A impureza sexual.

Este é um dos pecados mais dominantes da nossa sociedade.
Já que é tão comum e aceito por tantas pessoas quase como norma de vida, é necessário que como cristãos, nos conscientizemos com a clara orientação da palavra de Deus.

I. Deus criou o homem e a mulher e é o autor do sexo
Gênesis 2:20-25; 1:27-28

Portanto o sexo é puro e santo dentro do quadro do sublime propósito de Deus. Segundo o relato bíblico, a mulher foi feita de uma parte física do homem. Há, pois, desde o princípio, uma afinidade natural entre os dois sexos. Deus colocou entre os dois uma atração mútua. Isto é normal e constitui uma lei natural em toda raça. Evidentemente, esta atração entre os sexos foi estabelecida por Deus tanto para felicidade do ser humano, como também para a procriação da raça. Já que é uma relação tão dinâmica e tão poderosa, e para evitar abusos e consequências muito tristes, Deus mesmo fixou certos limites bem claros que devemos respeitar inquestionavelmente.

II. As relações sexuais são reservadas unicamente para a vida matrimonial.

A passagem referida em Gênesis faz concluir que a relação normal é de monogamia. Além disso, é uma relação indissolúvel, vitalícia. Dentro do matrimônio a relação sexual é pura, normal, prazerosa, legítima, não é suja (1 Coríntios 7:2-5; 10:17; Provérbios 5:15-23). Deve ser purificada, pois, de impurezas e de atitudes abusivas, egoístas e anormais.

Cada homem deve ter a sua própria esposa (a menos que Deus lhe haja dado o dom de castidade), e conformar-se e limitar-se estritamente a ela, quanto a contatos sexuais. O corpo de cada parte do matrimônio está sob a posse da outra parte (se aplica a ambos os sexos e acaba com o machismo). Devemos nos disciplinar sexualmente. A castidade não é impossível ao homem (Ver 1 Coríntios 7.2-4).

III. Toda relação sexual fora do matrimônio está proibida e Será julgada por Deus
1 Coríntios 6.9; Gálatas 5.19; Efésios 5.3-5; Colossenses 3.5; 1 Tessalonicenses 4.1-7; Hebreus 13.4; Mateus 19.9

As relações sexuais entre noivos comprometidos são muitos prejudiciais e são proibidas por Deus. Cristo condenou também os desejos impuros, a cobiça, as paixões desordenadas, as “olhadas” e as intenções de cobiça ou sugestivas (Mateus 5.27-28).

Ver o que ensinou o apóstolo Paulo em 1 Coríntios 6.13-20:
V. 13: Nossos corpos são para o Senhor,
V. 15: Nossos corpos são membros do corpo de cristo (Fornicação: NÃO)
V. 19: Nossos corpos são templos do espírito santo. Não somos nossos.

Eis aqui, o mandamento chave

V. 18: FUGÍ DA IMPUREZA. (Do ato, da ocasião, do pensamento, da intenção, dos lugares de tentação, das amizades ou qualquer outra coisa que promova a imaginação ou que leve a ceder frente à tentação, revistas, livros e filmes pornográficos ou sugestivos, alguns programas de TV, vestimentas sugestivas, conversas, principalmente de duplo sentido e etc.).
V. 20: Glorificai a Deus em vossos corpos e em vosso espírito.
IV. Deus condena todo abuso ou uso anormal do sexo. (Romanos 1.18-32)

Anotamos abaixo alguns usos perversos do sexo:
(a) Incesto: Contato sexual entre parente próximo (Deuteronômio 27.22; Levítico 20.17-19).
(b) Homossexualismo: Pecado sexual entre pessoas do mesmo sexo, chamado de lesbianismo quando entre mulheres (Levítico 18.22; Romanos 1.26-27).
(c) Masturbação: Auto excitação com o fim de produzir o orgasmo. É baseada no egoísmo. Não cumpre o propósito puro do sexo e sempre vem acompanhada de pensamentos impuros.
(d) Relação sexual entre um ser humano e um animal. (Levítico 18.23-24; Deuteronômio 27.21).
(e) Sodomia: Relação sexual perversa e antinatural de distintas formas.
(f) Afeminado: Conduta de um homem que parece de mulher (1 Coríntios 6.9)

V. A igreja tem o dever de se manter pura.
E, se necessário, disciplinar os membros que incorrerem nestes pecados (Ler 1 Coríntios 5). Devemos ser realistas e sábios e colocar-nos frente à real necessidade das pessoas de nossa congregação. A impureza sexual corrompe o ser humano mais rápido que qualquer outro pecado. Nota-se que Jesus e os primeiros apóstolos sentiram necessidade de dar instruções e advertências claras a respeito do assunto.
O sangue de Cristo nos limpa de todo o pecado, quando este é confessado e abandonado (1 Coríntios 6.9-11; 2 Coríntios 2.5-11; 1 João 1.9).

VI. Como assegurar a pureza sexual.
(a) Ter consciência de que o corpo é para o Senhor, é sagrado (1 Coríntios 6.13);
(b) Cuidar dos olhos;
(c) Cuidar da imaginação, especialmente na cama, quando está sozinho e tranquilo. Não dê asas;
(d) Cuidar das palavras sugestivas e de duplo sentido;
(e) Cuidar os gestos;
(f) Não alimentar os desejos carnais. Para jovens, especialmente, o trabalho manual duro, os esportes e até o cansaço são bons nesse sentido. Um corpo ativo e uma mente ocupada dignamente são fatores muito positivos na luta contra a impureza;
(g) Cuidar das amizades e das conversas;
(h) Orar, exercer fé no Senhor, jejuar, viver no espírito, confiar em Deus, para guardar-nos de toda a impureza;

Sejamos um povo que se caracteriza pela pureza sexual. Exortemo-nos mutuamente á santidade do corpo de cristo.

por Igreja em Salvador

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.