Cidade Bíblica – Persépolis

Persépolis, provavelmente era a mais magnífica residência dos reis persas aquemênidas, pelo menos seus vestígios impressionantes ainda oferecem ao visitante hoje em dia uma imagem extraordinária.

Persépolis, provavelmente era a mais magnífica residência dos reis persas aquemênidas, pelo menos seus vestígios impressionantes ainda oferecem ao visitante hoje em dia uma imagem extraordinária.

Dario I abandonou o velho palácio em Pasárgada e mandou construir a nova obra a partir do ano 520 a.C.; seu filho Xerxes ampliou e terminou o conjunto esplêndido.

Embora Persépolis, que se encontrava bastante afastada, nunca atingisse a importância econômica ou política de Susa, parece que era a residência predileta de seus fundadores assim como de seus sucessores.

Quando Alexandre Magno conquistou a cidade no ano 350 a.C. o palácio foi queimado, devido, provavelmente, a um incêndio intencional. Tentou-se justificar este ato bárbaro como uma vingança pela destruição de Atenas pelos persas no ano 480 a.C.

Mais tarde a cidade baixa voltou a ser colonizada, mas as ruínas do palácio desapareceram sob a areia. As escavações realizadas a partir de 1931, sob a direção de E. Herzfeld, revelaram uma extensa área de salas sustentadas por colunas, pátios e magníficas portas.

Além das tradições orientais antigas também se observam influências egípcias e jônicas. Conservam-se especialmente bem os baixo-relevos da escada norte de Apadana, com a guarda dos “imortais”, e da escada leste, com representações dos tributários de todas as satrapias do império.

Texto extraído do Livro “Arqueologia da Bíblia”, de Werner Keller – Editora Folio

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.