Não deixe de congregar – Parte 3

2 Timóteo 2:24-26: “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Paulo nos ensina a não vivermos contendendo com as pessoas. Devemos ser brandos para com todos, porém aptos para instruir e disciplinar com mansidão os que se opõem a verdade. Nós não iremos acertar sempre, mas o Senhor deseja que tenhamos um estilo de vida quebrantado, ou seja, nas horas que errarmos, nos humilhar, arrepender, confessar e acertar – um estilo de vida humilde. Deus trabalha em nós para que tenhamos um estilo de vida humilde, que sejamos parecidos com Jesus.

Mateus 11:29: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.”

Deus conhece nossos corações e se encarrega de exaltar aqueles que são verdadeiramente humildes. Lucas 10:21 diz que Jesus oculta as coisas aos sábios e as revela aos pequeninos, aos humildes. Ele dá luz àqueles que Lhe agradam; a revelação é fruto, consequência de um coração quebrantado. O soberbo, além de resistido por Deus, é cego para as coisas espirituais. A pior coisa que existe é tentar mostrar algo para uma pessoa soberba, pois ela não enxerga e não escuta a palavra.

Nossas repreensões têm um propósito:

2 Timóteo 2:24-26: “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Disciplina pode ser desde uma correção verbal, pessoal, íntima até uma exposição pública. A repreensão visa basicamente duas coisas: que a pessoa se arrependa para conhecer plenamente a verdade e que ela retorne a um estado de sensatez.

Devemos atuar com a expectativa certa, ou seja, de que Deus concederá ao faltoso, não só o arrependimento para conhecer plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez. O resultado pode quebrar os laços do diabo – “livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Lembre-se: a falta da disciplina produz morte: “Ele morrerá pela falta de disciplina, e, pela sua muita loucura, perdido, cambaleia.” Provérbios 5:23, RA.

Há pessoas cristãs que se comportam com tamanha insensatez que mais parecem ímpias.

Quando a pessoa cai em si e retorna à sensatez (exemplo, o filho pródigo em Lucas 15), ela se livra dos laços do diabo a que estava sujeita e amarrada. No texto acima entendemos que a ação do diabo se desfaz através da disciplina; seus laços se quebram quando a pessoa retorna à sensatez.

Muitas vezes tentarmos libertar os irmãos de forma mística, fazendo campanhas de oração e libertação para soltar “o crente”, mas, os demônios que atuam sobre crentes só saem com posicionamentos, atitudes e disciplinas por parte daqueles que exercem autoridade sobre os que estão sujeitos aos laços deles.

“… o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Considerando o que Paulo disse à Timóteo, podemos também vencer os demônios admoestando, repreendendo, expondo a pessoa às verdades da Palavra de Deus. Muitos irmãos estão cativos por estarem vivendo em práticas pecaminosas, obstinados e insensatos. O pecado pode ser a mágoa, o rancor, a autocomiseração, etc. Alguém tem de chegar até essa pessoa e, ao invés de ficar alimentando as “razões” dela, levá-la ao arrependimento, à mudança de atitude através da admoestação ou da disciplina. Levá-la a entender o que é ser um discípulo de Jesus, a viver segundo a Palavra de Deus. Ninguém cresce se permanecer amarrado pelo diabo, se viver na insensatez.

Para se libertar, a pessoa deve se conhecer, entender de verdade o seu problema, enxergar sua miséria e a raiz dos seus males, para não voltar novamente às práticas erradas. Esses laços, porém, só são quebrados pelo retorno à sensatez, pelo “cair em si”. Nossos problemas não são os outros, não são as injustiças que nos fazem ou as pessoas carnais que vivem conosco, mas são nós mesmos. Só eu tenho o poder de amarrar, impedir, reter ou bloquear minha vida, meu crescimento, meu ministério, etc. Se sou humilde, Deus me exalta. pois ninguém pode me impedir de amar, servir, crescer, etc. Se Deus age em minha vida, quem poderá me impedir (Isaías 43:13)? Quando Deus nos exalta, ninguém nos humilha. Quando o Pai exaltou a Jesus, ninguém foi capaz de prendê-lo, nem mesmo a morte (Filipenses 2:9,10, Romanos 8:37-39).


Continue lendo:

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.