A importância do evangelho do Reino de Deus

O Reino de Deus não era só um tema do novo testamento e nem um dos temas principais, mas sim, O TEMA de todo novo testamento. Todos os outros temas são sub-temas deste grande Tema, O Reino de Deus.

O Reino de Deus não era só um tema do novo testamento e nem um dos temas principais, mas sim, O TEMA de todo novo testamento. Todos os outros temas são sub-temas deste grande Tema, O Reino de Deus.

Existem expressões paralelas na Bíblia. O Reino de Deus e o Senhorio de Cristo. Podemos observar isto no Salmo 145:13, segundo o paralelismo hebreu as duas frases estão dizendo a mesma coisa.

“O teu reino é o de todos os séculos, e o teu domínio subsiste por todas as gerações. O SENHOR é fiel em todas as suas palavras e santo em todas as suas obras.” – Salmos 145:13

Reino de Deus e Reino dos céus significam exatamente a mesma coisa. A mesma mensagem de Jesus, Mateus disse “Reino dos céus” e os outros evangelhos dizem “Reino de Deus”.

Qual o Evangelho que Jesus pregou?

Isaías profetizou qual seria o evangelho que pregaria Jesus
“Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!” – Isaías 52:7 

A mensagem de João Batista
“Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.” –  Mateus 3:2

Jesus começou o seu ministério com a mensagem do Reino de Deus
“Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.” – Mateus 4:17

Em toda Galiléia Jesus pregou o Evangelho do Reino de Deus
“Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo.” –  Mateus 4:23

“Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, 15 dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho.” – Marcos 1:14-15

Em todas as Cidades e Aldeias de Israel Jesus pregou o Evangelho do Reino de Deus
“E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades.” – : Mateus 9:35

“Aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, e os doze iam com ele” – Lucas 8:1

Jesus sabia muito bem porque tinha sido enviado. Para pregar o Evangelho do Reino de Deus
“Sendo dia, saiu e foi para um lugar deserto; as multidões o procuravam, e foram até junto dele, e instavam para que não os deixasse. Ele, porém, lhes disse: É necessário que eu anuncie o evangelho do reino de Deus também às outras cidades, pois para isso é que fui enviado.” – Lucas 4:42-43

Jesus enviou os doze para pregar a mesma mensagem do Reino
“Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para efetuarem curas. 2 Também os enviou a pregar o reino de Deus e a curar os enfermos.” – Lucas 9:1-2

Enviou os setenta para pregar O Reino de Deus
“Depois disto, o Senhor designou outros setenta; e os enviou de dois em dois, para que o precedessem em cada cidade e lugar aonde ele estava para ir. Quando entrardes numa cidade e ali vos receberem, comei do que vos for oferecido. 9 Curai os enfermos que nela houver e anunciai-lhes: A vós outros está próximo o reino de Deus.” – Lucas 10:1,8-9

Lucas fez um resumo significativo de toda a mensagem de Jesus
“A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele.” –  Lucas 16:16

Jesus anuncia que antes do seu regresso será pregado em todas as nações este Evangelho do Reino
“levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo. E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” – Mateus 24:11-14

Qual era o tema dos ensinos de Jesus?

Jesus ensinava de duas maneiras: em forma direta e por parábolas. O Evangelho de Mateus resume os ensinos diretos de Jesus em três capítulos: 5,6,7, conhecido como o Sermão do Monte.

No capítulo 5:2 o verbo ensinar no grego é: didaskein. De modo que, este sermão é um sermão de ensino e não somente do monte. Ao concluir este sermão no capítulo 7:28 o texto diz: estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina. Este substantivo, traduzido por doutrina ou ensino, é o grego “didaque”, ele provém do verbo didaskein. O conceito bíblico de doutrina não é teologia ou credo, senão ensino. São os ensinos do Reino. Em sua maior parte, constam como mandamentos (no modo imperativo), e revelam a vontade de Deus para a vida e conduta de seus discípulos e todas as pessoas.

Nos três capítulos (5,6,7) de Mateus Jesus ensina sobre o Reino:

  • Nas bem-aventuranças: 5:3, 5:10;
  • No Pai nosso: 6:10 e 13;
  • Nas prioridades da vida: 6:33;
  • Ao ensinar sobre quem seria salvo: 7:21-23.

Em todas as parábolas de Mateus (um total de 14) o tema era sempre o mesmo, O Reino de Deus.

As sete parábolas do capítulo 13 de Mateus:

  1. A semente é a palavra do Reino: segundo o v.19
  2. O Reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente: v.24
  3. O Reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda: v.31
  4. O Reino dos céus é semelhante a o um fermento: v.33
  5. O Reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido: v.44
  6. O Reino dos céus é semelhante a comerciante: v.45
  7. O Reino dos céus é semelhante a uma rede: v.47

As outras 7 parábolas no evangelho de Mateus:

  1. O Reino dos céus é semelhante a um rei que quis ajustar contas: 18:23
  2. O Reino dos céus é semelhante a um pai de família: 20:1
  3. Um pai que tinha dois filhos: 21:28-32
  4. Um pai de família que plantou uma vinha: 21:33-43
  5. O Reino dos céus é semelhante a um rei que fez festa para as bodas de seu filho: 22:2
  6. O Reino dos céus é semelhante a dez virgens: 25:1
  7. O Reino dos céus é como um homem que… v.25:14

Jesus durante seus três anos e meio de ministério pregou e ensinou sempre o Reino de Deus. Finalmente quando morreu na cruz, ressuscitou ao terceiro dia, apareceu aos seus por quarenta dias.

Jesus ressuscitado – Qual foi o assunto de Jesus com os seus durante 40 dias?

Lucas, em Atos 1:3 diz: A estes também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus.

Como se não fosse o bastante durante os três anos e meio falar sobre este tema, agora em seus últimos quarenta dias ressuscitado ele lhes fala sobre o mesmo tema!

Qual era o tema da pregação dos apóstolos?

PEDRO NO PENTECOSTES: Apresentou a Jesus como aquele que se assentou no trono de Davi, para Reinar para sempre. Concluiu a sua mensagem apresentando a Jesus como SENHOR – Atos 2:29-36

FELIPE EM SAMARIA: Pregou o Evangelho do Reino de Deus – Atos 8:12

PAULO EM ÉFESO: Primeiro, por três meses na sinagoga falou sobre o Reino de Deus (Atos 19:8). E logo define o seu ministério de três anos nessa cidade dizendo: Agora, eu sei que todos vós, em cujo meio passei pregando o reino, não vereis mais o meu rosto. (Atos 20:25)

PAULO PRESO EM ROMA: Pregou o Reino de Deus: Atos 28:23 e 30-31.

O tema nas epístolas

A expressão Reino de Deus, ou Reino dos céus, ou simplesmente Reino, aparecem 133 vezes no novo testamento. Na maioria das vezes no quatro evangelhos e no livro de Atos.

Nas epístolas o tema segue sendo o mesmo, porém o que muda é só a expressão. Se bem que, a expressão Reino de Deus aparece nas epístolas, como em Romanos 14:17/1 Coríntios 4:20,6:9, Colosensses 1:13, e outros, no entanto não é freqüente como nos evangelhos.

A síntese do Kerigma (proclamação) de Jesus Cristo era: “O Reino de Deus é chegado”. A diferença da proclamação do Kerigma dos apóstolos era: “Jesus Cristo é o Senhor”. Estas duas expressões: Reino e Senhorio são sinônimos, como podemos observar a expressão do Salmo 145:13.

A palavra “Senhor” (KIRIUS no grego) no novo testamento, quando se refere a Cristo ela se repete mais de 600 vezes. Dessas 600 vezes, 260 estão nas epistolas de Paulo.

Porque os apóstolos, e especialmente Paulo, preferiram usar mais a palavra KIRIUS que REINO?
Existem duas razões: Cultural/ Teológica

a) A razão cultural

Os judeus podiam entender bem o conceito do Reino de Deus. Para eles a autoridade máxima havia sido sempre um rei. Porém, quando o evangelho se estendeu para o império romano, este império havia muitos reinos e muitos reis debaixo da autoridade de César. O máximo título do império usado pelo o imperador a quem se dizia o Kirius, dono e senhor do império, máxima autoridade, com ambição de ser “deus”. Paulo teve lucidez espiritual e intelectual de entender que se usasse a expressão reino falaria de Jesus como um Rei, no contexto da época, colocaria Jesus em um nível inferior ao de César. Por isso, preferiu por revelação do Espírito Santo, falar de Jesus o KIRIUS.

b) A razão teológica

O Pai exaltou o filho, ressuscitou dentre os mortos e o assentou a sua direita na majestade, e lhe deu o nome que está acima de todo o nome. E deu uma ordem universal a todos os seres do universo, anjos, demônios e seres humanos: que todos devem se prostrar diante do filho e confessar, Jesus Cristo é o Senhor! – Fil2:5-11/ Ef.1:20-22

o Pai entregou o Reino a seu filho. Por isso agora é o Reino do seu filho amado (Col.1:13). Quando tudo estiver concluído e colocado todos os inimigos submetidos debaixo de seus pés, o filho novamente entregará o Reino ao Pai – (I Cor.15:24-28)

O tema em apocalipse

Não há nenhuma dúvida que o tema dominante em Apocalipse seja o Reino de Deus. A visão central é o Trono de Deus. Jesus Cristo é o Senhor, é soberano sobre os reis da Terra, é o cordeiro imaculado que está assentado no Trono, é o vencedor absoluto. Tudo deve ser visto dentro desta perspectiva: A adoração universal, os juízos, as lutas e a vitória final. Muitas coisas estão acontecendo na Terra, porém, Jesus Cristo é o Senhor e segue sempre no Trono.

Finalmente termina dizendo que de um modo pessoal e direto. Em suas vestes e em sua coxa está escrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES. Julgará os vivos e os mortos. E estabelecerá definitivamente o seu Reino sobre a Terra!

“Seu é o Reino, o poder e a Glória, pelo século dos séculos Amém!”

O que é o Reino de Deus?

O Reino de Deus não é um lugar, um território. Não é o céu. Não é a Igreja. Não é alguma coisa, um objeto, um estado.

Gramaticamente falando, a palavra Reino é um substantivo. Existem substantivo que indicam coisas, pessoas, lugares, sentimentos, etc. Mas, também existem substantivos que indicam ação, por exemplo: a palavra salvação é substantivo que indica ação. O dicionário traduz esta palavra como: ação de salvar. Preparação: ação de preparar. Reino é um substantivo que indica uma ação. REINO é uma ação de reinar. O Reino de Deus é uma ação. Essa ação é um ato, é a realidade mais absoluta do universo. O Reino de Deus é o reinar de Deus. Esta realidade não se pode ser vista pelos olhos físicos. Por isso Jesus disse que: “todo aquele que não nascer denovo não pode ver o Reino de Deus” (João 3:3)

O universo não está na deriva, no universo existe um centro e neste centro existe um trono, neste trono Deus está reinando. Ele REINA! E sempre reinou! O seu Reino é um Reino de todos os séculos e o seu Senhorio de todas as gerações. O seu trono está firme eternamente e para sempre. Ele reina sobre tudo o que existe, Ele sustenta todas as coisas através da palavra do seu poder. Ele é a autoridade suprema do universo, Reina sobre os anjos, sobre principados e potestades, sobre satanás e seus demônios. Reina sobre as nações, sobre os reis, sobre os homens, sobre a natureza. Ele é o Senhor da história!

O Reino de Deus significa que Ele é o dono de tudo o que existe. Ao SENHOR pertence à terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam. (Salmos 24:1)

Tudo o que existe no mundo pertence ao Senhor. Todos os campos, as montanhas, os mares, os peixes, os animais. Toda a fauna, os minerais, os homens, tudo, absolutamente tudo pertence ao SENHOR. Legitimamente, por direito inerente, Ele é o criador de tudo. Nós não somos donos de nada, nada é nosso. Nosso corpo, nossa família, nossos filhos, terreno, a casa, o dinheiro, o tempo, a saúde, os dons, os talentos; tudo , absolutamente tudo pertence ao Senhor.

Ele é o juiz universal. Um dia todos nós devemos nos apresentar diante dele para prestarmos contas do que fizemos e o que decidimos em nossas vidas que Ele nos deu se vivemos de acordo com a vontade de Deus ou a nossa. Tudo o que fizemos com os nossos bens que nos foi confiado para que administrássemos. Nada será escondido neste dia. E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo (Hebreus 9:27).

Esse Rei do universo, se fez homem na pessoa de seu filho, o filho de Deus, o verbo eterno se fez carne, o Rei se fez servo, o dono de tudo se fez pobre, o criador se tornou criatura, o juiz deixou a sala do trono para ocupar o lugar do réu, de pecador. Porque? Para que?

Por que todos nós estávamos rebelados contra o seu Reino, pecamos contra Ele, desconhecíamos a sua autoridade, vivíamos como queríamos, mas Ele nos amou. Ele veio para nos salvar, para nos dar uma nova oportunidade. Veio nos chamar para o arrependimento, nos chamar para o seu Reino. Por foi por todas as partes anunciando as boas noticias do Reino, dizendo: dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho. (Marcos 1:15)

O Reino de Deus chegou? Onde? Como? Aquele que reina está entre nós, bem-aventurados os que crêem, bem-aventurados os humildes, os que choram, os mansos… por que deles é o Reino de Deus. Daqueles que buscam primeiro o Reino de Deus que desejam que Ele governe a sua vida, as demais coisas são secundárias, o Pai nos dará as demais coisas. Aqueles que quando oram rasgam o seu coração dizendo: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu (Mateus 6:9-10).

Esse filho de Deus, para poder salvar-nos carregou nossos pecados sobre o seu corpo, morreu na cruz em nosso lugar, pagou a nossa condenação. Mas ao terceiro dia, ressuscitou, foi exaltado pelo Pai, se assentou em seu trono, e o Pai o fez Senhor!

Hoje nós devemos fazer igual a Jesus e aos apóstolos, devemos pregar o Evangelho do Reino de Deus. E devemos dizer como Paulo – (Romanos.10:8-9).

Esta é a palavra que devemos pregar: Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.

Para que Jesus seja o nosso Salvador, devemos reconhecê-lo como Senhor.

Matéria: O Senhorio de Cristo
Elaborado por Jorge Himitian
Traduzido por Cesar Morgado

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.