O companheirismo de Rute e Noemi

“Nos dias em que julgavam os juízes, houve fome na terra; e um homem de Belém de Judá saiu a habitar na terra de Moabe, com sua mulher e seus dois filhos. Este homem se chamava Elimeleque, e sua mulher, Noemi; os filhos se chamavam Malom e Quiliom, efrateus, de Belém de Judá; vieram à terra de Moabe e ficaram ali. Morreu Elimeleque, marido de Noemi; e ficou ela com seus dois filhos, os quais casaram com mulheres moabitas; era o nome de uma Orfa, e o nome da outra, Rute; e ficaram ali quase dez anos. Morreram também ambos, Malom e Quiliom, ficando, assim, a mulher desamparada de seus dois filhos e de seu marido”. – Rute 1:1-5

Nesta história queremos destacar a atitude de duas pessoas que se tornaram um dos exemplos mais profundos de amizade no velho testamento. Tratam-se da vida de Rute e Noemi, uma nora com a sua sogra. Noemi passou por uma situação muito difícil, pois com a morte do seu marido e posteriormente dos seus dois filhos, ela ficou desamparada na terra dos Moabitas. Este fato proporcionou a Rute revelar o seu profundo amor e amizade pela vida de sua sogra Noemi.

O companheirismo de Rute com Noemi é um modelo de juntas e ligamentos do velho testamento. Não foi por acaso que Deus permitiu que esta história chegasse até nós, pois atualmente o companheirismo se tornou um dos grandes desafios para a vida da igreja, pois ainda existem muitas pessoas que não experimentaram o poder que o evangelho tem para restaurar os relacionamentos. Através deste exemplo Deus quer gerar fé nos nossos corações revelando princípios que Ele mesmo estabeleceu, para sermos cada vez mais consolidados e unidos em amor.

A amizade de Rute com Noemi revela princípios de Deus para a consolidação da igreja:

O primeiro princípio é a FÉ

A base da amizade entre Rute e Noemi, era a fé: A palavra diz que “Sem fé é impossível agradar a Deus, Hebreus 11:5”.

A amizade de Rute e Noemi era uma amizade agradável aos olhos de Deus.

Rute significa: Amizade.
Noemi significa: Agradável.

Toda amizade entre irmãos que é movida por uma atitude de fé torna-se uma amizade agradável aos olhos de Deus.

As diferenças de hábitos e costumes, não podem ser uma barreira para nos relacionarmos: Quando nos aproximamos um do outro para nos conhecermos, nós nos deparamos com muitas diferenças de hábitos e costumes que são adquiridos durante toda a nossa vida no ambiente em que vivemos. Inevitavelmente iremos encontrar muitas deficiências de caráter, costumes e alguns hábitos na vida do nosso companheiro que iremos achar errado praticá-los.

O que acontece na maioria das vezes, é que nós queremos mudar os hábitos e costumes das pessoas, para que elas comecem a agir como nós agimos, sem perceber que nós também temos muitos hábitos e costumes, que as pessoas não aprovam, e que elas também gostariam que mudássemos. Isto com certeza irá causar alguns conflitos entre nós, e muitas vezes para evitarmos qualquer discussão preferimos nos calar, e assim cada vez mais o nosso relacionamento vai se esfriando, até não sentirmos mais prazer de estarmos juntos, e acabamos nos distanciando um do outro definitivamente.

Isto denuncia a nossa falta de fé, pois quando agimos dessa forma, é porque não estamos crendo que Deus pode transformar a vida das pessoas.

Na vida de Rute e Noemi também existiam muitas diferenças de hábitos e costumes: “Assim, voltou Noemi da terra de Moabe, com Rute, sua nora, a moabita; e chegaram a Belém no princípio da sega da cevada”. – Rute 1:22

Havia muitas diferenças entre os povos e entre os costumes e cultura dessas duas mulheres, que aos nossos olhos seria impossível haver algum relacionamento de amizade e companheirismo entre elas. Rute era nora de Noemi, era uma mulher moabita (gentia) e o seu povo adoravam a outros deuses, eram da descendência de Ló (sobrinho de Abraão), não eram filhos da promessa de Deus e não guardavam a lei de Moisés.

Noemi era sogra de Rute, era uma mulher justa, adorava ao Deus de Israel, era da descendência de Abraão e guardava a lei de Moisés. Neste relacionamento, vemos que Rute foi conquistada pelo testemunho da vida de Noemi (a sua fé em Deus, e o seu caráter justo) que acabou se convertendo ao Deus de Noemi e aos costumes do seu povo, tornando-se um membro da sua família (Rute 1:16).

Precisamos crer que “o que é impossível aos homens a Deus é possível” (MC 10:27). Não podemos perder a esperança de que Deus pode transformar a vida e o coração de qualquer pessoa. É por esse motivo que esta amizade nos revela este princípio de fé, o qual deve ser a base do todo relacionamento.

O segundo princípio é o AMOR

Rute e Orfa eram esposas dos filhos de Noemi, os quais tinham morrido. Havia toda a possibilidade das jovens senhoras contraírem outro matrimônio, pois eram viúvas, e poderiam encontrar alguém que as livrassem da miséria em que estavam condenadas a viver, sendo que a sua sogra não teria jamais este privilégio por ser uma pessoa de idade avançada.

Após a insistência de Noemi para que suas noras voltassem para os seus pais, Orfa decidiu deixá-la, mas Rute preferiu ficar com sua sogra.

“Então, de novo, choraram em voz alta; Orfa, com um beijo, se despediu de sua sogra, porém Rute se apegou a ela. Disse Noemi: Eis que tua cunhada voltou ao seu povo e aos seus deuses; também tu, volta após a tua cunhada. Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque, aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu e aí serei sepultada; faça-me o SENHOR o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. Vendo, pois, Noemi que de todo estava resolvida a acompanhá-la, deixou de insistir com ela”. – Rute 1:14-18

Temos na história um exemplo negativo e outro exemplo positivo de amor. Orfa é um exemplo do amor negativo: (representa o amor deste mundo):
O amor do mundo busca o seu próprio interesse. Orfa pensou em si mesmo e partiu para buscar o seu interesse e seu bem-estar. Orfa era insegura e.abandonou Noemi na hora em que ela mais precisava.

Rute é o exemplo do amor positivo: (representa o amor de Deus). O verdadeiro amor: “paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. – 1 Coríntios 13: 4-7

Rute amava Noemi com um profundo amor, a ponto de renunciar a sua liberdade e decidir viver ao seu lado até a morte, independente da situação que poderiam passar. Ela abriu mão dos seus próprios interesses para buscar o bem-estar da sua companheira.

O terceiro princípio é a SUJEIÇÃO

Nesta história, vemos que Rute foi um exemplo de sujeição a sua companheira Noemi, pois ela obedecia a sua companheira em tudo.

“Respondeu-lhe Rute: Tudo quanto me disseres farei. Então, foi para a eira e fez conforme tudo quanto sua sogra lhe havia ordenado”. – Rute 3:5-6

Um dos grandes prejuízos que acontecem nos relacionamentos é quando não há sujeição. A palavra nos ensina estarmos sujeitos uns aos outros no temor de Cristo (EF 5:21), mas na prática não é isso que acontece, porque há uma disputa de autoridade entre nós, pois muitas vezes achamos que somos melhores que as outras pessoas. E enquanto agirmos dessa forma será impossível caminharmos juntos. A falta de sujeição revela a nossa independência, pois toda independência, ou soberba ou orgulho, é um princípio diabólico. Esta foi a causa da rebelião de lúcifer que ocasionou em uma divisão no reino de Deus.

A nossa atitude deve ser a mesma atitude de Cristo: A palavra nos mostra o exemplo de Cristo em (FL 2:5-8) Ele a si mesmo se esvaziou (abriu mão da sua própria vontade) e foi humilhado até a morte e morte de cruz. Jesus sendo Deus, não usurpou ser igual a Deus e se esvaziou, mas nós sendo homens queremos ser deuses e cheios de orgulho, queremos governar as nossas vidas e também a vida das outras pessoas. E nós só ficamos satisfeitos quando a nossa vontade prevalece.

Toda a sujeição e obediência tem uma recompensa: A sujeição e obediência de Rute teve uma recompensa. Ela casou-se com Boaz, um homem firme e próspero que a amparou e também amparou a sua sogra. Esta união resultou em um benefício a toda a humanidade, pois Rute se tornou mãe daquele que foi o avô de Davi e assim veio a fazer parte da geração que nasceu Jesus Cristo.

Dois exemplos ruins de juntas de companheirismo: Os filhos de Noemi, Malom e Quiliom revelam nos seus nomes, dois maus exemplos de relacionamentos.

Malom: significa – Fraqueza.
Quiliom: significa – Desperdício.

Estes homens morreram e deixaram sua mãe e suas esposas desamparadas.

Malom revela um tipo de relacionamento fraco: Em um fraco relacionamento há: discussões, invejas, ciúmes, falta de perdão, falta de amor, e também uma injusta cooperação. Quiliom revela um tipo de relacionamento sem qualidade (onde há desperdício de tempo):
Em um relacionamento onde não há qualidade também há desperdício de tempo e onde há desperdício de tempo, Jesus não está no centro.
Neste tipo de relacionamento, não pode haver unidade e o resultado é não haver continuidade. O contrário da unidade é a divisão ou partidarismo e o seu fim é a destruição. Estes tipos de juntas de companheirismo acabam em prejuízo e morte espiritual.

Ao contrário de Malom e Quiliom que significam: fraqueza e desperdício.
Boaz significa: Força, firmeza.

O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza: Na fraqueza e desperdício no relacionamento de Malom e Quiliom, Deus através de Boaz revelou a sua força e poder. A força e a firmeza de Boaz trouxeram segurança, conforto e bem-estar a vida de Rute e Noemi. Boaz representa a força e o poder de Deus que é o Espírito Santo.

“Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo”. – 2 Coríntios 12:9

Conclusão

Esta história descreve o grande amor de Deus, que através da atitude de fé e obediência de uma mulher, alcança todas as pessoas do mundo em todas as gerações. A história de Rute e Noemi relata a beleza do compromisso de amizade e companheirismo e do profundo amor que devemos ter uns pelos outros, e enfatiza o padrão de vida que Deus projetou para a sua igreja. Este padrão envolve: compromisso de aliança, humildade, generosidade, obediência a Deus, prudência, reconhecimento do governo de Deus, fé, amor e sujeição.

“Tendo purificado a vossa alma, pela obediência a verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, e amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente”. – 1 Pedro 1:22

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.