A vontade de Deus para mim

“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.”  m1 Ts 4:3-8, RA.

Quando Paulo escreveu esta carta, a Igreja de Tessalônica estava passando por grandes perseguições. Muitos estavam literalmente dando suas vidas por causa do Nome de Jesus, quando não perdiam suas posses, seus bens. Portanto, eu gostaria de entender melhor porque Paulo foi tratar com os jovens daquela igreja, justamente em um momento tão crítico que estavam vivendo, sobre o propósito e a vontade de Deus para a vida dos solteiros. Quem poderia estar pensando em sexo ilícito numa hora como aquela?

Quando eu me converti fiquei muito chocado com a igreja. Estava saindo das drogas, da prostituição, das favelas e encontrei na igreja uma juventude muito tímida que desprezava os valores e bênçãos que haviam recebido. Muitos deles nunca haviam testemunhado do milagre de terem sido guardados por Deus e não terem sido contaminados pelos pecados do mundo. Talvez se envergonhassem de serem guardados, pois o que a igreja apreciava era ouvir muitos testemunhos de ex-drogados, ex-bandidos, ex-prostitutas, etc., mas aqueles que haviam sido preservados destas coisas não testemunhavam sobre a proteção de Deus. Parece que não davam valor a essa bênção, a esse milagre, não percebiam esse milagre em suas vidas e, então, não se alegravam. Em alguns casos era o  contrário, invejavam os que vieram do mundo, querendo conhecê-lo.

Deus, muitas vezes, pega pessoas loucas, malucas, afundadas nas trevas, no submundo e traz para dentro da igreja para ensinar aos que, estando lá dentro, nunca foram santas, nunca valorizaram a proteção e o livramento de Deus e que, de contínuo, pensam em querer conhecer o mundo, totalmente iludidos e fascinados por este.

“Finalmente, irmãos, nós vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como de nós recebestes, quanto à maneira por que deveis viver e agradar a Deus, e efetivamente estais fazendo, continueis progredindo cada vez mais; porque estais inteirados de quantas instruções vos demos da parte do Senhor Jesus. Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação. Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.”  (Tessalonicenses 4:1-8)

Normalmente os jovens estão com seus corações cheios de dúvidas quando ao futuro. Eles desejam saber coisas pessoais: com quem casarei, qual a faculdade que farei, onde trabalharei, etc. Muitos ainda pensam que a vontade de Deus se restringe ao âmbito pessoal.  Não sabemos qual é o propósito de Deus individual para cada pessoa, mas existe uma maneira bíblica de viver que agrada a Deus. Quando algum amado me pergunta: Franco, qual é a vontade de Deus para a minha vida? Com quem vou me casar? Será que Deus quer que eu case? Qual a carreira profissional que Deus escolheu pra mim? Eu respondo com a frase de Paulo aos jovens solteiros da igreja em Tessalônica: “Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição;”. Casado ou solteiro, trabalhando ou desempregado, estudando ou prestando concursos, não importa o seu momento, Deus quer que você seja santo. O Senhor chama jovens para servi-Lo a todo tempo. Não pense que a vida com Deus e o chamado só acontecem depois de casar ou começar a trabalhar ou estudar. A santidade é um chamado para o dia de hoje e não para um dia futuro. O plano do Senhor é para hoje, para o presente, e não apenas para o futuro. A vida começa hoje, e não daqui a algum tempo. Ninguém sabe se amanhã estará vivo, mesmo quando se é jovem.

Paulo diz que aqueles crentes de Tessalônica estavam efetivamente fazendo a vontade de Deus. Não era algo que fariam no futuro, mas algo que faziam no presente. Ele diz que a vontade de Deus é a nossa santificação, e não a faculdade, o casamento ou o trabalho. Todas estas coisas são lícitas, mas de fato, não expressam a vontade de Deus.

O problema que mais atacava aquela igreja era o sexo ilícito, e Paulo disse que eles deviam se abster da prostituição.

Naquela época, assim como hoje, a prostituição era um pecado contra o qual todos lutam. Hoje, as facilidades para isso aumentaram devido à evolução da informática, que propiciou o crescimento da pornografia. A palavra, no grego, é “phornéia”, que envolve todo tipo de sexo ilícito. Prostituição é todo sexo feito fora do casamento, com qualquer pessoa, animal ou coisa. Exemplos: bestialidade (com animais), homossexualismo (com pessoas do mesmo sexo), fornicação (entre solteiros), adultério (com pessoas casadas), pedofilia (com crianças), etc. Uma lista destas práticas se encontra em Levíticos 18.

Deus é o autor do sexo, mas não o criou para ser um tropeço ou pecado para nossas vidas, e, sim, para ser uma bênção dentro do contexto do casamento. O sexo tem, pelo menos, três finalidades segundo as Escrituras:

a) Para selar o matrimônio. O pacto feito no altar entre os noivos é muito importante. Deus diz que Ele é testemunha deste pacto (Malaquias 2:14). Deus testemunha todos os casamentos, porque foi Ele quem o inventou e instituiu. Casamento não é uma instituição humana e, portanto, o homem não pode legislar sobre o mesmo. É uma instituição divina que nunca acabará (Lucas 17:27). Deus testemunha a aliança feita, a palavra empenhada pelo casal (Mateus 12:36). Esta aliança é consolidada, confirmada pelo sexo.

b) Para a procriação, ter filhos.

c) Para o prazer do casal. Eles se amam, se gostam e têm prazer no sexo; têm intimidades, se descobrem, se recriam.

Entretanto, a nossa separação do Criador (morte consequência do pecado) distorceu tudo o que Ele fez. Paulo segue falando que devemos fugir da “phornéia” e possuir ou controlar o próprio corpo em santificação e honra. Desde cedo aprendemos muita coisa errada sobre o sexo. A igreja não está muito atenta para o inimigo “mundo” ou “carne” e tem permitido a entrada de muitos conceitos errados e distorcidos. A igreja se preocupa muito com o diabo e se esquece do mundo e da carne. Nós, na maioria das vezes, só enxergamos o diabo como único inimigo. Tiago 4:4 diz que “aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”

O inimigo não perdoa, não negocia. Saul poupou a vida do rei Amaleque e acabou sendo morto pelas mãos de um amalequita (1 Samuel 31, 2 Samuel 1). Nós é que costumamos negociar com o inimigo. A maior força do mundo são os seus rudimentos, as suas filosofias (Gálatas 4:3, Colossenses 2:8,20).

No início da minha vida cristã eu sempre ouvia a seguinte frase: “O mundo está entrando na igreja!” Quando alguém dizia que deveríamos nos “afastar do mundo”, referia-se a usos, costumes, roupas e ornamentos. Mas, o verdadeiro sentido do “mundo” as pessoas não viam. O mundo é “pensamento”, é a quebra de valores.

A história de Esaú mostra como ele vendeu o seu direito à primogenitura (Gênesis 25:27-34). A bíblia chama Esaú de “profano” (Hebreus 12:16). Não existe a palavra “mundano” na bíblia. A mais parecida é profano, que tem o mesmo sentido. Esaú trocou uma bênção eterna por um prazer momentâneo. Ser profano é pegar a bênção, o direito, a autoridade que tem e trocar por um prazer qualquer. Depois a pessoa se sente culpada, acusada, deprimida, angustiada e derrotada. O diabo lhe acusa e consegue seu intento, porque a pessoa trocou, vendeu, profanou seu direito. Esaú estava com fome e, naquele momento, a primogenitura não lhe servia para nada. Existe coisa mais passageira do que um almoço, o prazer de comer? Mas essa é a filosofia mundana, profana – trocar os valores, desprezar os princípios. É pegar algo eterno, de Deus, e trocar por algo terreno, passageiro, um prazer temporário que não vale nada.

A Bíblia diz que os prazeres do pecado são transitórios (Hebreus 11:25). Se você se converteu vindo do mundo e provou a sequidão que lá existe, deve lembrar-se da alegria que sentiu no dia seguinte à sua conversão, quando acordou com a vida de Deus dentro de você, sabendo que o Deus que você recebeu na noite anterior não lhe abandonou mas está presente em sua vida. Não foi simplesmente a experiência de um culto, de um momento.

A manhã mais alegre da minha vida foi o dia seguinte à minha conversão. Eu estava tão acostumado a noites alegres e manhãs tristes, que eu não queria dormir. Minha mulher me dizia para ir dormir e eu dizia: “Não, está muito bom assim”. Finalmente dormi vencido pelo sono, pois estava com medo de acordar e me dar conta que estava vazio novamente. Mas, naquele dia, acordei cheio do Espírito Santo e chorando de alegria. Eu dizia: “Deus está aqui, não me abandonou! Esse negócio não é só mais uma noite de alegria!”

Um verdadeiro encontro com o Senhor nos preenche profundamente, enquanto que o prazer do pecado é apenas transitório. O que o mundo faz? Ele nos convence que vale a pena trocar o que recebemos do Senhor por um prazer momentâneo. Ele é sutil e inverte os valores. “Possuir o corpo em santidade e honra” só é possível quando a nossa mente não é mundana. A primeira coisa que precisamos provar é uma mudança de mente; sermos inimigos do mundo da mesma forma que somos do diabo. É necessário ter raiva, nojo do mundo.

Uma moça me disse certa vez: “Eu quero ter filhos! Não quero casar mas quero ter filhos!” Como podemos entender um pensamento, uma mente dessa partindo de alguém que é cristã? Imagine alguém que vivencia um culto tremendo à noite em uma igreja, participa do louvor, ouve a palavra e vai para casa cheio do Espírito Santo. No dia seguinte, encontra com uma pessoa que não é cristã e comecem a conversar assuntos diversos como política, família, educação, sexo, etc., e ambos têm posições e ideias iguais. Se não há nenhuma diferença entre eles, algo está errado. O culto de cada um é diferente, mas a cabeça é idêntica, é do mundo. Ninguém vai promover uma revolução de santidade, ter uma vida separada, se abster da prostituição sem mudar a mente, sem ser inimigo do mundo, sem encarar de frente o pecado, os valores, a mentalidade e rudimentos mundanos.

Ninguém se arrepende de ter feito o bem, mas se arrepende de ter feito o mal. O arrependimento bíblico é o arrependimento das obras mortas (Hebreus 9:14), daquelas que não são feitas em Deus.

“Nesta matéria, ninguém ofenda ou defraude a seu irmão”. Por que não devemos fazer isso? “Porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.” O pecado sexual é um pecado que dá para esconder por muito tempo. Não é como as drogas, bebidas, que são visíveis. Normalmente, as pessoas escondem por muito tempo e vão deixando o tempo passar.

Você já ouviu alguém confessar o pecado de masturbação publicamente? Por que um cristão se envolve em pecados assim? Porque o mundo diz que é legal. Tem médicos, até, que dizem que faz bem, que “é da idade”. Além de provocar um prazer em si mesmo sem compromisso, de alguma maneira está fantasiando, pensando em alguém. Deus me falou algo muito forte sobre esse pecado. Eu já vi muitos casamentos de jovens de igrejas que tiveram graves problemas sexuais. Quando eu aconselhava, surgiam problemas como jovens com ejaculação precoce ou, então, moças frígidas, que não conseguiam se realizar sexualmente com seus maridos. Como é que casais cristãos podem ter problemas assim? Antes de casar é um “fogo”; depois que casam, este fogo “apaga”. Por que acontece isso?

Quando o rapaz se masturba, ele está envolvido em seus próprios pensamentos e fantasias; é somente ele em contato consigo mesmo. Quando se casa, vai para uma relação real, sua esposa está ali, presente. Então, ele não suporta sair do virtual para o real e surge o problema da ejaculação precoce. O diabo faz isso em sua cabeça. Já, a masturbação feminina é um contato da mulher, usando sua mão ou algum objeto, com o seu clítoris, provocando o contato direto com a região mais sensível dela. Quando ela vai para a relação sexual do casamento, a ação do homem sobre o clítoris dela não é tão intensa como ela vinha tendo pela masturbação. Qual o resultado disso? Não tem prazer. A mídia também ajuda nisso, projetando a mulher em sonhos que não existem. Quando ela entra no casamento com aquela projeção toda e com a sua experiência de prazer, e encontra com o rapaz que também é viciado em fantasias, eles não se completam, não se satisfazem. Isso é consequência das práticas erradas durante o tempo de solteiros, achando que, depois do casamento, irá acabar. Casamento não santifica ninguém; se você não é santo hoje, não será santo amanhã.

A palavra diz que “o Senhor é vingador”. O sentido de “vingador” é que aquilo que você plantar, você irá colher. Todo pecado tem um custo, um resultado. Gálatas 6:8 diz que “…o que semeia na sua carne, da carne colherá a corrupção, mas o que semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna”. A vingança de Deus é deixar você colher o que plantou.

“Ofender”, neste texto, tem a ver com “tocar em propriedade alheia, mexer naquilo que não me pertence”. Quando os rapazes me perguntam como devem se comportar com suas namoradas ou noivas eu lhes digo exatamente isso: não devem tocar em alguém que não lhes pertence. Meninas “fáceis” atraem rapazes fáceis, que não gostam de desafios. Se encontram uma moça “difícil”, eles desistem porque foram acostumados a coisas fáceis. Alguns nem conseguem sonhar com uma moça difícil, porque acham que “é areia demais para o meu caminhão!” Isso é sinal de fraqueza. Se a moça coloca critérios, ele desiste. Um homem de verdade aceita desafios, luta, enfrenta, suporta, aceita e encara as moças difíceis, sujeitando-se aos seus critérios.

A palavra “defraudar” tem o sentido de “tirar proveito, enganar, iludir, tirar vantagem”. É quando alguém tira proveito de nós, quando “fica com a melhor parte” e nos dá a pior. De quantas maneiras você acredita que podemos iludir uma pessoa no convívio e relacionamento diário? Os rapazes defraudam as moças através de palavras e expressões gentis, elogios, declarações de amor, cortesias, presentes, orações, e-mails, promessas, recadinhos no celular ou no Facebook, etc. Eles iludem, despertam desejos e sonhos nas moças que não são verdadeiros; isso é tirar vantagem delas. Existem muitas moças destruídas por estas defraudações, pois estas coisas marcam suas vidas. Já as moças, podem defraudar os rapazes pela sua vestimenta, pois eles são muito vulneráveis ao que veem e muitas roupas são extremamente sensuais e provocativas.

Sarah Sheeva disse algo interessante: “Os maiores defraudadores (rapazes) da igreja não são os bonitos, mas os feios. Rapaz bonito está acostumado a ser cortejado e, por isso, não ataca tanto, mas os garotos menos destituídos são especialistas em defraudar porque eles têm de aprender a cortejar, têm de lutar para poder vencer e, aí, eles atacam de tudo quanto é jeito!” É verdade isso. Conheci rapazes literalmente feios que apareciam com moças lindas e eu me perguntava como conseguiam isso. Eles “desenvolviam técnicas”, se tornavam “especialistas” em seduzir. Todo mundo defrauda e alguns até desenvolvem esta técnica para o mal. Mas Deus é vingador contra estas coisas.

“Quem rejeita estas coisas não rejeita o homem,

    e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.”

Quem rejeita estas instruções está rejeitando o próprio Deus. Existem muitas coisas que os jovens fazem “sem noção”; não percebem como estão confusos e enganados.

Certa vez, fui visitar a esposa de um pastor, que estava doente. Fui com minha esposa e, ao chegar lá, estavam ela, o marido e um dos filhos, muito bonito e, naquela época, ainda solteiro. Estávamos conversando e, de repente, ele entrou no quarto usando um piercing muito grande na orelha, olhou para mim e disse, me provocando:

– “Algum problema com a minha orelha?”

– “Como assim?”, respondi.

– “Tem algo na bíblia que me condena?”, disse ele.

– “Amado, se eu procurar, eu acho! Mas não é esse o tema!”, disse-lhe em tom de brincadeira.

– “Como assim, não é o tema?”, perguntou.

– “Sabe o que eu fico pensando? Quando você tinha uns 13 anos e tentou colocar aquele brinquinho, seu pai não foi muito a favor. E como você era novo, seu pai se manteve firme e você não furou a orelha e não colocou o brinquinho que queria. Mas agora, com seus 19 anos, todo bonitão e saradão, você colocou este negócio na orelha e ela não consegue nem ficar em pé!” E disse ainda: “Há uma coisa que eu não entendo. Como é que alguém quer ser cheio do Espírito Santo mas voluntariamente entristece o pai e a mãe? Porque eu te garanto que seus pais devem estar tristes por causa deste ferro na tua orelha! Como é que alguém pode ser cheio do amor de Deus e voluntariamente entristece alguém que deveria honrar? Tem coerência isso?”

Então mudei de assunto e ele se deitou ao lado da sua mãe. De repente ele se levantou sem o piercing. Eu fiquei quieto, não disse nada. Só que estava no horário do trabalho dele e, quando saí, ele me pediu carona e eu dei. No caminho eu não aguentei e lhe fiz uma pergunta: “Por que você tirou o ferrinho da orelha? Por acaso ficou constrangido com a nossa conversa?” Ele respondeu: “É que você me deu uma ‘espadada’. Hoje de manhã, quando acordei, orei a Deus pedindo para ser cheio do Espírito Santo e em seguida você falou sobre como alguém pode querer ser cheio do Espírito mas deliberadamente ofende seu pai e sua mãe.”

Romanos 5:5 diz que Deus derramou Seu amor sobre nós pelo Espírito Santo que nos foi dado. Se o Espírito Santo nos enche, com certeza não iremos defraudar, enganar ou ofender ninguém, não iremos tocar em propriedade alheia porque o Espírito não irá nos levar a isso, mas nos levará à santidade. Mas é uma grande incoerência a gente orar pela manhã pedindo a Deus para ser cheio do Espírito e, à tarde, fazer escolhas que afrontam e confrontam o Espírito Santo.

Tempos atrás eu estava no Chile e recebi a notícia que um jovem da igreja, 22 anos, desviado, havia sido esfaqueado e morto em um baile. Na hora que falaram o seu nome eu lembrei da família. Seu pai havia se desviado e levado ele e mais dois filhos para o mundo. Durante uma confusão, o rapaz foi morto. Depois de um tempo voltei para lá e sentei com a família para saber da história mais a fundo. Lá estavam os dois filhos sobreviventes da tragédia, que escaparam da morte por um milagre. Conversando com um dos meninos, vi que ele estava muito revoltado com Deus e lhe perguntei o motivo disso. Ele respondeu que não entendia a Deus, porque seu irmão sempre orava pedindo proteção a Ele. Perguntei-lhe: “Seu irmão pedia proteção para ir ao baile, para farrear com as garotas? Deus é bom, mas você não acha isso uma incoerência?”

É a mesma coisa que os traficantes do Rio fazem com os pastores, quando entramos nas favelas – eles pedem oração! Mas, para que querem oração? Para se darem bem no tráfico ou em um assalto? Para a polícia não os pegarem? Será que Deus tem cumplicidade com isso? Falei para aquele rapaz: “Você está parecendo aqueles bandidos do Rio, que querem oração para fazer coisas erradas! O nosso Deus é Santo, e você devia dar graças a Deus por não estar morto também!”

As pessoas estão brincando com Deus. Entretanto, nestes últimos tempos eu tenho visto Deus repreendendo fortemente muitos jovens como eu nunca vi. Penso que Ele está fazendo isso porque está considerando esta juventude mais responsável, mais entendida, mais instruída. Têm jovens que estão ensinando seus próprios pais sobre as coisas de Deus, repreendendo atitudes erradas deles com a bíblia na mão, mas sem vida e autoridade pessoal. Ou seja, eles possuem entendimento, mas não querem compromisso com o reino de Deus. Repreendem seus pais por conveniência e não por amor.

Qual é a vontade de Deus para a minha vida? A minha santificação! Que eu saiba possuir o meu próprio corpo em santificação e honra, que eu me abstenha de todo pecado de prostituição pois, se eu desprezar isso, não estarei desprezando a homens, mas a Deus. E Deus é vingador. Toda vez que eu defraudo alguém, que eu toco naquilo que não é meu, Deus se vinga! Amém!

No amor do Senhor Jesus.

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.