As bem-aventuranças e o caráter do discípulo

Desde a primeira vez que ouvi uma pregação sobre o assunto, em um programa da rádio evangélica, me impressionou o fato do pregador ter dito que estas bem-aventuranças expressam o caráter, as qualidades, que um verdadeiro discípulo deve possuir se quiser entrar no Reino de Deus. Elas expressam o caráter de Cristo.

1. OS POBRES DE ESPÍRITO, OS HUMILDES (V.3)

O que é um pobre de espírito? Jorge Himitian nos diz que: “um pobre de espírito é alguém que não tem nada. Quanto mais pobre menos se tem. O que agrada a Deus é a pobreza absoluta. É alguém que entende que não tem nada, está totalmente vazio, é carente, depende de tudo e para tudo” de Deus. Só alcança o reino dos céus quem reconhece que não tem nada, Colossenses 2.6-7. Jesus abriu mão de tudo para ser como nós, 2 Coríntios 8.9.

Uma característica da humildade é que ela não é fruto do Espírito (Gálatas 5.22-23). É obra do caráter de Cristo. Outra característica é que quem é humilde lava os pés do seu próximo. Quem é humilde tem um coração de servir a todos, não só aos que quer bem, mas também a quem lhe faz o mal, Romanos 12.19-20. O humilde não tem vergonha de ser “besta” ao servir a todos. Humildade e serviço não são sinônimos, mas andam juntos. “Nem todo o que serve é humilde, mas todo humilde tem no coração o servir”. Ser humilde é seguir o exemplo de Cristo: Filipenses 2.5-11.

2. OS QUE CHORAM (V.4)

Jesus disse no mundo tereis aflições. Creio que ao apresentar esta bem-aventurança Jesus não queria dizer que uma das condições para ser discípulo seja chorar, nem tampouco que devemos ser chorões. Não indica também que estamos proibidos de rir. Como quem ouve ou vê algo engraçado e não pudesse rir, tivesse que chorar.

Aí simplesmente nos diz que os que choram serão consolados. A bíblia nos fala da felicidade. A própria expressão bem-aventurança significa feliz. Temos textos como: Salmos 33.12, 34.8, 40.4, Gálatas 5.22 (é fruto do Espírito) e ainda Tiago 1.22-25(v.25).

Então, qual é o ensino desta bem-aventurança? O ensino é que mesmo que venhamos a ter momentos de choro, tribulação, tristeza, tenhamos certeza que o Senhor há de trazer consolo sobre nossas vidas. Esta bem-aventurança tem a ver com Tiago 1.12.

Jesus ao nos apresentar o Espírito Santo no evangelho de João dá a ele o título de consolador. E só precisa de consolo os que sofrem. O discípulo sofre quando não vê a vontade de Deus ser realizada na sua vida e na vida daqueles que ele cuida, como família e igreja. Paulo sentia dores de parto pela igreja dos gálatas. Jesus chorou ao ver a incredulidade do povo na ressurreição de Lázaro. Ló sofria por ver o pecado em Sodoma e Gomorra, 2 Pedro 2.6-10. Também devemos chorar pelas vidas que se perdem, Salmos 126.5-6.

3. OS MANSOS (V.5).

Ser manso não é apenas ser dócil. Mansos são aqueles que têm a disposição de serem submissos, Tiago 1.21, Hebreus 13.17. O contrário de mansidão é a rebeldia, 1 Samuel 15.17-23 (o caso de Saul e os amalequitas).

4. FOME E SEDE DE JUSTIÇA (V.6).

O que é justiça aqui neste texto? Será que é a justiça praticada nos tribunais? Eu tenho uma causa na justiça, sou o autor de um processo contra uma terceira pessoa. Eu julgo que minha causa é justa. Do outro lado há a outra pessoa, a parte ré na ação. Ela também acha que está certa nesta questão. Qual dos dois tem fome e sede de justiça e sairá satisfeito? Quem decide quem vai receber a satisfação prometida é o homem? E se ele for um juiz injusto? No texto esta justiça é a justiça de Deus. Vejamos Lucas 12.13-14.

Justiça neste texto tem a ver com retidão, santidade, pureza. Esta verdade parece ser igual à de Mateus 6.33. A justiça é um dom, um presente de Deus, Romanos 5.17.

5. MISERICORDIOSOS (V. 7).

O que é misericórdia? No dicionário diz-se: Piedade, compaixão, sentimento despertado pela infelicidade de outrem. Na gramática portuguesa diria-se que a palavra misericórdia é formada pela aglutinação de duas palavras. Como por exemplo: Paudalho e pontapé. Então misericórdia seria formada por miséria e coração.

Misericórdia seria levar a miséria do outro no coração, com emoção e não com a razão. Misericórdia é suportar o próximo, é dar uma outra chance.

Jorge Himitian diz que misericórdia “significa ter coração para aqueles que estão na miséria. A miséria tem duas expressões principais: Amabilidade para com todos, ajuda e generosidade com o que sofre”.

Na arena romana havia uma cena em que o gladiador espera para ver do público qual seria a sua decisão para definir uma luta: o polegar para cima ou para baixo. Se para baixo a pessoa deveria ser morta, se para cima deveria-se exercer misericórdia e poupar a vida do lutador.

Área para exercer misericórdia: com os que nos devem dinheiro. A parábola do servo impiedoso demonstra bem isto em Mateus 18.21-34. Vemos, nesta passagem, que ele tinha alguém que lhe devia 100 denário. Um denário equivalia à diária de um trabalhador, custaria cerca de R$32,00 (trinta e dois reais), então o débito seria de R$ 3.200,00 (três mil e duzentos reais). Já ele devia dez mil talentos ao seu senhor. Há uma estimativa de que um talento valeria cerca de U$1.300,00 (mil e trezentos dólares), como o dólar vale cerca de R$1,70, então o um talento seria R$2.210,00 (dois mil duzentos e dez reais). A dívida dele era de 10 mil talentos, ou seja, R$22.100.000,00 (vinte e dois milhões e cem mil reais) que foi perdoado pelo seu senhor.

Na oração ensinada por Jesus diz isto, Mateus 6.12. Se eu quero receber misericórdia eu tenho que dar, Jesus quer que exerçamos misericórdia, Mateus 9.13, 12.7.

Dizem que a coisa mais difícil de se converter em alguém é o nosso bolso. Primeiro ele converte o coração, depois ele converte o bolso. Que não seja assim entre nós. Que o Senhor mantenha convertido o nosso bolso.

A verdadeira religião é exercer misericórdia, Tiago 1.26-27.

Devo lembrar-me que Deus exerce misericórdia conosco, como o descrito pela parábola do servo impiedoso, ele nos perdoou uma multidão de pecados. Lamentações 3.22-23.

6. PUROS OU LIMPOS DE CORAÇÃO (V.8).

Há diferença em ser puro de coração e ser “duro” de coração. Não pode haver discípulos duros de coração, mas todos devem ser puros de coração. É uma condição para entrar nos céus. Do puro de coração fala de algo que está além do que podemos ver. Está dentro do coração. Jorge Himitian diz que “‘os limpos de coração’ significa sinceridade, transparência, boa consciência, desejos puros, intenções corretas, motivações santas, sem engano nem mentira sem hipocrisia”. Pureza de coração é, entre outras coisas, o andar na luz. É ter desejos puros, Tiago 4.1-3.

7. OS PACIFICADORES (V.9)

É diferente de ser encrenqueiro. É alguém que prefere perder. Cristo na cruz pede que o Pai perdoe aos que lhe fizeram mal, ou seja, ele age como um pacificador entre Deus e os homens pecadores. Romanos 8.6; 12.18.

8. ALEGRIA NO SOFRIMENTO INJUSTO (10-12).

Ser perseguido por proclamar o reino é uma injustiça, pois a proclamação do reino nos leva a Cristo e nos livra dos nossos pecados. Mas, perseguição por motivo injusto é algo natural na vida de um discípulo, 2 Timóteo 3.10-12. A questão não é o ser perseguido e sim qual a nossa reação a ela. Devemos ter uma reação de alegria diante das tribulações por causa de Cristo, esta foi a atitude dos apóstolos, Atos 5.40-42 e do apóstolo Paulo, 2 Tessalonicenses 1.3-5.

Só há uma advertência de Pedro, para quem sofre não seja por ter feito o mal, 1 Pedro 4.12-19.

Reclamamos de nossa situação e não compreendemos que há pessoas em pior situação do que nós. Deveríamos ser gratos a Deus “por tudo” e “em tudo”, Efésios 5.20, 1 Tessalonicenses 5.16-18. É uma verdade que temos que aprender agora, e não esperar pelo pior para ter interesse em aprender. A expressão “tem gente que reclama de barriga cheia”, infelizmente tem sido muito propícia para alguns que não sabem o que é se alegrar diante de um sofrimento injusto.

CONCLUSÃO

Há duas situações que gostaria de falar, para encerrar:

a. O Evangevaldo em Marrocos: “Evangevaldo foi visitado pela polícia de sua cidade que o chamou a comparecer à comissária para interrogatório. Ao chegar lá, foi informado de que eles sabiam que Evangevaldo fazia proselitismo e que ele seria imediatamente expulso do país, conduzido à fronteira, sem sequer poder voltar para sua casa. Ele tentou argumentar que não pregava publicamente o evangelho, que apenas dava respostas quanto a sua fé àqueles que lhe perguntavam. Porém eles disseram que nem isto era permitido. Deram-lhe 30 minutos, para que ele telefonasse a sua esposa, e permitiram que ela lhe levasse uma mala com o que ele precisasse para a viagem. Vanjo então foi colocado em uma viatura e saiu por volta da meia noite em direção à cidade de Tanger (para depois ser colocado em um navio para Espanha)”;

b. É sobre uma discípula do Senhor, fruto do trabalho do Evangevaldo no Marrocos:

1º E-mail

Olá irmãos, Aqui é Jaiana, a filha de Vanjo. Meu pai está viajando e me pediu para escrever-lhes comentando a situação de Tammy, a discípula lá do Marrocos, e atualizar as cargas de oração.

Ela está sendo obrigada a casar-se com um muçulmano. Sua situação hoje está bem delicada, precisando de uma ação milagrosa de Deus. Não sei se vocês já ouviram algo sobre isso antes, mas esta é a segunda vez que o pai e a família dela a obrigam a casar. Isso aconteceu a primeira vez quando estávamos no Brasil, entre setembro e outubro de 2009. Quando chegamos lá (novembro de 2009) ela estava em grande angústia sob esta pressão da parentela. Logo ao chegarmos intervimos na situação conversando com o pai e irmão dela, e conseguimos livrá-la da obrigação de casar.

Tudo foi feito com muita oração (e apreensão) porque sabíamos que seríamos responsabilizados por qualquer coisa que acontecesse com ela, já que estávamos indo de encontro à cultura, fé e tradição milenares daquele país. Quando fomos expulsos, em março deste ano, estávamos justamente buscando alternativas de casamento para ela, entre irmãos da igreja nacional (pode parecer estranho para nossa cultura, mas é muito natural na cultura deles, e ela aceitou com alegria essa possibilidade).

Porém, agora, não estamos lá para “protegê-la”. Ela está como uma ovelha rodeada de lobos. Esta semana, enquanto orávamos por ela, meu pai comentou que estávamos experimentando – guardadas as devidas proporções – algo parecido com o que o Senhor Jesus sentiu quando estava para sair do mundo e orou ao Pai por seus discípulos: “Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo… Pai santo, guarda-os em Teu nome… Quando eu estava no mundo guardava-os no Teu nome que me deste, e protegi-os, e nenhum deles se perdeu…” João 17.11,12) O pai dela, outra vez, a está obrigando casar-se com o mesmo muçulmano. Este homem é um “mal caráter” e já bateu nela mais de uma vez, no meio da rua. A data do casamento, à revelia dela, está marcada para a próxima quarta-feira, dia 17 de novembro, que será um dia feriado em todos os países muçulmanos. Ela já nos disse que não vai aparecer na casa dos pais nessa data (ela mora em outra cidadezinha por causa do trabalho), e nós sugerimos que ela vá passar esse feriado na casa de uma família de missionários que mora em outra cidade perto.

Oremos para que o Senhor a guarde neste dia. Oremos também para que ela seja guardada de futuras represálias da família e do “noivo” imposto.

Outro agravante é que a família de Tammy a está ameaçando de tirar-lhe o nome de família, ou seja, ir no cartório e exigir que o sobrenome da família seja retirado de seu nome, o que representa grande vergonha para qualquer filho e, principalmente, para uma filha. Os dias futuros de Tammy podem ser de grande tribulação. Ela é muito nova na fé… não tivemos tempo de fundamentá-la direito. O fato de ela estar resistindo até agora nos enche de alegria… mas não sabemos até quando resistirá… Meu pai disse que está orando como o profeta Amós: “Senhor Deus, cessa agora; como subsistirá Jacó?, pois ele é pequeno” (Amós 7.5).

Amados, rogamos que orem conosco!

2º E-mail – 21/11/2010

Olá amados!

Falamos com a Tammy pela última vez na quinta-feira. Na quarta ela esteve na casa dos parentes onde todos estavam reunidos para a festa do Cordeiro (festa muçulmana) e tentou convencer o pai e parentes de que não poderia casar-se com um muçulmano porque ela é cristã. Isso só piorou porque foi acusada de não respeitar as tradições da família. O pai disse que já estava tudo resolvido. Ela dormiu lá naquela noite, mas na manhã seguinte, quinta-feira, ao ver chegar os parentes do “noivo” com os presentes e todos os preparativos para o casamento, ela disse que iria dar uma “voltinha” e aproveitou para fugir. Graças a Deus passou um taxi na mesma hora. Antes de sair a vó disse que suas relações com a família estavam cortadas.

Neste momento ela está na casa de um casal de missionários, em outra cidade, mas a família não tem a menor idéia de onde ela esteja. Estamos preocupados porque o tal do noivo prometido voltou a bater nela no meio da rua e, da última vez, no domingo, a feriu no braço com um “caco” de vidro… Ele sabe onde ela trabalha e pode armar alguma situação para agredi-la… Ela está providenciando um “currículo” para enviar a uma empresa em outra cidade longe dos parentes… Pretende morar com uma amiga…

De qualquer maneira, ela terá que voltar à casa onde mora hoje para pegar suas coisas, e será uma oportunidade para ser abordada pelo tal do noivo…

Sua situação está muito complicada… Nosso recurso daqui é a oração! Obrigado por participarem conosco nisso!

3º E-mail – 23/11/2010

Amados, Estamos de volta com mais um informe sobre Tammy.

Ontem, 22/11/10, segunda feira, tivemos uma conversa por telefone. Ela estava muito chorosa: havia apanhado do “noivo” mais uma vez… mas não pôde dar detalhes porque já estava tarde; como ela mora com outras moças, em um quarto alugado na casa de uma família, e todas já dormiam, ela não podia falar muito. Disse que hoje não poderia ir ao trabalho…

Na semana passada um dos seus tios se compadeceu dela e tentou dissuadir o “noivo”, que se comprometeu em não mais importuná-la…

Dois dias depois o sujeito a espancou e ameaçou de estuprá-la e engravidá-la à força

Bem, depois de falar com ela ligamos para uma obreira nacional (uma irmã que é mantida por instituições cristãs para dar atendimento a contatos e novas convertidas, espalhadas pelo país) e logo depois fizemos uma “conferencia” por SKYPE, com esta obreira e um experiente missionário, muito amigo nosso, buscando alternativas de atendimento à Tammy.

Esta obreira mostrou-se insegura em recebê-la, o que passa é que os irmãos nacionais estão debaixo de severa vigilância e estão temerosos; este, também, é o motivo pelo qual o casal de quem já falamos antes (o pastor nacional e sua esposa) não podem acompanhá-la, neste momento. O missionário se comprometeu em fazer contato com instituições de defesa da mulher. Existem muitas deste tipo, hoje, no país para ver se conseguia algum apoio legal para ela. Umas duas semanas atrás ela tentou se inscrever em um concurso para a Polícia Feminina; quando “checaram” sua identidade, zombaram dela e disseram que ela não poderia inscrever-se neste tipo de concurso e que depois ficaria sabendo porquê… Ela acha que a polícia já sabe de sua fé… Assim sendo, uma denúncia à polícia seria de pouco ou nenhum valor. Este missionário também ficou de procurar, entre os nacionais, famílias cristãs que pudessem recebê-la por um tempo.

Outra possibilidade era ficar com o casal de missionários que trabalhava conosco e que assumiu o projeto da escola de solda, mas eles estão sendo muito vigiados, neste momento.

Ao encaminhar este e-mail aos meus contatos, recebi em resposta um de uma preciosa irmã que me dizia: “Que Deus me perdoe quando, às vezes, penso que tenho ‘problemas’!”.

David Jesus

Recife – PE

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.