O perigo do Intelecto

“Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são;  a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus. Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção, para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.” (I Coríntios 1:26-31)

Quando você medita sobre o texto acima, com quem você se identifica? Com os poderosos, nobres e sábios ou com os fracos e desprezíveis? Para ajudar na sua análise, saiba que segundo os padrões da época que Paulo escreveu essa carta, a grande maioria das pessoas não tinha muita instrução, muitos sequer sabiam ler. Então, se você acessou a internet num computador para ler esse artigo, certamente se enquadraria entre os poderosos, nobres ou sábios daquela época e não com os desprezíveis citados. E eu também. Portanto, fazemos parte dessa minoria que Paulo cita dentre os que foram chamados.

Por isso, temos que ter ainda maior cuidado para não nos gloriarmos na nossa própria carne, ou seja, no nosso intelecto, na nossa inteligência e na nossa base de conhecimentos. Se alguma vez você já pensou que isso tudo lhe torna mais capaz, mais habilitado para as coisas do Reino de Deus, por causa do seu raciocínio lógico, sua facilidade de interpretação (talvez algo parecido com isso tenha passado por minha cabeça alguma vez), saiba que estava totalmente enganado e essa é a hora de desfazer esse engano de uma vez por todas em sua vida.

“Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (I Coríntios 2:14)

Na verdade, é o contrário, tendo mais do que nos esvaziar, se não formos cuidadosos e diligentes nisso, poderá se transformar numa enorme desvantagem, um dificultador ao invés de um facilitador. Minha intenção é lhe ajudar (e me ajudar também) a não deixar que toda sua bagagem pese e lhe impeça de caminhar como uma criança (livre, leve e solta) no Caminho do Senhor.

“Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira alguma entrará nele.” (Lucas 18:17)

A criança pequena nada sabe. Tudo precisa aprender. Assimila tudo que é ensinado porque não tem nada nela mesma que contradiz. Não se perde em raciocínios próprios, simplesmente escuta aquilo que lhe é falado. Não considera, nem pondera (veja bem, segundo o que entendo), apenas ouve e guarda no seu coração.

“Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele..” (Filipenses 3:4-8)

Paulo um dia também teve que abrir mão de todo seu currículo, esvaziou-se, para poder se encher de Deus. E ele não costumava usar seu intelecto para tentar convencer as pessoas. Não se apoiou nele mesmo na hora de pregar, isso não produziria frutos de vida eterna.

“Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós. A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.” (I Coríntios 2:1-5)

Não se afaste da simplicidade do Evangelho do Reino de Deus. Se já se afastou, é tempo de retornar para essa simplicidade. Receba a Palavra do Senhor com simplicidade e disposição de vivê-la. Não se perca em muitos raciocínios complexos ou questionamentos. Até porque:

“Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.” (I Coríntios 1:25)

“Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; porquanto está escrito: Ele apanha os sábios na própria astúcia deles.” (I Coríntios 3:19)

Abra mão de tudo que é propriamente seu. Reconheça que você é fraco e dependente de Deus em todas as coisas.

Ouça o que o Senhor diz através da Igreja, através dos irmãos. O Senhor manda a gente considerá-los superiores a nós mesmos:

“Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.” (Filipenses 2:3)

Deseje se parecer com os irmãos mais humildes e simples, aqueles que espiritualmente escutam e guardam tudo em seus corações.

Deixe o Espírito Santo governar você completamente. Não permita que seu intelecto atrapalhe o governo de Deus.

“porque a letra mata, mas o espírito vivifica.” (2 Coríntios 3:6)

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.