O legado de Jesus: Realidade

Sua última conversa com seus discípulos antes de sua morte

Leia  João 13, João 14, João 15, João 16 e João 17

Quarta Mensagem – UM SEGREDO

Já falamos sobre os capítulos 13, 15 e 17 de João, QUALIDADE, QUANTIDADE e UNIDADE. Para sintetizar em uma só frase:

Deus quer QUANTIDADE, com QUALIDADE, e em UNIDADE.

Deixei intencionalmente os capítulos 14 e 16 para esta última mensagem, intitulada: “O SEGREDO PARA QUE TUDO ISTO SE FAÇA REALIDADE”.

O estado de ânimo dos discípulos

Para compreender bem o que Jesus disse aos seus discípulos nesses dois capítulos é muito importante compreender o estado de ânimo deles. Os discípulos estavam tristes, perturbados e amedrontados. Eles haviam deixado tudo – casa, trabalho, família – para seguir a Jesus, e agora Jesus lhes diz para ir, que chegou a hora; e que para onde vai, eles agora não o poderiam seguir. Por isso lhes disse:

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. E vós sabeis o caminho para onde eu vou. (14.1-4).

A confusão dos discípulos era grande. Eles estavam perplexos. Seguiam sem entender ao que se referia, ou a onde se estava indo.

A pergunta de Tomé:

Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais como saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. Se vós me tivésseis conhecido conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o conheceis e o tendes visto. (14.5-7)

Como dizendo: “Querido Tomé, eu vou para o Pai, e o único caminho para o Pai sou eu. Se me conhecesses bem, conhecerias a meu Pai “.

A petição de Filipe:

Replicou-lhe Filipe:

Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras.(14.8-11).

Que frustração a de Jesus! Tantos anos com eles, e todavia não o conheceram como deveriam havê-lo conhecido! “Felipe, ainda não entendes; o que viu a mim, viu o Pai!”

Jesus introduziu seus discípulos a uma nova dimensão: a dimensão da fé

No capítulo 14 de João há três palavras chave que se repetem:

  • CRER ou FÉ. (7 vezes) Vs. 1, 1, 10, 11, 11, 12, 29.
  • VER ou MOSTRAR. (8 vezes) Vs. 7, 8, 9, 9, 9, 17, 19, 19.
  • CONHECER. (7 vezes) Vs. 7, 7, 7, 9, 17, 17, 20.

Na encarnação o Verbo se fez carne. Tornou-se visível aos olhos físicos. Tinha um corpo que se podia palpar. João em sua primeira epístola disse: O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (1 João 1.1). Mas esta presença física de Cristo entre eles em breve não estaria mais. Eles precisavam aprender a entrar em uma outra dimensão. O mundo material se percebe através dos cinco sentidos. O olho é um órgão físico conectado ao sistema nervoso que sob o estímulo da luz faz com que seja possível perceber (conhecer) as coisas físicas e materiais.

Felipe, acostumado a ver Jesus na dimensão física, disse a Jesus: “Mostra-nos o Pai e isso nos basta.” Como dizendo: “Senhor, temos visto tuas obras, os teus poderosos milagres, ouvimos teus ensinamentos maravilhosos, conhecemos o teu 3 caráter santo e excepcional, a tua autoridade; mas Senhor, uma só coisa falta, e com isso estamos completos: mostra-nos o Pai” . Por isso Jesus os quer introduzir em outra dimensão, a dimensão da fé.

Que é a fé?

É crer no que não se vê. É ver com o coração. É receber revelação espiritual. O mundo material é percebido pelos cinco sentidos, mas para conhecer o mundo espiritual deve-se recorrer a outro órgão que não é físico, mas espiritual; ese órgão é o coração.

Olhos + estímulo da luz = conhecimento ou percepção física.
Coração + estímulo da Palavra = conhecimento ou percepção espiritual.

A fé é nossa resposta positiva à palavra de Deus. Assim como alguém pode abrir ou fechar os olhos físicos diante da luz, também alguém pode abrir ou fechar o coração à palavra de Deus. Crer é abrir o coração. É receber com fé a palavra. Jesus fisicamente já não estará entre eles. Os discípulos devem aprender a usar a fé para perceber as realidades espirituais. A segunda pessoa da Trindade se fez carne, mas a terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo, não iria encarnar. E Jesus lhes fala da fé para introduzi-los à dimensão do espírito na qual seus discípulos deveriam aprender a viver depois de sua ascensão e da vinda do Espírito Santo.

Jesus disse a Filipe: Quem me vê a mim, vê o Pai. Como dizes: Mostra-nos o Pai? Não CRÊS que eu estou no Pai e o Pai está em mim? Jesus não nos toma pela mão para levar-nos e apresentar-nos ao Pai como uma pessoa diante dele, dizendo-nos: “Aqui, esta o meu Pai” E nós respondemos: “Prazer em conhecê-lo, Deus. Então você é o pai de Jesus? Prazer em conhecê-lo.” NÃO, não é assim! Jesus nos leva a conhecê-lo a ele mesmo; a conhecer sua pessoa. Pois ele e o Pai são um. O que conhece a ele, conhece ao Pai. Pois no Filho habita corporalmente toda a plenitude da divindade (Colossenses 2:9).

Fé é crer em Cristo, e crer a Cristo. É crer em tudo o que ele diz. É crer em sua palavra. Não andamos por vista, mas por fé. Disse Jesus, em 14.11. “CREDE-ME que eu estou no Pai e o Pai está em mim …” Ele está pedindo para você acreditar nele. Eu aprendi o que é a fé no dia da sepultura de minha mãe. Ela, uma mulher excepcional, uma mulher de Deus, faleceu aos 56 anos de idade.

Quando baixaram o féretro à tumba de mais de dois metros de profundidade, e enquanto os irmãos cantavam hinos ao Senhor, se me apresentou o próprio Satanás, e com um sorriso irônico, me disse: E você diz que ela está no céu? Olha 4 onde ela está. Foi um golpe terrível, quase me derrubou. Imediatamente veio o segundo golpe: “E você acredita que isto vai ressuscitar? Em poucas semanas, ela será devorada pelos vermes”. Quase paralisou minha respiração. Nunca em minha vida havia recebido um ataque tão direto do diabo. Naquele momento levantei os olhos ao céu, e em meu coração gritei: “JESUS, EU CREIO QUE TU ÉS O FILHO DE DEUS. EU CREIO EM TUDO O QUE DIZ TUA PALAVRA “.

Naquele dia aprendi que fé é crer em Deus. Decidi crer nele, e rejeitar todas as mentiras do diabo, e todos os meus raciocínios por mais lógicos que pareçam. E declarei: “Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso” (Romanos 3.4). Queridos irmãos temos que entrar nessa dimensão de fé mais decididamente.

Ouçamos o que Jesus disse a seus discípulos:

“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.” João 14:12-14

Ele está dizendo aos seus discípulos que eles podem fazer as mesmas obras que Ele fez e obras ainda maiores em Seu nome! Embora se observarmos bem, o que faz essas obras maiores por meio dos discípulos é o próprio Jesus.

Os discípulos creram nele. E assim aconteceu.

– No Pentecostes, três mil pessoas se converteram em um só dia. Nunca havia acontecido coisa semelhante no ministério terreno de Jesus.
– A sombra de Pedro curava os enfermos.
– O maior milagre de todos os milagres, é que os doze não disputaram mais dizendo: quem seria o maior; e a multidão dos que haviam crido era um o coração e a alma.

Em nossos dias coisas maravilhosas acontecem:

– Hoje se convertem mais pessoas no mundo do que no primeiro século.
– Há muitos milagres que estão acontecendo.
– Veremos a cada dia acontecer maiores prodígios e milagres.

A chave é a fé. Se crermos veremos a glória de Deus.

Jesus revela a seus discípulos o grande segredo

Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador (Parakletos), para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós.

É muito claro que se refere ao Espírito Santo. O Espírito Santo é o grande segredo para que o legado de Jesus funcione em seus discípulos.

O que é um “Parakletos”?

Algumas versões da Bíblia traduzem por Consolador, Conselheiro, Ajudador, etc. Mas, na verdade, um Parakletos (palavra grega) é um agente, um advogado, um representante de outro com os mesmos poderes do que representa.

Em 1 João 2:1, a mesma palavra, em quase todas as versões é traduzida como “Advogado”. Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. Aqui Jesus é o nosso representante, nosso advogado junto ao Pai.

Por que Jesus fala de “outro Paráclito?

Porque Jesus é o representante do Pai para nós. Ele veio com todas as faculdades e poderes do Pai. Como agora se vai, promete enviar a outro representante, para que esteja com eles para sempre.

O mundo não o vê, nem o conhece, mas vocês sim O conhecem.
Agora mora com vocês, mas estará em vocês.

As três pessoas da Trindade são iguais em poder e glória, mas têm funções diferentes. Se isso é verdade, cabe perguntar-nos: O que é melhor, ter Cristo ao nosso lado ou o Espírito Santo dentro de nós?

Por isso Jesus lhes assegurou:

Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador (Parakletos) não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. (João 16:7)

Diante do sentimento de abandono que sentiam seus discípulos, ele diz algo ainda mais surpreendente:

Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis. Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. Disse-lhe Judas (não o Iscariotes): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo? Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha 6 palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. João 14:18-23

Observemos que Jesus não só lhes disse que vai enviar o Espírito Santo, mas ao continuar falando, lhes assegura:

  • Que Ele mesmo virá a eles (v.18). E aqui não está se referindo a sua segunda vinda.
  • Que o mundo não O verá, mas eles o verão novamente (v.19).
  • Eles viverão em virtude da vida de Jesus (v.19).
  • Que nesse dia conhecerão que Jesus está no Pai, os discípulos em Jesus, e Jesus nos discípulos (v.20). – Que aquele que guarda os seus mandamentos esse é o que ama a Jesus, e que será amado pelo Pai e por Jesus. E a ele se manifestará, se revelará Jesus. (V.21)
  • Que quando venha o Espírito para habitar dentro dos discípulos; junto com o Espírito Santo virá Jesus e o Pai para habitar no coração dos discípulos. (V.23).

Isto é o que na teologia é chamada a habitação mútua das três pessoas da Trindade. Os três são um. Indivisíveis e inseparáveis. No Filho habita a plenitude do Pai. No Pai habita o Filho. No Espírito está o Filho habitado pela plenitude do Pai. Por isso Cristo, não somente envia o Espírito Santo a nossos corações, mas Ele que é habitado pela plenitude do Pai, vem habitar em nós. É demais! Mas eu decidi crer em Jesus, e deleitar-me na sua verdade. E você?

A função do Espírito Santo

1. Fazer-nos testemunhas de Jesus. João 15. 26-27

Mas, quando vier o Consolador (Parakletos), que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o principio.

2. Convencer o mundo do pecado, justiça e juízo. João 16:8-11:

E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.

Pecado: É o que está mal.
Justiça: É o que está bem.
Juízo: O que lhes acontecerá se não se arrependerem.

3. Guiar os discípulos a toda verdade . João 16:13:

Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.

4. Glorificar a Cristo, tomando de suas gloriosas riquezas em nós e dando-nos a conhecer-Lo. Juan 16.14:15

Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

Deus já nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo, na dimensão celestial (Efésios 1.3). Nós não precisamos de mais bênçãos, pois já nos abençoou com todas as bênçãos em Cristo. Mas, na prática, ter alguma coisa e não ter conhecimento, é como não tê-la. Por isso Paulo quando ora pelos efésios, pede que Deus conceda espírito de sabedoria e de revelação para que saibam o que Deus já lhes deu em Cristo. (Efésios 1,17-19). Nós não precisamos de mais bênçãos, mas precisamos de mais revelação para conhecer e desfrutar as riquezas da glória de sua herança nos santos.

Para ilustrar esta verdade, contarei uma parábola sobre um personagem chamado Dom Joaquim.

Dom Joaquim era um Homem pobre. Morava em uma pequena casinha com sua boa esposa e filhos. Tinha um único irmão chamado José, 20 anos mais velho que ele. Seu irmão José se formou como engenheiro agropecuário, e se tornou um bem sucedido agricultor e empresário. Um dia Joaquim recebeu uma carta de um escritório de advocacia, na qual o comunicavam que seu irmão José ao falecer deixou para ele sua herança. Assim Joaquim com muita emoção e quase sem poder acreditar, passou a morar com sua família em uma mansão de dois andares. Como a casa estava completamente vazia, Joaquim fez a mudança de seus poucos móveis antigos e deteriorados para aquela casa que parecia um palácio. Um dia a filha mais velha de Joaquim pegou o testamento de seu tio e começou a ler. Com grande assombro correu para seu pai para lhe informar que o tio José havia incluído na herança para eles, móveis, tapetes e muitos quadros valiosíssimos, equipamentos para o lar, lâmpadas, cortinas e muitas outras coisas. Além disso, dois carros, uma camionete, jóias, etc.; mais uma grande soma de dinheiro no banco …

Joaquim indignado procurou o advogado, e irado reclamou. Sentia-se estafado e enganado. O advogado apresentou-se naquele mesmo dia, e mostrou a Joaquim que a casa tinha um grande porão, que Joaquim ignorava, onde estavam guardadas todas aquelas coisas que figuravam do testamento. Também mostrou-lhe que no porão havia uma caixa forte onde estavam todas as jóias. Além disso explicou a Joaquim que no banco havia uma conta com muito dinheiro, que agora pertencia a ele. Logo o convidou para sair para fora de casa e, diante de um Joaquim maravilhado, também disse para ele: Dom Joaquim, todo esse campo ao redor da casa de 500 hectares também é seu.

NESTA PARÁBOLA

  1. Joaquim somos cada um de nós.
  2. José é Jesus, nosso irmão mais velho.
  3. O testamento é o Novo Testamento.
  4. E, o advogado é o Espírito Santo.

Deus já nos abençoou com toda sorte de bênção espiritual na dimensão celestial em seu Filho, nosso irmão mais velho. (Efésios 1.3). Precisamos do advogado que é o Espírito Santo, para que nos leve a nosso “porão” e nos revele todas as riquezas, todo o seu poder, e toda a glória que Ele já nos deu em seu Filho.

Conclusão

Este é o segredo para que o legado de Jesus se faça realidade em nós: O Espírito Santo. Viver cheios do Espírito é a chave para que a igreja cresça em qualidade, quantidade e unidade. Viver as 24 horas do dia no Espírito é a chave para que você e eu sejamos parecidos com Jesus, é a chave para que você e eu demos muito fruto, é a chave para que sejamos um com todos os nossos irmãos.

Jesus está aqui!

João 7: 37-30: No último e maior dia da festa, Jesus se levantou e falou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Aquele que crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva. Isso ele quis dizer do Espírito que haviam de receber os que acreditassem Nele, pois ainda não havia vindo o Espírito Santo, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.

Hoje é o último dia desta festa. E Jesus está aqui. Ele já foi glorificado, o Espírito já foi derramado. Podemos hoje ser cheios do Espírito. Alguns pela primeira vez. Outros ser novamente cheios do Espírito. Se estes rios, do qual fala Jesus, não estão correndo por teu interior, e desde teu interior, necessitas que esses poços interiores se destampem, e fluam as águas.

Para que isso ocorra necessitamos 3 coisas:

– Ter sede
– Beber
– Crer (Outra vez a fé é a chave)

Há um grande rio que flui do Senhor,
Há uma fonte cheia de seu amor.
Vem a suas águas, tua vida encherá.
Há um grande rio que nunca secará.


Esta ministração faz parte de um conjunto de 4:

  1. O legado de Jesus: Qualidade
  2. O legado de Jesus: Quantidade
  3. O legado de Jesus: Unidade
  4. O legado de Jesus: Realidade

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.