Bem-aventuranças

A humildade

“Bem aventurado os pobres de espírito…”. Mateus 5.3

Esta é a primeira qualidade de caráter que Jesus ensina. Os pobres em espírito são aqueles que são conscientes que não têm nada e de que nada são. A humildade de coração é a pedra fundamental da construção e formação do caráter. Tudo começa ali. Todo o pecado começou com orgulho, o de Lúcifer, e o de Adão e Eva, e isso resultou na rebelião contra Deus. Eles quiseram ser como Deus.

A humildade é a primeira qualidade inerente a nossa condição humana. Que somos ? Pó da terra, nada, tudo aquilo nós temos e somos é uma dádiva, uma graça de Deus. Não há nada em nós por nossa própria virtude. A humildade é a qualidade mais lógica, mais natural, mais inerente e própria da natureza humana. O orgulho, a soberba, a vaidade, a arrogância, a auto-suficiência é tolice, e, porém é a característica mais excelente dos homens.

Como o orgulhoso se comporta?
O orgulhoso deprecia a seu próximo, o critica, zomba dele. Discute, luta, é sábio em sua própria opinião, ele não gosta de pedir perdão, sempre acredita em ter a razão, não sabe perder, é muito difícil a convivência com ele. O problema básico de nosso caráter e comportamento começa ali.

O orgulhoso fala muito e escuta pouco, é duro, inflexível, monopoliza a conversação, exagera, mente, esconde os seus defeitos, cai na hipocrisia.

Todos nós, filhos de Adão somos orgulhosos, esta é nossa natureza depois da queda. Mas o orgulhoso pode se humilhar. E a primeira condição para humilhar é reconhecer aquilo que sou. Jesus disse: “aquele que se humilha, será exaltado”. O orgulhoso pode se humilhar e ser transformado à imagem de Jesus.

O quebrantamento

“Bem-aventurados os que choram…” (Mt 5.4) Não são os que choram por raiva ou por autocompaixão, mas por um legítimo quebrantamento diante de Deus.

“Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos.”
Isaías 57:15

Jesus afirma que os que choram serão consolados!

A mansidão

“Bem aventurados os mansos….”Mateus 5.5

A terceira qualidade é a mansidão. Jesus disse: “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração” (Mateus 11.29). Ser manso é o contrario de ser rebelde. Os mansos obedecem com boa disposição, com paz e alegria; são submissos, pacientes, eles têm domínio próprio.

A rebeldia pode ser violenta, com gritos, brigas, discussões, ou também podem ser uma rebeldia amável ou silenciosa, mas que finalmente faz sua própria vontade.

Manso é aquele que vive submisso a Deus, a sua palavra, a seus irmãos, as autoridades. Os filhos mansos obedecem a seus pais e a esposa se sujeita ao seu marido; e todos submissos uns aos outros. Aquele que é manso também aceita com paz as adversidades e as provas da vida.

A Justiça

“Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça… Mateus.5.6

Muitas vezes esta bem-aventurança é mal interpretada. Não se refere a aqueles que exigem que outros façam justiça para com eles, mas a aqueles que o que mais que desejam vida é serem eles mesmos justos e santos diante de Deus e para com os outros. Aquele que tem sede está desesperado por água, o que tem fome o que mais deseja é comer.

Bem aventurados aqueles que o que mais desejam na vida é ser justos, quer dizer, ser como Jesus.

Eles também anseiam “novos céus e nova terra nas quais mora a justiça” (2 Ped.3.13)

A justiça das nações do ocidente está baseada na lei romana. Por outro lado a justiça de Deus é muito superior. Algo pode ser legalmente justo, mas moralmente injusto. Por exemplo: É justo que alguém tenha em seu patrimônio 100 casas, embora sejam legalmente adquiridas, enquanto que ao seu redor haja famílias que nem mesmo têm uma casa sequer para viver? Para as leis humanas pode ser justo, mas de acordo com a justiça de Deus, não é. É justo que alguém pague aos seus empregados salários que nem sequer alcançam nem mesmo alimentar as suas famílias, enquanto que ele ganha cifras excessivamente superiores que gasta em luxos e desperdiça sem medida?

A verdadeira justiça é a de Deus, a qual está inseparavelmente ligada ao amor e a misericórdia. Ver Mateus 5.20 ; 6.1-4 ; 6.33 ; 2 Cor. 8.14-15 ; 9. 9-10.

A misericórdia

“Bem aventurados os misericordiosos” Mateus 5.7

A palavra “misericórdia” é formada por duas palavras do latim; uma é a palavra miséria, e a outra é a palavra cordia que significa coração. Significa ter o coração aberto para aquele que está na miséria, para aquele que está mal, para aquele que está sofrendo ou tem alguma necessidade.

Misericórdia significa tratar a outros como Deus nos trata. O misericordioso tem uma atitude positiva para com todos, é amável, bom, perdoa, ama, serve, sorri ; e não deixa de faze-lo embora as pessoas não correspondem da mesma maneira.

Mas o aspecto mais específico é sua generosidade e seu serviço desinteressado para com o carente ou com o que sofre, como o exemplo do bom samaritano.

A pureza de coração

“Bem aventurados os limpos de coração…”Mateus 5.8

Na realidade todas estas são qualidades do coração, os humildes de coração, os mansos de coração, os que tem sede de justiça, os misericordiosos e os limpos de coração.

O que é ter um coração limpo? Nós os pecadores, com um coração enganoso e perverso, como podemos ter um coração limpo? Só através de Jesus, ele é o único que pode mudar nosso coração. Devemos rejeitar de nosso coração todo o fingimento, hipocrisia, engano e mentira. Se nosso coração é impuro e está sujo, pode ser limpo. A condição é andar na luz, viver com sinceridade, em transparência confessar nossos pecados, e não ocultar nada. E nesta condição de transparência, sinceridade e arrependimento o sangue de Jesus Cristo nos limpa de todo o pecado. (1 João 1.7-9).

Coração limpo também significa ter desejos puros. Nos deixe se lembrar que aquele que olha uma mulher a desejando, já adulterou em seu coração. Significa rejeitar no coração todo o desejo impuro. Ter intenções corretas, motivações santas em tudo o que façamos. Os tais verão a Deus.

A paz

Bem-aventurado os pacificadores…”Mateus 5.9

Temos que ser homens e mulheres de paz. É difícil lutar com um pacificador. A pessoa o ofende, e ele perdoa e a ama. A pessoa o ataca e ele não reage. A pessoa fala enfurecida com ele, e ele calmamente responde, não entra na briga da discussão. A pessoa o ataca, e ele dissimula. O pacificador perdoa, cede, prefere perder, devolve bem por mal.

Quem de nós é assim? Eu só conheço um, se chama Jesus. Pacificador também significa que é um instrumento de paz entre os homens, é uma ponte de reconciliação entre aqueles que estão em guerra.

Ele não vai falando fofocas daqui que pra lá, falando mal de um irmão para outro, pelo contrário, procura a paz e a unidade entre os irmãos. Os tais serão chamados filhos de Deus.

A alegria de ser perseguido ou/e vituperado por Cristo

“Bem aventurados os que padecem perseguição… alegrai vos e regozijai vos…” Mateus 5.10-12.

Finalmente a última qualidade de caráter que Jesus aponta é a de ter alegria apesar de padecer sofrimentos injustos, perseguições, vitupérios e calunias por causa de Jesus. Nossa alegria não está condicionada pelas circunstâncias favoráveis nem prejudicadas pelas circunstâncias desfavoráveis; nossa alegria não depende do que acontece a nosso redor, mas daquilo que ocorre em nosso interior.

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.