A vida e a obra de Jesus

O ponto central e o assunto mais importante de todos os fundamentos é a vida e a Obra de Jesus. Tudo na vida de um discípulo deriva do relacionamento e do conhecimento que tem da pessoa de Jesus. O objetivo de Deus para nós, como Igreja, é que cheguemos ao “pleno conhecimento do Filho de Deus” (Ef 4:13). Essa é uma jornada para toda a vida, que não pode se limitar apenas à compreensão do estudo abaixo, mas deve prosseguir mediante o estudo da Palavra e da iluminação do Espírito Santo.

Jesus não disse que veio trazer uma verdade. Ele disse “Eu sou a verdade”. Jesus não veio trazer simplesmente uma religião, nem uma filosofia, nem um conjunto de regras como código de conduta. Jesus veio trazer Ele mesmo. Ele é a ressurreição e a vida. Para receber esta vida temos que conhecê-lo devemos saber quem Ele é, de onde veio, o que Ele falou, o que Ele fez, onde Ele está, etc.

“Aquele que diz que está em Cristo, deve andar como Ele andou”, como andaremos como Jesus andou, se não soubermos como foi a vida e a obra de Jesus?

“Eu sou o caminho , a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”, João 14:6, Jesus é o único que nos leva ao Pai. Por isso devemos conhecê-lo e saber o que ele fez por nós. Esta proclamação que o evangelho faz da pessoa de Jesus, visa trazer fé aos nossos corações.


1) Jesus é eterno, Ele sempre existiu

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” Jo 1:1-3

Muitos pensam que Jesus é um ser que nasceu em Belém da Judéia. Mas isso não é verdade. Todos nós começamos a nossa vida quando somos gerados no ventre de nossas mães, antes não existíamos. Mas não foi assim com Jesus. Ele sempre existiu. Não como homem, mas como o Verbo de Deus. O Verbo nunca foi criado, Ele era Deus e sempre existiu. Foi ele quem criou todas as coisas.

Cl 1:15-17
“O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele subsistem todas as coisas.”

Grandioso é Jesus ! ( Ver também Hb 1:1-3 )


2) Ele era o verbo que se fez homem

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.” Jo 1:14

“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, O qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.” Fp2:5-8

Que tremenda é esta verdade! O Verbo Eterno, criador de todas as coisas, se esvaziou de sua glória e assumiu a forma de homem.

Imagine um homem se transformando num verme. Isto ainda seria pouco para comparar com o que aconteceu a Cristo, porque o homem é criatura e o verme também. Mas quando o Verbo se fez carne foi algo muito mais tremendo! Foi o próprio criador assumindo a forma de uma de suas criaturas. A humilhação de Jesus não começou na cruz, mas sim em Belém, quando tomou a forma de um simples homem.

Nunca é demais salientar que nossa fé é no Deus-homem Jesus Cristo. Quando o Verbo se fez homem, Ele se esvaziou de sua glória de Deus (Jo 17:5), isto é, Ele se esvaziou dos atributos (qualidades e capacidades) de Deus, mas nunca deixou de ser a Pessoa do Verbo. Ele continuou sendo o Verbo, mas agora em carne humana esvaziado de sua glória, mas não totalmente. Ele tinha em sua humanidade toda glória possível da verdade e da graça de Deus (Jo1:14). Isto é um mistério.

Maravilhoso é Jesus ! (Leia também 1Jo 4:2-3, 1Tm 3:16, Rm 8:3)


3) Nunca pecou

“Ele não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano” 1 Pe 2:22

Primeiro Jesus se esvaziou tornando-se homem. Depois, como homem, continuou se esvaziando. De que forma? Não fazendo nunca a sua própria vontade.

O texto de Fp 2:6-8 diz: ” … se humilhou, sendo obediente até a morte… “. Qual foi o pecado de Adão ? Fez sua própria vontade. Agora, Jesus, o ultimo Adão (1 Co 15:45) veio para fazer sempre a vontade do Pai (Jo 4:34 ; 8:29). Por isso as Escrituras dizem que Ele nunca cometeu pecado. Porque nunca fez a sua própria vontade.

O diabo tentou Jesus desde o princípio para que Ele fizesse a sua própria vontade, mas Jesus sempre permaneceu obediente ao Pai até a morte e morte de cruz.

Santo é Jesus ! (Leia também Hb 4:15; 7:26, 1 Jo 3:5)


4) Fez Grandes obras

“Concernente a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele.” At 10:38

Na vida de Jesus não admiramos somente a sua santidade, mas também o poder que se manifestou no seu ministério. Ele fez muitos milagres prodígios e sinais At2:22. Ele curou enfermos, deu a vista aos cegos, ressuscitou mortos, andou sobre as águas, multiplicou alimentos, pregou às multidões, fez discípulos e ensinou-lhes a agradar o pai.

Com que poder Ele fez isto? Ele não fez nada como Deus, pois havia se esvaziado da forma de Deus e vivia como homem. Portanto ele precisava do poder do Espírito Santo para fazer a obra de Deus. Por isso o Pai se alegrou tanto no seu batismo, porque naquele momento veio sobre Ele o Espírito Santo (Mt 3:13-17).

Tudo que Jesus fez foi pelo poder do Espírito Santo de Deus.

Era novamente um esvaziamento de Jesus, assumindo as limitações de homem e a sua necessidade do Espírito Santo para cumprir o seu Ministério.

Tremendo é Jesus ! (Leia também Jo 20:30-31)


5) Morreu pelos nossos pecados

“Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Co 5:21

“Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós.” Is 53:5-6

Todas as pessoas falam e até mesmo os incrédulos sabem que Jesus morreu pelos nossos pecados. Mas não teremos revelação espiritual enquanto não soubermos por que foi necessária esta morte. Por que Deus exigiu a morte de seu único filho?

Para conhecermos o amor de Deus é necessário conhecer também sua santidade e justiça. Deus é perfeitamente santo e perfeitamente justo. Não pode suportar nem mesmo aquilo que para nós seria um “pequeno erro”. Sua santidade se ofende com qualquer forma de pecado e sua justiça exige punição (Rm1:18 ). Assim é Deus.

Se a exigência é assim tão grande, e se só um homem totalmente perfeito pode agradar a Deus, então quem poderá agradá-lo? Será que existe alguém que preenche tais condições? A resposta clara da Escritura é NÃO.

“Não há justo, nem sequer um …” (Rm 3:10)

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 5:23).

E qual a consequência disto?
“…o salário do pecado é a morte … ” (Rm 6:63).

Esta é a morte eterna, o castigo eterno. Quem está sujeito a este castigo ? Toda a raça humana.

Quando o Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo, então entendemos como estamos mal diante de Deus e como é grande a nossa dívida para com Ele. Conhecemos a nossa culpa e perdemos a paz. Só então começamos a compreender porque Jesus morreu. Ele morreu para satisfazer a justiça de Deus e aplacar a sua ira. Nós merecemos ser castigados pelos nossos pecados, mas Jesus aceitou ser castigado em nosso lugar. Assim Deus satisfez sua justiça. Por isso Isaías diz que “. . . O Senhor agradou moê-lo” (Is 53:10)

Se nós somos culpados diante de Deus, como podemos ter paz com Ele? Só temos quando entendemos que Jesus pagou o nosso castigo: ” . . . o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele ” (Is 53:6). Jesus pagou a nossa dívida. ALELUIA !!!

Vejamos abaixo um quadro completo do significado amplo da morte de Jesus:

 

Consequências do Pecado A morte de Jesus como solução
1 O homem ofendeu a santidade de Deus e provocou a sua ira. Romanos 1:18 A morte de Jesus foi propiciatória (Romanos 3:25, Hebreus 2:17, 1 João 2:2, 1 João 4:10), ou seja, Satisfez a justiça de Deus – Não significa que a justiça de Deus foi eliminada, mas sim satisfeita).
2 Por causa disso o homem está condenado ao castigo eterno. Romanos 6:23 A morte de Jesus foi um sacrifício (Efésios 3:24, Efésios 1:17). Isto quer dizer que sua morte foi substitutiva, Ele morreu por nós (1 Pedro 2:24, 3:18). Foi uma troca, o justo pelos injustos. Significa que o nosso castigo já foi pago.
3 O homem também se tornou escravo de Satanás e do pecado. Efésios 2:2-3 A morte de Jesus foi redentora (Romanos 3:24, Efésios 1:17). Isto significa que Ele nos resgatou (Gálatas 3:13). Ele que não era escravo de Satanás, foi até o “mercado de escravos” e nos livrou (Hebreus 2:14-15), nos comprou pagando o preço do resgate: Seu precioso sangue (Atos 20:28, Apocalipse 5:9).
4 O homem perdeu a comunhão com Deus e não pode mais se relacionar com Ele. Isaías 59:2 A morte de Jesus foi reconciliadora (2 Coríntios 5:18-21, Colossenses 1:21-22). Reconciliar quer dizer “fazer a paz”. Quer dizer afastadas as barreiras, o homem pode novamente estabelecer relações com Deus. Como já houve propiciação, sacrifício e redenção, agora Deus reaproxima o homem d’Ele e faz com que ele goze novamente de dua amizade.

Existe um outro aspecto da morte de Jesus: O fato de que fomos incluídos na sua morte.

Amado é Jesus !


6) Ressuscitou

“Ao qual Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte, pois não era possível que fosse retido por ela.” At 2:24

Se a morte de Jesus está coberta de glória, quanto mais a sua ressurreição! As Escrituras nos mostram vários aspectos da ressurreição e seu amplo significado. Vamos ver os principais:

a) A ressurreição de Jesus é a sua vitória sobre a morte.
E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.
Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. (1 Co 15:54-57)

O que é a morte ? A morte não é deixar de existir. A morte física ocorre quando o espírito e a alma deixam o corpo. Quando se quebra a unidade entre o espírito, a alma e o corpo então acontece a morte física.

Para vencer a morte, Jesus precisava de uma ressurreição física, ressurreição do corpo. Um corpo de carne e osso e não um espírito (Lc 24:39-40). Para provar isso Jesus comeu na presença dos discípulos (Lc 20:20;24-27). Entretanto era um corpo transformado. Não estava preso a espaço nem ao tempo. Podia aparecer e desaparecer. (Lc 24:31, Jo20:19; 26).

Com a ressurreição física Jesus passou a ter novamente a unidade entre seu corpo , alma e espírito. Desta maneira Ele venceu a morte. (1 Co 15:54)

b) A ressurreição é que produz a fé no Senhor.
A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. (Rm 10:9)

A fé dos discípulos “entrou em parafuso” depois da morte de Jesus (Jo 20:19;25, Lc 24:21-22). Esta fé foi restabelecida quando Jesus ressurreto apareceu aos discípulos (Jo 20:8; 20). Sem a ressurreição física, quem creria no crucificado? Mas pela sua ressurreição ele foi comprovado como Filho de Deus (Rm 1:4, At 13:33) e como juiz universal (At 17:31)

c) A ressurreição de Cristo é o fundamento de nossa união com Ele.
A nossa fé em Jesus não é um simples pensamento de nossa mente, nem é uma mera aceitação mental das coisas que ouvimos sobre Ele. Nossa fé Nele é poderosa porque nos une a Ele. Toda a nossa vida é ” em Cristo” (Paulo usa esta expressão 164 vezes). O pecador só pode ser abençoado pela obra de Cristo quando é unido a Ele.

Entretanto nós somos homens, e a igreja, apesar de ser um organismo celestial, é um organismo humano. Para que Jesus se tornasse o cabeça deste organismo humano era necessário ser homem para sempre. Por isso necessitava de um corpo humano. Sem a ressurreição do corpo, Cristo teria deixado de ser humano. Pela ressurreição física o Senhor tornou-se homem eternamente, com um corpo transfigurado e glorificado. Ele agora é o “homem do céu” (1 Co 15:47) é o Filho do Homem que está no meio dos candeeiros (Ap 1:13) , é o cabeça de uma nova raça (Ef 1:22-23).

A ressurreição de Cristo é, portanto, aquilo que faz a grande diferença entre a fé cristã e a religião dos homens. Homens como Buda, Maomé, Alan Kardek e outros, fundaram suas religiões. Mas onde estão hoje? Estão mortos. Isto prova que não venceram o salário no pecado. Os seguidores destes homens não tem nada mais do que um livro de regras e doutrinas. Eles estão sós. Se este livro não salvou seus escritores, muito menos salvará seus seguidores. Mas nós não temos uma religião, um livro de regras e doutrinas morto e sem poder. Temos uma pessoa viva que vive em nós e nós Nele. Esta é a esperança da glória (Cl 1:27)

d) A Ressurreição de Jesus é a base de nossa ressurreição.
A ressurreição do corpo só é possível pela ressurreição do Senhor Jesus. Pela sua ressurreição ele glorificou e transfigurou a humanidade Nele. Ele é “as primícias” (1 Co 15:20;23, Cl 1:18). Sua vitória sobre a morte garante a nossa própria ressurreição (Rm 8:11, 1Ts 4:14). Seu corpo de glória é o padrão dos nossos futuros corpos (Fp3:20-21, 1 Co 15:48:49) .

Glorioso é Jesus !


7) Foi Exaltado

“Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” Fp 2:9-11

Que verdade gloriosa ! Como gostamos de ler falar, repetir e até cantar esta palavra !

Os homens do tempo de Jesus, inclusive os sacerdotes, o julgaram como criminoso e o desprezaram. Mas Deus tinha um julgamento totalmente oposto ao dos homens.

Que dia tremendo foi aquele quando Pedro se levantou e disse: “Esteja absolutamente certa, pois, toda casa de Israel de que a este Jesus que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo”.

Há entretanto uma verdade que deve ser lembrada e bem aclarada: Antes de vir ao mundo, o Verbo tinha toda a glória de Deus; era Deus e não um homem. Agora pois o Verbo encarnado em Jesus, depois do sofrimento da crucificação e da ressurreição física, é recebido nos céus como homem. Como homem Ele é exaltado. Como homem Ele se assenta a direita de Deus Pai e recebe um nome acima de todo nome.

ALELUIA! Há um homem sentado no trono do universo ! Jesus, o Filho do Homem, o cabeça de uma raça redimida.

No entanto, nunca esqueçamos do mistério (1 Tm 3:16 ). Jesus é nosso Deus-homem. Ao ser exaltado ele recebeu de volta toda a glória como Deus (Jo 17:5). Ele tem toda a divindade (Cl 2:9 ). Ele tinha afirmado que somente Deus poderia ser adorado e cultuado (Mt 4:10), entretanto Ele aceitou essa adoração (Mt 14:33; 15:9, Jo 20:28, Hb 1:6, Ap 5:8-14).

Ele é onipresente, está em todo lugar ( Mt 18:20; 28:20 ); é onisciente, sabe todas as coisas (Jo 21:17, Cl 2:2-3); é onipotente, trem todo o poder (Ap 1:18). Ele é Deus (Tt 2:13, Rm 9:5, Cl 2:2, 1 Jo 5:20).

Que coisa incompreensíveis acontecem neste grandioso mundo desconhecido que chamamos céu! Nossa mente não pode imaginar que coisas tremendas acontecem do outro lado do véu. Mas basta que a igreja compreenda uma coisa: tudo o que se opera ali, é feito pela autoridade de seu Senhor e nada se faz sem a sua iniciativa.

Majestoso é Jesus ! (Leia também At 2:33-36)


8) Ele voltará!

“Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.” Mt 24:30

Que bendita esperança! o Senhor glorificado virá e se mostrará ao mundo. Este será sem dúvida o dia mais tremendo que esta terra terá conhecido. Para muitos será um dia de terror e lamentação. Para nós, porém, será um dia de júbilo e alegria incomparável.

O que a bíblia ensina sobre este dia? O Assunto é tão amplo e com tantas implicações, que alguns textos são motivo de discussão, e dão origem a interpretações diferentes. A maior parte do ensino, entretanto, se refere a coisas claras e indiscutíveis. São estes textos claros e sem discussão que queremos apresentar aqui.


Leia cada texto com atenção e alegre-se no Senhor.

a) A vinda do Senhor foi predita (profetizada)
· Pelos profetas (Zc 14:3-5)
· Por João Batista (Lc3:3-6)
· Por Jesus Cristo (Jo 14:2-3)
· Pelos anjos (At 1:11)
· Pelos apóstolos (Tg 5:7, 1 Pe 1:7;13, 1 Ts 4:13-18)

b) A vinda do Senhor será:
· Pessoal (e corporal) (Jo 14:3, At 1:10-11)
· Visível (Ap 1:7, 1Jo 3:2-3)
· Literal (real) (1Ts 4:16)
· Repentina (de surpresa) (Mt 24:42-44, 1Ts 5:1-3)

c) O Senhor virá para:
· Ressuscitar os mortos em Cristo (1Ts 4:16, 1Co 15:22-23)
· Transformar os vivos a imortalidade (1Co 15:51-53)
· Arrebatá-los para encontrá-lo nos ares (1Ts 4:17)
· Julgar e recompensar os santos (2Co 5:10, 1Co 3:12-15)
· Casar com a noiva (Ap 19:7-9; 21:2)
· Destruir o anticristo (2 Ts 2:8)
· Julgar as nações (Mt 25:31-33)
· Julgar a todos (2 Tm 4:1)
· Acorrentar Satanás por mil anos (Ap 20:2-3)
· Estabelecer seu reino milenar. (Ap 20:4-6)

“Certamente venho sem demora. Amém. Vem Senhor Jesus.”
Ap 22:20

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.