O propósito eterno de Deus

Antes de tudo, Pai e Filho se alegravam, segundo após segundo,
Era tanta e tanta alegria, antes da fundação do mundo.

Nebulosas enumeradas em torno da alegria dos dois,
Alegria essa, que anunciava o que viria depois.

O Pai ali inventando os divertimentos,
Era tanta alegria que em um breve momento,

Pai vira pro Filho, que de tanto sorrir,
Concorda, ao ser sugerido, aquela alegria dividir.

Inspirados com o que surgira naquele lindo pensamento,
Decidem fazer algo mais do que gozavam naquele momento.

No ambiente propício ao ato criacional,
Do nada se faz o tudo, do poder racional.

E nesse caminhar que leva a criação,
Ainda gozando de mesma inspiração,

A trindade em harmonia passa a criar o que hoje se vê,
E assim também decidem fazer o quarto do bebê.

E chama de terra a grande porção seca,
E de mar as águas que a servem de cerca.

E continuam na harmonia de seu ato criacional,
A preencher a terra com cada espécie de animal.

O Pai prepara a terra, como o quarto de uma criança,
Pra receber aquele com o qual faria uma aliança.

E numa só voz e com muita esperança,
Ouve-se: façamos o homem, nossa imagem e semelhança.

E ao primeiro bebê que chamaram de Adão,
Decidem em conjunto fazer nele uma operação.

Anestesiam Adão num sono muito profundo,
Com a grande intenção de povoar o mundo.

Assim, de uma costela que do lado se releva,
Fazem uma mulher linda e a chamam de Eva.

Bem no meio do jardim que o homem iria cuidar,
Pai planta duas árvores com frutas a sobejar.

Da árvore da vida, o fruto poderiam comer;
Mas ao comer, o saber do bem e do mal, iriam morrer.

E o inimigo audaz, da presença de Deus banido,
Na serpente, tenta a Eva com o fruto proibido.

A mulher não resistindo o desejo do coração,
Come do fruto proibido e o oferece ao homem Adão.

Quando Deus vai ao jardim, Adão se esconde onde quer,
E não pensa duas vezes, culpa logo sua mulher.

E o homem outrora criado, com todo cuidado e amor,
A partir desse momento, passa a depender do labor.

A morte o passa a dominar, e sacrifícios passa a fazer,
Para do Pai se aproximar, mesmo tendo que morrer.

E o pecado domina a terra, que sob controle do inimigo,
Vive épocas difíceis e o homem sujeito ao perigo.

Mas Deus no seu propósito eterno, que era uma família ter,
Decide trazer de volta o homem que estava a perecer,

E manda seu Filho amado, presente na criação,
A providenciar vida, que viria de sua morte: a salvação.

E ao homem nascido de Cristo, que morreu e ressuscitou,
É dada a vida eterna, pois a esse muito amou.

E o filho tão querido, que pela morte não mais passa,
Nos capacita no segundo Adão, Jesus, a sermos uma nova raça.

Está feito o desafio, a todos quantos entenderam,
A mudarem suas vidas não se juntando aos que não creram.

Jesus agora, meu amado, quer, em Deus, te fazer adoção,
Quer também salvar você e chamá-lo de seu irmão.

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.