrancinha: ímã, toalha, camiseta, boné, xícara, prato, copo, etc. Não é verdade? Tudo quanto é bobagem. E nunca mais usa! TE LIBERTA DISTO!

NÃO ESTOU QUERENDO AQUI PERDER A TERNURA. O lado bom de dar um presente pra esposa… não estou querendo derrubar esse lado bom, de jeito nenhum! É tão gostoso dar um presente. É tão gostoso ganhar um presente. Dedicar e mostrar nosso carinho, claro que é bom! MAS NÓS JÁ ULTRAPASSAMOS EM MUITO A LINHA DO EQUILÍBRIO! Em muito já ultrapassamos isso! Em muito já foi ultrapassado isso! Cadê a luz de Deus sobre a Igreja pra gente saber sair disso sem perder a ternura e a graça eu carinho?! Cadê a luz de Deus pra poder proceder com isso sem ser vítima do sistema? Eu vou dar um presentinho pra minha esposa! Primeiro eu vou ter que ter dinheiro pra comprar à vista! Não fiado! Nunca vou dar a ela uma flor fiado! Equilibrado! Num momento certo! NÃO QUANDO ELES QUEREM! Mas quando eu quiser! Não quando a propaganda e o marketing me impõe que tem que ser agora! No amigo secreto, chegou o Natal, chegou a Páscoa, chegou o dia das mães, dia do tudo-quanto-é-coisa!

E vivem pedindo dinheiro! Eu tenho um negócio, uma loja. Uma vez chegou lá pra mim o presidente do sindicato dos contabilistas me pedindo pra financiar o time dele. “O que que o senhor quer?” – perguntei. “Ah! Tu que sabe! Ou a bola ou o conjunto de camiseta ou a prestação da quadra.” – disse ele. Tchê! Por favor! Que vergonha! Ele não teve vergonha de me pedir isso! Na cara de pau respondi: “Não!”. Esse homem é contador! Presidente do sindicato! Tem dinheiro! E me vem pedir patrocínio pro time dele? Pra ele jogar?

Outro dia chegou o guarda lá da rua! O brigadeano lá! O soldado militar! Veio me pedir a pela época do Natal: “Ah! Vamos fazer um campeonato lá no quartel, não quer dar o troféu?”. “Nããão!” – respondi. O que eu tenho que ver com esse campeonato? Ah! Vai jogar sem troféu! Que futilidade! Que armadilha! Tem 500 mil motivos pra tirar nosso dinheiro! EU NÃO ESTOU FALANDO DE AVAREZA ! Não estou falando de ser avarento! Que é pecado! Não estou falando disso não! Tenha cuidado pra não incorrer nisso! Devemos ajudar o necessitado com gasto legítimo! Pra ajudar um irmão, pra ajudar um necessitado, não tem problema nenhum! Eu estou falando de futilidade, de motivo de consumo que o sistema tem criado para nos escravizar! Ser prudente, ser seguro, ser equilibrado, sensato nos gastos NÃO É ser avarento! Amém?

É uma escravidão isto! É terrível! O crédito, além de te prender e te fazer penhorar o teu trabalho, tu acaba pagando mais caro no crediário do que à vista! Isso todo mundo sabe! Então, além de ser uma escravidão, é uma burrice! É escravo e burro quem compra fiado. E não é pouco, heim! Não é pouco! Desculpe eu estar sendo assim forte nas afirmações! Desculpe, mas não é assim? Uma vez chegou pra mim um rapaz lá da Igreja em Porto Alegre querendo se aconselhar comigo sobre comprar um som, mas na verdade ele queria que eu fosse seu fiador pra comprar um som. Lá no sul a gente diz assim “Ele não sabe onde ele amarrou a égua!”. Falei, então, pra ele ir lá no comércio e me trazer três orçamentos. Ele foi e trouxe. Depois fui eu. Fui lá e fiz uma pesquisa. Trouxe o preço pra ele. Metade do valor que ele me trouxe! Ele queria comprar em 12 vezes. E o meu preço era à vista! O meu era a metade do dele. Eu creio que Deus providenciou esse exemplo pra ele porque a diferença era absurda! Absurda! Creio que Deus fez isso pra mostrar pra ele. Ele me disse: “Mas assim eu nunca vou poder ter um som!”. “Como nunca?” – retruquei. “Tu não tá querendo pagar em 12 vezes? Então espera 6 meses e depois tu compra a vista!” – completei. “Daqui há 6 meses tu podes ter o som! Não é nunca!” – encorajei. O problema é que ele queria ter naquele momento. O problema é querer ter as coisas agora! “Tu queres escutar música agora!” – falei. Ele vai morrer se não escutar música agora, hoje (!???). E ele se propôs a pagar o dobro pra escutar música hoje! Espera! POUPA! O que tu se propor a pagar em 12 vezes, faz em 6 vezes (POUPA) e compra um som! Mas não se quer pagar o preço de esperar! Este é o problema: não saber esperar! Este é um princípio de INTELIGÊNCIA EMOCIONAL. Este é a peça que falta: saber esperar o tempo certo! “Não quero esperar! Eu quero agora!”, assim é que nos comportamos às vezes.

Uma vez eu precisava de uma geladeira pra nossa casa, mas não exatamente pra casa, e sim para ser usada no salãozinho que eu fiz no quintal de casa como apoio pros dias de churrasco. Ou seja, eu queria uma geladeira econômica. Menorzinha. E eu nunca comprei no crediário! Fui no comércio e perguntei quanto custava uma geladeira. Acabei comprando ela por R$ 699,00. Uma geladeira pequenininha. Ela era não-sei-quanto lá, mas eu pechinchei. E eu também creio que esse exemplo vem de Deus porque tenho utilizado ele em várias ocasiões para distinguir o preço à vista do a prazo. Mais ou menos um mês depois da minha compra, eu estava passeando em Carazinho(RS), fui ver alguns irmãos lá. Eu estava andando na rua e vi numa loja a seguinte placa: COMPRE ESTA GELADEIRA E LEVE R$ 100,00 PARA CASA. Me chamou a atenção aquele anúncio, então eu voltei. Aisha, minha esposa, é testemunha! Ela também viu a placa. Acredite se quiser: COMPRE ESTA GELADEIRA E LEVE R$ 100,00 PARA CASA. Pensei: “Comprar uma geladeira e levar R$ 100,00?” No cartaz dizia que não tinha entrada, tu compravas a geladeira sem entrada, saia com ela e mais R$ 100,00! Olha que força de marketing! Olha o poder do capital! “Tá bom! Vamos ver quanto é a geladeira!” – eu disse. O vendedor que me atendeu disse que era 15 vezes de R$ 100,00. Mas como eu levaria R$ 100,00, então eu pagaria R$ 1.400,00. Quanto eu paguei na minha? R$ 699,00 aproximadamente a metade! Amém? Acordemos! Olha a armadilha! LEVE A GELADEIRA E MAIS CEM RAEIAS, NÃO PRECISA PAGAR MAIS NADA HOJE! E TU JÁ SAI COM TUA GELADEIRA.

Em 1991 eu não estava conseguindo abrir conta num banco porque me pediram o nome de três lojas onde eu comprava à crédito. Eu falei que não tinha. “Ah! Mas eu preciso aqui dessa informação para preencher a ficha!” – disse a atendente. “Mas eu não tenho!” – falei. Como eu não dei essa informação, eles deduziram que eu tinha um crediário ruim. Então eu pedi que chamassem o gerente. “É obrigatório ter um crediário?” – perguntei. “Não, não é! Isso apenas serve para que nós completemos a sua ficha!” – disse ele. “Eu não tenho crediário porque eu nunca comprei à crédito na minha vida! Sempre comprei à vista! Não é uma referência melhor essa? Você quer me obrigar a abrir um crediário para que eu possa abrir uma conta aqui?”. O gerente então entendeu e me permitiu que eu abrisse a conta.

É terrível isto! É isto o que tem empobrecido o salário das pessoas. Porque quanto por cento vai nisto em juros? Porque se tem que ouvir música hoje! Tem que comprar a geladeira agora! Tem que comprar o fogão hoje! Tem que ver TV hoje! Dá uma ansiedade! Tem que comprar um bem, tem que ser agora!

Uma vez (isso aconteceu comigo para a minha vergonha) que eu fui comprar um sofá. Cheguei na loja e fechei o negócio. “Quando tu me entrega?” – perguntei. “Daqui há 20 dias!” – respondeu o vendedor. “20 dias? Não! Eu quero hoje!” – repliquei. “Mas hoje não dá! Eu tenho que encomendar!” – disse o vendedor. “Vai, tá! Pelo menos em uma semana!” – insisti. Ai o vendedor olhou pra mim e disse: “Pô! A vida inteira tu não tinhas esse sofá, e hoje que tu comprasse tu queres ele agora? Não sabe esperar?”. Ah! Ah! Ah! É verdade! A gente fica ansioso! Fica tenso! Todo mundo comprou então eu tenho que comprara também! Ansiedade! Calma! Calma!

O Rio Grande do Sul é um estado agrícola. E desde que eu morava em Carazinho(RS), aos meus 10 anos de idade, hoje estou com 50 anos, ou seja, há 40 anos que eu vejo os agricultores endividados! Eles não conseguem sair disso! Um discípulo nosso lá em Carazinho é agrônomo e a esposa dele é veterinária, e eu comecei aos pouquinhos aprender a saber como funciona o negócio de terras e agricultura. Então descobri o porque deles estarem endividados. Sabe por quê? O governo dá financiamento pra eles (e realmente é muito barato para agricultura, até poderia pegar). Aí, eles vão lá pegam o dinheiro e plantam. Ficam endividados no banco. Então, logo depois da safra eles têm que pagar o banco. E logo depois da safra o preço do grão tá lá em baixo, baratíssimo, porque a oferta é enorme. Ou seja, eles vendem o grão deles lá em baixo! E todo mundo sabe que depois de 3 ou 4 meses quando começa a escassear o grão o preço sobe. Mas eles não podem esperar porque eles estão devendo! Aí, chega na hora de preparar a terra, e eles tem que comprar o insumo, o adubo, o veneno contra as pragas da lavoura. Nessa época o preço do insumo tá lá em cima! Quando já plantaram, o preço do insumo cai! Chegou o saco de veneno estar a R$ 60,00 no pré-plantio indo pra R$ 17,00 no pós plantio. Um absurdo! Quebra qualquer agricultor esse tipo de coisa! Mas eles não percebem! Eles não são profissionais disso, de capacitação empresarial. Precisam de um pouquinho disso. “Mas é porque a gente precisa pegar dinheiro no banco pra gente ter o que plantar!” – dizem os agricultores. Mas será que em 40 anos já não teria dado um jeito nisso? Os “coitadinhos” são até hoje escravos que sustentam o sistema! Aí a gente vê nos jornais, sobre os donos do capital: BRADESCO FATURA 20 BILHÕES DE REAIS. Nas nossas costas! Na tuas costas, agricultor! As pessoas empobrecem porque não pensam um pouquinho em como lidar com as finanças. Amém, querido?

É isso o que tem enrolado as pessoas! Não é o ganhar pouco! É gastar mais do que ganha! E uma boa parcela desse gastar é em juros! É mal gasto! Então, preta atenção no que geralmente gastamos o nosso dinheiro, os MOTIVOS FÚTEIS DE CONSUMO: amigos secretos, as datas comemorativas, a moto, etc. E tem muito mais motivo fútil. Muito motivo fútil de consumo nos tira uma boa parcela do nosso ganho! Outra grande parcela nós gastamos em juros! Quantos por cento gastamos em juros? Se tu poupar e pagar à vista quanto que tu vais ganhar? Teu salário vai render muito mais! Não é óbvio? Não tá na hora de ter uma metanoia (arrependimento bíblico. Mudança de direção (180º); mudança de mente que gera uma mudança de atitude ) na questão de lidar com as finanças? Se eu acabar de comprar no crédito e começar a comparar à vista meu salário vai render muito mais, não é? Amém? Dá pra enxergar isso? Com clareza? Sem dúvida nenhuma? Isso é uma questão emocional! Para com essa ansiedade! De ter que consumir agora! Espera! Ajunta! Depois compra a vista! Tá precisando de alguma coisa, te faz estas três perguntas:
I – Será que é necessário? Realmente é necessário? Será que eu preciso trocar de celular? Já não tenho um que funciona bem? Outro dia tinha um cara me oferecendo um relógio. Eu disse pra ele que já tinha um. Ele respondeu dizendo que o dele suportava 50m debaixo d’água. Aí, eu disse: “Ora! Se eu tiver 50m debaixo d’água eu não vou querer ver as horas, mas sim, subir pra superfície!”. Não é mesmo? O cara queria me fazer trocar de relógio por algo que para mim, minha realidade, não é necessário! E o pior é que a gente cai nessas! Motivo fútil: troca de relógio! Amém irmãos? Isso não é ser pão duro! É ser equilibrado! Não estou pregando aqui o pãodurismo! A avareza!

II – Tenho dinheiro pra comprar? Tenho! Então vou lá negociar! Comprar à vista! Pede um descontinho! Não tem? Não compra! Simples! Não tem, não compra! Duvido que tu vá passar necessidade por isso! Deus não vai deixar! A Igreja não vai deixar! A GENTE NÃO EMPOBRECE PELAS COISAS QUE A GENTE NÃO NECESSITA! A gente empobrece por causa das coisas fúteis! Escreva isso! Nós não empobrecemos por causa das coisas que REALMENTE necessitamos comprar! Isso não nos empobrece! Empobrecemos por causa das coisas fúteis! É isso o que empobrece. Amém?

Cartão de crédito é outra armadilha! É outra praga! Quando eu estava em Porto de Galinhas li uma revista que falava de alguma coisa muito interessante. Dizia que as operadoras de cartão de crédito estão fazendo pesquisa pra conhecer melhor o consumidor, e descobriram que se uma pessoa tem dinheiro(espécie) no bolso tem menos propensão a gastar do que se tiver com o cartão. Porque com o cartão a pessoa tem uma sensação de “não estar gastando”. E essa “sensação” faz com que as pessoas gastem muito mais! A diferença é que se eu tiver com a carteira e não com o cartão de crédito eu vou pensar duas vezes antes de gastar. Se eu for com o cartão já vou ter mais facilidade em querer gastar. Então o que é que eu faço? QUEBRO O CARTÃO DE CRÉDITO! Sim! Cartão de crédito NINGUÉM DEVE TER! Estou falando sério! Cartão de crédito não se deve ter! Pra quê? Pra quê? Comprar fiado? Mas eu não quero ser escravo de ninguém! Então pra que o cartão de crédito? Tenho cartão, mas só no débito! Não compro no crédito! Não boto no crédito! Questão de princípio! Eu uso o cartão DE DÉBITO como uma facilidade, não como motivo de crédito! Quando se viaja não vai se andar com os bolsos cheio de dinheiro! Não dá! É perigoso! Então eu levo o meu cartão junto porque viajo muito. Mas quem não viaja, pra que o cartão? Se ele te proporciona uma armadilha dessas!? Como uma facilidade tá tudo bem, mas não usem pra comprar fiado! Pra quê? “Ah! Mas débito e crédito são o mesmo preço!” – dizem. Mas se tu tem o dinheiro paga logo, e se não tem não compra! Tenha uma vida mais fácil! Não ter que contabilizar, esperar pra pagar, ficar com problema. Paga agora! E se não tem não compra! CUIDADO COM O CARTÃO DE CRÉDITO!

Cheque especial? CANCELA O CHEQUE ESPECIAL! Tenha apenas 1 (uma) conta bancária! Eu só tenho conta no Banco do Brasil, por exemplo! Às vezes aparece lá na loja gente de outros bancos: “Olá, como vai! Nós somos do banco tal e viemos lhe oferecer um cheque especial, e automaticamente com um limite de R$ 10.000,00 (dez mil reais)” – falam. “Muito obrigado! Tu vais me dar o dez mil? Mas pra que que eu quero?” – respondo. Vocês sabem quanto as operadoras de cartão cobram em média sobre a taxa do que nós consumimos? A média nacional é 4% (quatro por cento) aproximadamente. Quatro por cento! Quatro por cento do que o mundo consome vai pras operadoras de cartão de crédito! É muito dinheiro, não é? E nos Estados Unidos quase ninguém mais usa dinheiro. Lá só é cartão, cartão, cartão! É muito dinheiro, não é? Quatro por cento do que o Brasil consome por dia é bilhões! Quatro por cento pra operadora de cartão! Mas pasmem! A maior parcela dos lucros das operadoras NÃO VEM daí! Vem dos juros dos que atrasam! Interessante, né? A maior parcela! 40% (quarenta por cento) dos que elas arrecadam vem dos juros que as pessoas pagam porque atrasam! Depois pagam as parcelas! Tantos por cento vem das comissões, tantos por cento vem da anuidade, tantos por cento vem do cartão adicional, etc. A máquina custa caríssimo e eles vendem horrores de máquinas. Mas quase a metade do eles ganham vem dos juros dos que atrasam. E na fatura vem “o mínimo que tu podes pagar é tanto, mas precisa pagar tudo”. Pra que pagar tudo? A VISA chegou a ser a marca mais valiosa do mundo! Teve uma época que foi a Coca-Cola, depois o Google… a VISA chegou a ser a marca mais valiosa do mundo! Olha quanto dinheiro! E as pessoas ainda se enganam! Uma vez um amigo meu, pequeno empresário, pediu que eu o aconselhasse porque ele estava todo endividado. Ele me disse assim: “Eu estava querendo construir minha empresa! E quem não faz dívida não cresce…”. Respondi: “De onde é que tu tiraste isso?”. “Meu pai já dizia!” – falou. “É? Mas ele quebrou!” – retruquei. E não é só isso! Olha a GM – General Motors abriu uma fábrica no Rio Grande do Sul bem perto da Grande Porto Alegre, aí emprestaram todo o dinheiro pra essa unidade, R$ 330 milhões, aproximadamente, ganharam emprestado do governo! Mas por que eles pegam emprestado? Porque eles pegam a juros quase zero, e o dinheiro é deles, eles emprestam a horrores porque eles tem banco, e são bancários donos do dinheiro, são capitalistas. Eles não pegam o dinheiro deles pra construir uma fábrica, preferem pegar do governo a juros zero. Isenção de impostos e tal. E o dinheiro deles, eles emprestam nas concessionárias pra vender carro fiado. Esta luz tem que ser jogada sobre a Igreja. Amém? Se antenar! Aperceber-se!

E agora? O que fazer? Eis o problema, mas qual é a solução? Como temos que proceder? Amém? Vamos lá?

Lucas 3:14 – “…e contentais-vos com o vosso soldo.”. Se contente com o salário que tem! O problema não é ganhar mais, o problema são as besteiras, essas futilidades, esse juro que atualmente tem roubado a riqueza das pessoas e o fruto do trabalho delas. Amém? Não tem problema nenhum esperar ganhar mais. Mas O problema não é esse! O problema maior não é esse! Tem gente “apertada” ganhando R$ 10 mil, R$ 12 mil por mês!
Lucas 10:34-38 – “Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. Marta agitava-se de um lado para o outro, ocupada em muitos serviços. Então se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tivesse deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário, ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada.”. Isso! Pouco é necessário! Este é o problema! O desnecessário é o problema que tem sobrecarregado as pessoas, é um fardo na vida das pessoas! É o desnecessário! Marta estava toda “enrolada” com coisas pra fazer. E isso também na nossa vida! Ninguém tem tempo pra nada porque tá todo mundo “enrolado” com futilidade: TV, entretenimento, etc. Com isso ninguém tem tempo pra mais nada! Ninguém tem tempo de ler um livro, ler a Bíblia, “Não tenho tempo! Não consigo!” – dizem. Por que não temos tempo? O tempo continua o mesmo desde Adão e Eva! Não tem tempo porque emprega o tempo em alguma outra coisa fútil, desnecessária! Mesma coisa é com o dinheiro! Em média, hoje, as pessoas tem mais dinheiro do que tinham antigamente! Todo mundo enriquecer em relação aos nosso pais! Só que nós gastamos em coisas fúteis porque o sistema criou isto pra gente consumir! Entendem?

1 João 2:15-17 – “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente.” O que é concupiscência? Desejo desenfreado! O desejo dos olhos! O desejo da carne! Não procede de Deus! Cuidado com esses desejos! Cuidado! Isso é carnal, não é espiritual! Gastar o que não tem? Gastar mais do que ganha? É porque o nosso desejo tá muito grande! O nosso desejo é carnal. Aí gasta mais do que ganha e cria um problema financeiro. Essa é a realidade! Esta é a verdade! Cuidado com isto! Essa carnalidade! Isso é coisa do mundo! Não é coisa do Reino, nem de cristão! Cristão não faz isto! Discípulo não faz isto, gastar mais do que ganha! Amém? Tem versículo lá em Gênesis, e Deus diz isso pra Caim, pois Ele tá falando com a humanidade inteira: quando Caim acabou de cometer assassinato, aparecendo com o semblante fechado diante de Deus, Deus falou pra ele: “O que está acontecendo? Por que está fechado o teu semblante? Por acaso, se procederes bem não serás aceito? Mas se procederes mal, eis que o pecado está à porta! O teu desejo será contra ti, mas cumpre a ti dominá-lo!” – Gênesis 4:7. Por que é que a gente gasta mais do que ganha? Porque tem desejos desenfreados: concupiscência dos olhos, concupiscência da carne, que nos leva a nos “enrolar” financeiramente, irmãos! Esta é a verdade!

Não estou pregando a pobreza aqui! Não estou dizendo que a gente tem que vender tudo e morar em mosteiro, e que a gente vai pro céu direto. Não é fazer voto de pobreza! Estou falando do equilíbrio da vida financeira. Estou falando do equilíbrio! Vou gastar o que tenho.

Irmãos, deixa eu falar um pouco de mim! Eu já vivi guerras, eu nasci no Oriente Médio. Vivi a famosa Guerra dos Seis Dias, em 1967. Minha família perdeu tudo! Nós ficamos sem nada! Sabe o que é nada? Saímos com a roupa do corpo! Nesse tempo eu passei fome! Nós saímos da Palestina, da Cisjordânia, Ramalah, e fomos morar na Jordânia, fugindo da guerra. Ao chegarmos lá, moramos de favor num lugar que dava pra praça. Não tinha banheiro, tínhamos que usar o banheiro do vizinho, uma situação extremamente constrangedora. Pra comer, tinha um vizinho que vendia lanche numa escola, aí os lanches que sobravam da escola, ele dava pra nossa família. Era nossa única refeição do dia! Aquele lanche levava tomate! Tirávamos os tomates porque estavam azedos. Assim foi minha infância. Há muitas outras situações. Eu já vivi pobreza extrema! Houve dias que não tinha o que comer! Já passei isso! Mas minha família nunca fez dívida! Nada, nada! Mas sempre trabalhando! Quando viemos pro Brasil em 1970, grande parte do valor das passagens que possibilitou nossa vinda pro Brasil, foi da poupança da minha mãe! No meio daquilo tudo. Não sei que “milagre” ela fez, mas ela tinha uma poupança. No meio daquilo tudo!

Já passei pobreza extrema, irmãos, mas hoje, graças a Deus, estamos vivendo tempo de abundância! Como diz o apóstolo Paulo “…sei viver na escassez, e na abundância, na fartura, e na fome”. Eu sei viver. Já vivi as duas! Fome e fartura! Amém? Não é uma coisa de “Ah! É fácil falar faz isso ou faz aquilo!”, mas sim porque eu já vivi e conheço muita gente que também viveu! Também conheço muita gente que deu a volta por cima com disciplina, com equilíbrio, determinação, com esses princípios. Amém?

Como sair dessa?

1º – Não gastar mais do que ganha: óbvio! É uma questão matemática! É básico!
2º – Tem que parar de fazer crédito. Por quê? Ora, tu estás penhorando teu trabalho futuro porque tu não tens o dinheiro. Tu não trabalhou ainda. E tu tá pagando mais caro! Noventa e nove por cento de probabilidade de estar pagando mais caro. “Ah, mas é juro zero!”. Juro zero nada! Tá embutido! É claro que tá embutido! Se tu for fazer uma pesquisa em 99,9% dos casos à vista vai ser melhor. Compras? Só à vista! “Mas eu não tenho!”. Não compra! Fórmula simples! Vontade dá e passa! Teu desejo será contra ti, cumpre a ti dominá-lo! Não tem dinheiro? Não compra!

A grande maioria dos bens de consumo que são oferecidos para nós são desnecessários, senão fúteis. Amém, queridos?
3º – Estar consciente dos sistema que está por trás do marketing, querendo, dia e noite, arquitetar maneiras de ficar com o nosso dinheiro.
4º – Cuidado especial com a moda! Muito cuidado com o lançamento de novos produtos. Tu já tens? Pra que outro? Esquece o lançamento! Fica com a tua TV! Fica com o teu celular! Fica com o teu sapato! Esquece! Fica com os teus óculos! Não precisa comprar outro! Cuidado com os lançamentos!
5º – Cuidado com as futilidades: Dia do Amigo Secreto, Dia da Mãe, Dia da Avó, Dia do Vizinho, Dia do Compadre, Dia-do-Não-Sei-o-Quê, Dia do Cachorro, Dia do Gato, Dia do Tudo-Quanto-é-Coisa… e vai ter mais dias por aí, heim, tão inventando. Cuidado com essas futilidades! Natal? Páscoa? Presente? Para com isso! Amém?

– Lucas 38 “Poucas coisas são necessárias.”

Para sair das dívidas é não entrar nessas coisas!

“Por que gastai naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer?”

Amém? Glória a Deus por essa Palavra! Amém? Então, cuidado com moda, com lançamentos, com futilidades, e com lazer!
6º – Cuidado com o lazer! Sabiam que a indústria do lazer, do turismo, é a segunda indústria que mais movimenta dinheiro no mundo? Sabiam disto? As três maiores são PETRÓLEO, GUERRA e LAZER. Não lembro a ordem. A indústria do lazer está em segundo. Não lembro que está em primeiro se é a indústria do petróleo ou a da guerra. Uma vez um rapaz, funcionário meu, que ganhava bem, primeiras férias dele, voltou delas endividado. E como ele era discípulo não aceitou aquela situação. Foi o cartão de crédito a armadilha. Ele ficou arrasado! Vendeu o carro. Saiu um mês de férias! Salário: R$ 4.000,00 por mês. É pouco, médio ou muito? Um bom salário. Mas ele voltou tão endividado, mas tão endividado que teve que vender o carro. Hotel, saídas, passou num free shop no Uruguai, fez compras, compras, compras, compras, compras… no cartão. Foi quando estourou o cartão. Cuidado com o lazer, o turismo, estar passeando. Não precisa disso! Não precisa! Não precisa ir não-sei-aonde, lá nos cafundó. Se tu tens dinheiro vai, tudo bem. Se não tem, vai numa chácara/granja aqui pelo interior pescar. Tu vais ficar igualmente feliz. Não é?

Sempre que for comprar alguma coisa tenha em mente uma pergunta: Será que isso é necessário? Será que eu preciso? Esse novo descascador de alho que não deixa cheiro nas mãos? Agora inventaram uma panela elétrica que faz arroz! Precisa? Custa uma fortuna! E pra que se tem que ter uma panela dessa? Não se poderia usar o fogão a gás? Já viram essas panelas de fazer arroz elétrica? Quanto é que custa isso? Ela faz arroz melhor que a outra? A luz é mais cara que gás no Rio Grande do Sul. Lá a gente usa muita energia. A gente bota gás em casa porque é mais barato que a luz. Pra nós lá o gás é mais barato que a energia elétrica. Faz o arroz a gás! Não precisa usar energia elétrica! Para o casal, um deve ouvir o outro!

Mas e quando nós tivermos uma emergência? E agora? Meu filho ficou doente, eu preciso comprar remédio! Médicos, hospital, remédios, gastei muito e fiquei endividado! E agora? A saída NÃO É O CRÉDITO! A saída é uma poupança! Tu tinha que ter uma poupança para essas horas! Esse é o PRINCÍPIO DE DEUS! Esse é o princípio! “Olha pra formiga que trabalha no verão pra ter mantimento no inverno”, já diz Provérbios. O PRINCÍPIO BÍBLICO É O PRINCÍPIO DA POUPANÇA! A formiga trabalha no verão para nos tempos de inverno ela ter o que comer. E o tempo de inverno chega pra todo mundo, irmãos. Chega para todos! Então o que é que eu tenho que fazer? Juntar um pouquinho! Isso não é avareza, é o necessário! É o princípio da poupança! Tu tem que começar a ter uma poupancinha! Minha mãe já dizia. Desde pequenos ela incutiu isso em nós. “Filho, tu sempre tem que ter uma poupança!”. Ela dizia assim: “Se tu ganhas R$ 100,00 guarda R$ 5,00 e esses cinco, ao longo do tempo, vão fazer diferença para ti. Se tu ganhas R$ 200,00 guarda R$ 10,00. Se tu ganhas R$ 500,00 guarda R$ 50,00. Se tu ganhas R$ 10.000,00 guarda R$ 1.000,00. Se tu ganhas R$ 50,00 guarda R$ 1,00. Nunca gaste o que tu ganhas”. Minha mãe é uma velha turca árabe. Mas quando me formei eu estava desempregado, não sabia o que fazer da vida, e fui colocar o meu primeiro negocinho lá, uma farmácia. Comprei a farmácia, reformei, botei mercadoria, mas estava fraca. Um dia ela foi visitar a farmácia pra ver o negócio do filho. “E como é que tá filho?”, “Tá fraco, mãe, estou sem dinheiro e preciso de mais mercadoria.”. Ela me deu o dinheiro pra eu completar o estoque que precisava! Minha mãe! Nunca trabalhou fora! Uma turquinha, semianalfabeta! Ela não gastava todo o dinheiro que os filhos davam pra ela cuidar da casa. Ela guardava sempre um pouquinho e foi o que iniciou minha vida comercial. Ela não gastou todo o dinheiro que lhe chegava às mãos, e me deu condições de completar o estoque. Pude começar minha vida comercial com a ajuda da poupancinha da minha mãe. Amém? Guarda uma poupança para os momentos de emergência! Este é o princípio! E não fazer dívida quando precisar comprar algo! Tu tem que te financiar! Tem que ter uma poupança! Nunca gaste o que ganha! Nunca gaste mais do que ganha! É mais prudente, mais sábio: não gaste tudo o que ganha! Guarda um pouquinho! Amém!

Já ouviram falar de Daniel Goldman? Ele ganhou um prêmio internacional com um livro que foi sua tese de doutorado de psicologia. Ele escreveu sobre INTELIGÊNCIA EMOCIONAL. Só estou citando esse psicólogo porque Moysés Moraes, meu presbítero leu e gostou, senão eu não ia falar. Goldman fala que para ser inteligente de fato não basta inteligência intelectual, porque tem gente inteligente intelectualmente, mas é infeliz, se dá mal na vida, etc. O conceito da verdadeira inteligência é a inteligência emocional, onde a inteligência intelectual é apenas um quesito, mas se tem outros quesitos. Por exemplo, a empatia, capacidade de compreender os sentimentos dos outros. Tem vários outros quesitos. Capacidade de esperar: adiar um prazer, adiar um usufruto para que eu possa ter um usufruto melhor amanhã. Este é o princípio da poupança! Ninguém poupa porque é burro! Poupa-se porque é inteligente! Ninguém poupa pra se prejudicar! Poupa-se imaginando em usufruir mais e melhor amanhã! Esse é um quesito de inteligência emocional. Amém? Poupa! Guarda! Enquanto tu estiver no teu verão financeiro, guarda para quando tu estiver no teu inverno financeiro! Amém?

Quem está nas dívidas, como sair? Antes, por que sair? Para ser livre das dívidas! Para viver em paz! Viver sem peso, sem carga! Para poder testemunhar, ser usado por Deus! Ser exemplo pros filhos, pro cônjuge, pros discípulos mais novos! Ser exemplo! Não pode estar nessa de ficar devendo, enrolado na vida financeira! Tem que sair disso! É preciso sair disso! DEUS QUER QUE A GENTE SAIA DISSO! Dessa enrolação financeira!

Como?
1º – Tem que ser humilde e reconhecer que tá errado, que está em pecado!
2º – Tem que confessar! Para a Igreja, para os irmãos, para a autoridade espiritual, para o discipulador, para a esposa. Confessar isso reconhecendo que está errado!
3º – Ter consciência de que gastar mais do que ganha é uma POSTURA MUNDANA e não é uma atitude de um cristão! Então tem que parar de gastar mais do que ganha. Tem que pagar as dívidas!

Obs.: Lembrando, irmãos, que cada caso é um caso! Vou contar um caso: teve uma vez uma moça que trabalhava lá na loja, uma das melhores vendedoras que tivemos. Veio a se converter. Estava toda enrolada financeiramente! Toda enrolada! Depois de um certo tempo, ela foi pedir dinheiro pra pagar as dívidas indo falar comigo: “Marco, eu preciso de um dinheiro emprestado!”. “Pra quê?” – perguntei. “Pra pagar o banco, o Bradesco! Não aguento mais estar devendo! Todo dia é carta, carta, carta!” – respondeu. “Tu queres parar de ficar devendo de uma vez?” – falei. “Sim, eu quero parar! Marco, eu estou com 40 anos. Eu nasci assim e sempre vivi apertada! Eu sempre estive devendo! Não aguento mais isso, eu quero parar!” – disse ela. Ela se converteu dos seus maus caminhos. Quando vi que ela realmente havia se arrependido do procedimento pecaminoso com o qual dirigia sua vida financeira e se convertido dele, disse: “Vem cá! Quanto é que tu estás devendo?”. Ele fez umas contas, eu com ela também e vi o valor. Coitadinha, desde que ela havia entregue sua vida ao Senhor, querendo honrar a Deus pagando as dívidas nas lojas, ela havia feito um empréstimo no banco e pago todas as lojas. Só que os juros do banco eram muito maiores! Falei, então: “Tu vais lá no banco e diz que tem uma proposta pra fazer. Tu vais dizer que paga a dívida em 15 vezes sem juros! Esta é a minha proposta! Senão, o meu chefe mandou dizer que ele vai botar um advogado porque esse juro é ilegal! Vai e diz isso! Não precisa temer, esse juro aí é ilegal!”. Existe uma maneira legal de cobrar o juro, não é assim, digamos 10% ano mês! Por exemplo, se ela estivesse devendo R$ 3.000,00 já estaria em R$ 8.000,00. Ela foi e disse o que orientei e completou: “Pago o principal!”. Quando ela voltou me disse que o banco não havia aceitado. Falei: “Tudo bem! Volta lá e diz que estás entrando com um advogado. E manda eles assinarem aqui!” Ela então me disse que eles não iriam assinar. Mas mesmo assim eu disse pra ela ir lá e fazer conforme orientação. Pouco depois ela voltou alegre e gritando: “Eles aceitaram! Eles aceitaram!”. Eles aceitaram, conseguimos pagar a dívida dela. Hoje ela propôs-se e se comprometeu a comprar tudo só à vista, conforme o que tenho falado aqui pra vocês! Ela aplicou esse ensino e, agora, em 2009 ela deu entrada num financiamento de um apartamento(tudo isso aconteceu há uns 8 anos atrás)! Pequenininho, dois quartinhos, lá num bairro longe, MAS É DELA! Ela tá saindo do aluguel. QUE BÊNÇÃO, NÉ? Ela conseguiu! Amém? Ela aplicou o ensino!

Aliás, queridos, conhecer a verdade é fundamental (conhecereis a a verdade e a verdade vos libertará), mas o grande desafio da vida cristã NÃO É CONHECER, é sim aplicar o conhecimento! Este é o grande desafio! Não estou desprezando o conhecimento de maneira nenhuma! Tem que se conhecer a verdade! Mas a verdade eu posso ter e não aplicar nada! Queridos, isso nada adianta se não for aplicado! Esse é o grande desafio da vida cristã: aplicar o que se sabe! Amém?

Então, tem que parar de gastar, pagar as dívidas (lembrando que cada caso é um caso), procura os pastores, os discipuladores, em cada Igreja SEMPRE Deus levanta alguém com graça nesta área que pode orientar, pode negociar cada caso, para sair das dívidas de uma maneira com sabedoria, com equilíbrio para se ver livre disto E NUNCA MAIS ENTRAR, NUNCA MAIS COMPRAR FIADO, NEM PASTEL, NEM REFRIGERANTE. Não tem dinheiro? Vai numa torneira! Não compra o refrigerante fiado! Por que tem que tomar refrigerante? Toma água! Tem chafariz e mangueira por tudo quanto é lado! Toma na mangueira! Pronto! Mata a sede assim! Melhor que comprar um refrigerante fiado! É até melhor pra saúde! Se tem dificuldade em agir radicalmente assim, VEJA ISSO COMO UMA TENTAÇÃO! Acaba com o cartão de crédito! Cheque especial NÃO PRECISA TER! Comprar só com dinheiro! Se não tem, não compra! Amém?

E de novo, queridos, claro, não quero ser insensível, sei que existem vários casos diferentes de maior e menor complexidade, sem dúvida! Tem gente desempregada, gente com necessidade, sem dúvida nenhuma. Não sei e é dificultoso saber o caso de cada um. Mas para encerrar este estudo eu quero deixar um versículo, uma promessa de Deus. Já o lemos aqui. Vou encerrar com uma promessa de Deus para a vida de cada um de nós:

“Fui moço e já agora sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, e nem a sua descendência a mendigar o pão.” – Salmo 37:25

Irmãos, quando obedecemos à Palavra, o próprio Deus vai entrar em ação e vai nos desenrolar, e vai nos sustentar, e vai cuidar de nós. Ele não vai faltar na hora de nossas necessidades, porque se eu sou discípulo, se eu sou filho, é desonra pra Ele, desonra pra Ele eu estar enrolado financeiramente. Ele não vai deixar acontecer que eu mendigue o pão! Amém? Amém! Deus abençoe a cada um dos irmãos!

Marcovânio Reis e sua esposa Aisha são discípulos do Senhor Jesus Cristo que caminham com a Igreja em Porto Alegre, pela graça, misericórdia e amor de Deus. Estão casados há 16 anos e têm 3 filhos. Inclusive, sua filha mais nova, Gabi, nasceu com 560g, ou seja um milagre de Deus.


Veja também: Organizando as finanças Parte 1

Encontro de Casais
Marcovânio Reis
Porto Alegre – RS

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.