A bênção de ser o segundo

Esta ministração não é um estudo elaborado, mas fruto de anos de inquietação e constatação de quanto o meu coração é perverso e busca o meu próprio interesse e me assustei com situações que vinham ao meu coração em relação ao trato com companheiros, com minha autoridade, com pessoas que estão sob os meus cuidados. Muitas vezes me espantei em determinadas insinuações que estavam alojadas em meu coração. Por muito tempo pensei “Como faço para mudar isso? Tem alguma vacina para curar isso?”. Concluí que não existe vacina contra esse mal. É um mal inerente ao ser humano, inerente à carne. Não temos muito como nos esforçar para nos livrar disso, mas houve algumas experiências que cooperaram para trazer um sentimento de desgosto e desespero em clamar ao Senhor para que nos livre disso.

Não sei quantos já tiveram o sentimento de ver alguém o qual você foi tentado a competir ou sentiu inveja e ciúmes e lá na frente viu esta pessoa caída e até separada de Deus. Isto aconteceu comigo! Gente que eu conheci e que eu permiti sentimentos de ciúme dentro de mim e depois tive o desgosto de vê-la caída e separada de Deus. Quanta vergonha diante de Deus por eu não ter feito o que eu deveria ter feito. Orar, proteger, abençoar e servir ao meu irmão. Todas estas ações diante de Deus foram tão angustiosas e desagradáveis e comecei a pedir ao Senhor para identificar de onde vinham estes sentimentos, ou que me ajudasse a colocar rédeas para transformar isso em algo que possa glorificar a Deus.

“O homem sábio é forte, e o homem de conhecimento consolida a força”. – Provérbios 24:4

A ira e o furor são manifestações carnais, mas são momentâneas e às vezes você reage a uma situação que lhe provoca ira. Comporta-se mal, é indelicado, ofende alguém. Mas isso passa, você se envergonha, volta se retrata, mas o ciúme é diferente, ele não se expõe prontamente, não se manifesta logo, fica no coração fermentando,  e o ciúme vai crescendo até chegar a uma medida que você percebe que está muito próximo do coração de alguém que não conhece ao Senhor. Existem algumas ilustrações na bíblia de pessoas que ficaram cegas e mal comportadas, se comparam com outros. As pessoas sem perceber começam a criticar sem motivos o outro e não se dá conta deste ridículo. Isto é uma manifestação espontânea de uma pessoa que está tomada pelo ciúme.

José foi vítima de ciúmes

Um dos exemplos mais claros disto foi José. Ele era o 11º filho de Jacó, tinha 10 irmãos mais velhos e quando seu pai começou a dar preferência a ele, (ele era muito pequeno, tão pequeno que não conseguia ir ao campo e ficava em casa cuidando do rebanho), mas os irmãos começaram a notar que José era o preferido do pai e o pior era que José começou a ter sonhos e isto foi motivo de ciúmes.

Fico imaginando a maneira simples como José chegava para contar seus sonhos aos seus irmãos. – “Tive um sonho engraçado hoje, sonhei que todos nós tínhamos um feixe e de repente os seus feixes se inclinavam para o meu feixe!”.

Para José era uma coisa simples, mas para seus irmãos não era. Eles iam sendo tomados de inveja. E aquilo foi fazendo gerar um sentimento perverso, tão perverso que não pensaram duas vezes em matar seu irmão.

O ciúme produz raiva, um desgosto de ver o outro se projetar, parece que cada progresso do nosso irmão é uma amargura para nós porque estamos tomados de inveja e era o que estava no coração dos irmãos de José, mas aquele menino que eles queriam matar era seu irmão mais novo que certamente levaram no colo, cuidaram, mimaram…

Me lembro de irmãos que mimei, que criei. Será que intentaria matar um destes?

Eu não sou melhor que nenhum destes patriarcas. Deles se originaram as 12 tribos de Israel cujos nomes estão escritos nos muros de Jerusalém e fizeram parte do projeto que Deus tinha para suas famílias e eles eram homens maus e não somos melhores que eles.

Enganoso é o coração do homem

Eu tenho problemas com irmãos que estão tratando de sentimentos e dizem: “Já sondei meu coração e não tem nada!”

Como é que se sonda o coração e descobre que não tem nada? Essa declaração já denuncia que está sendo enganado. Afirmação tola. É mais fácil o coração enganar a você do que a outra pessoa. Talvez por isso Deus tenha estabelecido uma estratégia simples para cumprir seu propósito. O Serviço dos Santos. Juntos uns dos outros sem a opção de não estar unido porque aí é que o coração se manifesta, mesmo quando não quero, mesmo quando não peço, sou tratado se estou me relacionando de perto com meus irmãos.

A glória é de Deus

Uma palavra que tem sido muito renovada no meio do povo de Deus é: “A importância de Deus e dar a Ele toda a glória.” Estou bem convencido de que isto é uma verdade porque muitos ministérios se acabaram devido aos homens se colocaram no centro e não o Senhor, mas eu acho que há um risco mais disfarçado entre nós. Querer tomar a honra de Deus para nós é tão grosseiro que nós já tomamos muito cuidado com isso, o risco maior é quando está em jogo a minha honra ou a de meu irmão. Acho que podemos ser mais facilmente embaraçados pela “síndrome de Caim”. O que fez Abel para contrariar tanto Caim? Abel não fez nada contra ele, não estava competindo com ele, não queria ganhar dele. Abel queria agradar a Deus, oferecer um sacrifício de uma vida e não o fruto de seu trabalho. Abel ofereceu um cordeiro. Caim quis fazer Deus receber o que ele queria dar pra Deus. Caim queria que Deus o recebesse como ele é, com o que ele tem e do jeito que ele quer!

Caim não podia manifestar sua ira contra Deus, manifestou contra seu irmão. O matou por inveja e ciúme. Que coisa maligna é esse desejo de ter proeminência em relação a meus irmãos. Que coisa diabólica é essa tão perto de nós e que temos que lutar diariamente.

A escritura nos apresenta como despenseiros dos mistérios de Deus e diz que temos que ser fiéis no serviço que nos foi confiado, naquilo que Deus nos confiou, devemos ser fiéis. Não escolhemos O serviço que nos é confiado. Ele não vai a nossa casa nos perguntar qual serviço que queremos. Ele não faz isso! Ele nos confia a seu serviço conforme sua soberania, sabedoria e nossa necessidade. Não deve me incomodar o serviço que Deus tem reservado para meu irmão. Se me preocupa “Porque Deus deu pra mim isso e deu pra ele aquilo?”, vou começar a estragar meu coração.

Lembro-me de um irmão que se aproximou há algum tempo atrás e que hoje anda afastado, chegou até mim e falou: “Tudo que estes garotos (Mário Fagundes e Marcos Moraes) estão pregando, tudo que eles creem é tudo que eu creio e queria fazer. Não sei por que Deus não me usou e usa-os?” eu respondi: “Irmão, tudo que eles fazem eu queria fazer também. Eu sempre sonhei com isso”.

A sensação que eu tinha na época era que não tinha igreja. Comparava a igreja no livro de Atos com a igreja atual e não via a Igreja.

Hoje eu sei por que Deus não me usou. Eu não conseguiria fazer nada disso e se eu tentasse fazer iria estragar o que Deus estava fazendo. Se Deus me levar para junto deles, bom será, mas eu não saberia fazer o que eles estão fazendo.

Há alguns que Deus chamou para abrir caminho, outros para irem atrás arrumando o caminho. Porque que todos tem que ser um trator?

Deus escolheu a cada um e deu a cada um o serviço.

Paulo dá um testemunho de Timóteo: “A ninguém encontrei de igual coração que não busca seu próprio interesse e sim o de Cristo”. Isso me deixa temeroso porque se naquela época da igreja que era modelo para nós já era raro encontrar um coração assim, imagina hoje com tanta divisão na igreja?

Se buscarmos o interesse de Cristo, não nos importaremos se nosso irmão se projeta mais que nós. Cada vez mais percebo que tenho que me conscientizar disto. Preciso voluntariamente buscar a honra do meu irmão mesmo quando eu quero a minha. Penso que uma maneira prática de exercitar isto é não se preocupar tanto com o que pensam sobre nosso respeito. Exercitar-nos a não ter reações prontas a elogios e críticas, nós reagimos muito a isto. Se alguém elogia é bom, mas se alguém critica é mais difícil.

Testemunho

Houve um episódio muito interessante há algum tempo atrás. Recém-chegado e começando a cuidar de um grupo caseiro. Minha mãe falecida, família um pouco abalada, eu estava desempregado, minha filha precisava de uma cirurgia e eu não tinha dinheiro, eu trabalhava como ajudante de pintor para poder suprir minha casa. Precisando de um cafuné.

O Marcos Moraes em uma pregação começou a honrar a vida de um irmão, dando características deste irmão,  eu achei que era eu. E aí Marcos fala o nome de outro irmão. Continuou a pregação e mais adiante ele falou em outro discípulo, e eu achei que era eu com certeza, mas era outro irmão.

Neste momento eu fiquei triste com dois sentimentos no coração:

  1. Será que ele não tá vendo que eu to precisando?
  2. Como eu sou mau, porque eu não posso me alegrar com a honra do meu irmão?

Aí eu comecei a fazer algo que pode parecer hipocrisia para alguns, mas pra mim é exercício de obediência por fé. Eu fui me alegrar com meus irmãos. Eu estava muito triste naquele momento, mas eu não manifestei pra eles o que eu sentia.

Na semana seguinte eu confessei para os irmãos do meu grupo caseiro e em seguida para meus discípulos.

Duas coisas importantes que podem ser feitas.

1 – Exercício

Imagine nós homens, quantas vezes somos tentados por mulheres na rua? O que fazemos?

Não posso ser hipócrita, to querendo olhar então eu vou olhar!

Não é hipocrisia fugir do pecado e fazer o que Deus quer contrariando nosso coração. Então podemos contrariar nosso coração e nos alegrar com nossos irmãos.

2 – Transparência

Manifestar nosso coração para os irmãos, mesmo para aqueles que foram alvo do seu ciúme.

Não é chegar e dizer: Não sei por que eu não gosto de você! E sim: Irmão, eu estava com ciúme de você por Deus está te abençoando, me ajude a me livrar disto.

O que nos aguarda no final?

Vamos olhar nas escrituras uma relação de textos que apontam para uma recompensa final.

“E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem.”  – Ap 14:13

Parece que é muito difícil esperar por um tempo futuro. É muito mais fácil buscar reconhecimento dos homens. Jesus adverte com tanta seriedade contra isso quando ele fala dos fariseus: “Este já receberam sua recompensa…” Os fariseus faziam coisas para serem reconhecidos pelos homens.

Somos imediatistas e por isso reagimos tão rápido por elogios ou críticas dos homens e oscilamos entre a soberba e o sentimento de piedade.

Ou nos achamos muito bons, ou o contrário.

Até quando nos esforçamos para não reagir às críticas ou honras dos irmãos. Para tentar escapar disso nos isolamos, porque lá ninguém reclama nem me corrige e isso aponta para outro problema. O solitário busca seus próprios interesses.

“Não clama porventura a sabedoria, e a inteligência não faz ouvir a sua voz?” – Provérbios 8:1

Por isso a declaração “Já sondei meu coração…” é tola. Lembro-me que muitas vezes eu já usei esta expressão.

Esperar o julgamento de Deus

Sobre esperar o julgamento de Deus, há dois textos que são tão esclarecedores.

1 – Testemunho de Atípas.

A bíblia não fala sobre este homem, não sabemos de obra nenhuma dele e então para nós é só um homem. Mas Jesus diz: “Minha testemunha, meu fiel…” Jesus tinha sobre ele um testemunho sobre o qual nós não conhecemos. Se Jesus o honrou, não preciso saber o que ele fez.

Quem de nós não quer ouvir isto do Senhor? É muito melhor esperar por isso do que ouvir “Você já teve sua recompensa!”.

Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor.  – 1 Coríntios 4:5

Isso me trouxe inquietação, porque diz que o Senhor vai manifestar o meu coração. Não sei se publicamente ou separado, mas vai ser manifesto e eu saberei o que está lá. O Senhor vai abrir meu coração e ele saberá o que estava lá. A bíblia diz que todas as coisas estão sob os olhos daquele que vamos prestar conta. Eu comecei a me preocupar porque não me basta desvencilhar dos pecados exteriores. Aquele que anda com o Senhor é espírito com ele e então temos uma empreitada muito grande em nos parecer com Ele. Então irmãos, se não enxergarmos isso e não nos consolarmos todas as vezes em que parecermos que fomos injustiçados ou mal entendidos. Se não nos consolarmos, um dia o Senhor vai manifestar meu coração.

Lembro-me de quando eu rompi com denominação e meu pastor disse: “Passei anos te defendendo, e todos diziam que você era um traidor e agora você sai e todos saberão que era verdade. Um traidor”. Eu respondi: “Sinto muito, mas não há nada que eu possa fazer para provar o contrário, mas sei que uns dias estarão todos diante do Senhor e lá saberemos com que coração me comportei aqui todo este tempo. O que farei para consertar isto, entrando na carne, procurando testemunhas, pecando em outra medida?”

Se não buscarmos um coração que aguarda a justiça de Deus, seremos tentados a incorrer no mau que destruiu Saul. Israel não ia à guerra sem sacrifício e o povo começou a querer se dispersar.

2 – Saul, Jonatas e Davi

Comparando Saul com Jonatas e Davi. Anotei muitas coisas a respeito de Saul.

“Saul reinou um ano; e no segundo ano do seu reinado sobre Israel, Saul escolheu para si três mil homens de Israel; e estavam com Saul dois mil em Micmás e na montanha de Betel, e mil estavam com Jônatas em Gibeá de Benjamim; e o resto do povo despediu, cada um para sua casa. E Jônatas feriu a guarnição dos filisteus, que estava em Gibeá, o que os filisteus ouviram; pelo que Saul tocou a trombeta por toda a terra, dizendo: Ouçam os hebreus. Então todo o Israel ouviu dizer: Saul feriu a guarnição dos filisteus, e também Israel se fez abominável aos filisteus. Então o povo foi convocado para junto de Saul em Gilgal. E os filisteus se ajuntaram para pelejar contra Israel, trinta mil carros, e seis mil cavaleiros, e povo em multidão como a areia que está à beira do mar; e subiram, e se acamparam em Micmás, ao oriente de Bete-Áven. Vendo, pois, os homens de Israel que estavam em apuros (porque o povo estava angustiado), o povo se escondeu pelas cavernas, e pelos espinhais, e pelos penhascos, e pelas fortificações, e pelas covas. E alguns dos hebreus passaram o Jordão para a terra de Gade e Gileade; e, estando Saul ainda em Gilgal, todo o povo ia atrás dele tremendo. E esperou Saul sete dias, até ao tempo que Samuel determinara; não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo se dispersava dele. Então disse Saul: Trazei-me aqui um holocausto, e ofertas pacíficas. E ofereceu o holocausto. E sucedeu que, acabando ele de oferecer o holocausto, eis que Samuel chegou; e Saul lhe saiu ao encontro, para o saudar. Então disse Samuel: Que fizeste? Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim, e tu não vinhas nos dias aprazados, e os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás, Eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal, e ainda à face do SENHOR não orei; e constrangi-me, e ofereci holocausto. Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o SENHOR teu Deus te ordenou; porque agora o SENHOR teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre; Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o SENHOR para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o SENHOR, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o SENHOR te ordenou. Então se levantou Samuel, e subiu de Gilgal a Gibeá de Benjamim; e Saul contou o povo que se achava com ele, uns seiscentos homens.” – 1 Sm 13:1-15

Saul profanou o sacrifício. Samuel demorou e era competência do sacerdote oferecer sacrifício e não do Rei. Mas Israel não ia à guerra sem sacrifício. O povo começou a se dispersar e aí Saul preocupado em garantir seu reino, se atreveu a fazer o sacrifício. Aí Saul começou a decair em sua posição. Quando começamos a decair na carne é difícil voltar ao caminho do Espírito. Tem que parar e voltar e começar do ponto inicial e Saul quis cortar caminho fazendo coisas absurdas, mandou todo mundo jejuar e neste momento Saul não estava preocupado com a glória de Deus e sim com sua vitória. Isto é muito facilmente percebido quando Jonatas come o mel, sabendo Saul que seu filho havia quebrado o jejum, tentou mata-lo. Que espiritualidade miserável é esta que o pai tenta matar seu próprio filho pra demonstrar ser fiel a Deus.

A palavra de Deus diz que a sabedoria humana é animal, mas a sabedoria do céu é dócil.

Depois do capítulo 15, é a situação em que Deus mandou matar os amalequitas. Mandou matar inclusive os animais. Nesta situação, ele trouxe os animais mais sadios para oferecer ao Senhor. No meio do caminho, Saul edificou um monumento em seu nome para que todos soubessem que ele venceu os amalequitas, chamando pra si esta honra. Se olharmos para história de Abraão ou de Davi, vemos que eles são homens que viviam levantando altares ao Senhor já Saul queria um monumento a si mesmo.

Mais na frente quando Samuel repreende severamente a Saul e neste momento Saul se justifica excluindo-se das coisas reprovadas e incluindo-se nas coisas aprovadas. Saul não pecou inocente. Ele sabia o que fazia. Quando um líder não busca os interesses de Deus, fica evidente. Se a igreja está mal, problema da igreja, se a igreja está bem, Deus ta dando graça.

E, vendo Davi ao anjo que feria o povo, falou ao SENHOR, dizendo: Eis que eu sou o que pequei, e eu que iniquamente procedi; porém estas ovelhas que fizeram? Seja, pois, a tua mão contra mim, e contra a casa de meu pai. – 2 Samuel 24:17

Quando Davi, já rei, peca e Deus traz juízo sobre o povo e então Davi faz uma declaração muito diferente de Saul. Davi cometeu pecados grosseiros, mas ele tinha algo que Deus se agradava muito. Ele não buscava se afirmar. Davi não amava o trono.

Quando Samuel continua repreendendo a Saul então ele manifesta grosseiramente o que estava em seu coração.

“Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. Então disse Saul a Samuel: Pequei, porquanto tenho transgredido a ordem do SENHOR e as tuas palavras; porque temi ao povo, e dei ouvidos à sua voz. Agora, pois, rogo-te perdoa o meu pecado; e volta comigo, para que adore ao SENHOR. Porém Samuel disse a Saul: Não voltarei contigo; porquanto rejeitaste a palavra do SENHOR, já te rejeitou o SENHOR, para que não sejas rei sobre Israel. E virando-se Samuel para se ir, ele lhe pegou pela orla da capa, e a rasgou. Então Samuel lhe disse: O SENHOR tem rasgado de ti hoje o reino de Israel, e o tem dado ao teu próximo, melhor do que tu. E também aquele que é a Força de Israel não mente nem se arrepende; porquanto não é um homem para que se arrependa. Disse ele então: Pequei; honra-me, porém, agora diante dos anciãos do meu povo, e diante de Israel; e volta comigo, para que adore ao SENHOR teu Deus. Então, voltando Samuel, seguiu a Saul; e Saul adorou ao SENHOR.” – 1 Samuel 15:22-31

Saul reconhece seu pecado, tem um arrependimento superficial, mas não consegue esconder seu problema crônico da necessidade de ser honrado. Saul queria ser honrado a qualquer custo. Saul já sabia que Deus havia reprovado, mas não se humilhou. Ele buscava como um viciado em honra pela sua honra. Lá no fim, quando ele perde a guerra, mais uma demonstração. Ele se mata por não ter mais o trono.

Comparando com Davi: Quando Absalão tenta tomar o trono de Davi, ele sai da cidade sem nada e diz que se Deus quiser ele retorna. Davi amava a Deus acima de todas as coisas. Ele pertencia a Deus e não a si mesmo.

Leia 1 Samuel 22

Saul com ciúme de Davi por ele se destacar. Saul não suportou ver Davi ser honrado em seu lugar e buscou sua morte a qualquer preço. Vemos aí o que falei no início de uma pessoa com ciúmes não se dar conta das loucuras que pratica. Ele descobriu que os sacerdotes haviam escondido Davi e mandou mata-los. No meio desta loucura de Saul, aparece o coração de Jonatas que entendeu que Deus havia eleito Davi para o trono. Jonatas seria o herdeiro natural e ele como filho mais velho seria o rei.

“Então se acendeu a ira de Saul contra Jônatas, e disse-lhe: Filho da mulher perversa e rebelde; não sei eu que tens escolhido o filho de Jessé, para vergonha tua e para vergonha da nudez de tua mãe? Porque todos os dias que o filho de Jessé viver sobre a terra nem tu estarás seguro, nem o teu reino; pelo que envia, e traze-mo nesta hora; porque é digno de morte.” – 1 Samuel 20:30-31

Saul desconfia que Jonatas sabe do paradeiro de Davi e tenta fazer com que Jonatas diga onde Davi está escondido.

Jonatas conversa com Davi.

“Vendo, pois, Davi, que Saul saíra à busca da sua vida, permaneceu no deserto de Zife, num bosque. Então se levantou Jônatas, filho de Saul, e foi para Davi no bosque, e confortou a sua mão em Deus; E disse-lhe: Não temas, que não te achará a mão de Saul, meu pai; porém tu reinarás sobre Israel, e eu serei contigo o segundo; o que também Saul, meu pai, bem sabe. E ambos fizeram aliança perante o SENHOR; Davi ficou no bosque, e Jônatas voltou para a sua casa.” – 1 Samuel 23:15-18

Saul sabia que Deus queria Davi, mas tentou mudar com suas próprias forças o destino do trono.

Quem era davi?

Ele era pastor de ovelhas. E quando Davi peca, Deus o repreende lembrando quem ele era. Ele era servo de Jonatas. Jonatas sabia que não adiantava lutar contra a vontade de Deus. Ele entendeu que é Deus quem determina e se eu me esforçar contra Deus acaba como Saul.

Se um homem se deixa tomar pelo desejo de autoafirmação ele vai se tornar um dependente. Isso é um buraco negro e nada o sacia. Quanto mais honra lhe é dado, mais ele quer e se um não lhe dá honra ele fica inconformado. Tal pessoa não será ajudada tendo seu desejo atendido, ou nos unimos à cruz, ou não venceremos isto e pra mim isso é literalmente uma droga. Quanto mais tem, mais quer. Quanto mais usa, mais precisa se tornando uma necessidade sem limite fazendo loucuras pra manter seu vício.

Um homem que busca sua própria honra vai fazer loucuras para conseguir e não se dá conta que está dependente disso.

Complexo de Amã

Amã é um exemplo disto e que Deus nos livre do complexo de Amã. Ele era o homem mais importante depois do rei e existia um homem chamado Mordecai. Ele não honrava Amã. E Amã se indignou contra ele. Ele não tinha necessidade nenhuma de que aquele homem o honrasse porque o reino lhe honrava, mas tinha um que não fazia e ele quis matar Mordecai.

Diz a bíblia que o Espírito Santo veio para glorificar a Cristo.

“Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.” – João 16:14

Todos os dons e manifestações que nos são conferidas pelo Espírito Santo só tem um propósito que é glorificar a Jesus e se isso não está acontecendo, produz a nossa destruição. O poder dado a Saul era para servi a Deus e no momento que ele não fez desta forma, este mesmo poder destruiu o destruiu.

“E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.”  – 1 Coríntios 4:6

Nada temos que não tenhamos recebido então pra que ensoberbecer e é isso que me apavora, descobrir que isso está comigo, está no meu coração mau, e Jesus sabia que é natural do homem se afirmar em se manter no poder. Quanta desgraça é feita para garantir o poder. Jesus entendia que isso acontece no mundo onde Satanás reina, mas Jesus disse: “Entre vós não será assim, o maior seja o menor”.

Deus espera que haja na sua casa pessoas servindo umas as outras e não pessoas exigindo que seus pés sejam lavados. Que tenhamos um coração como o de Jonatas em querer ser o segundo.

Como você conheceu o Um Só Corpo?

  • Inclua outra resposta

Compartilhe com seus irmãos e amigos


ou copie este link e envie para seus contatos

Seja o primeiro a comentar!



* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do site e passarão por aprovação do administrador.